Índice de eventos adversos relacionados a medicamentos de alta vigilância

Medicamentos de alta vigilância são aqueles que mais apresentam riscos dentro de um hospital. Normalmente, eles têm alta toxicidade, o que significa que pequenas variações de dose podem provocar uma alteração muito grande de efeito, ou merecem atenção porque têm nomes ou aparência muito parecidos, com grande risco de confusão, embora venham sempre acompanhados de cuidados especiais, como alertas, embalagens diferenciadas e observações aos cuidadores.

Como nós medimos

Consideramos um incidente que deve ser notificado qualquer falha em toda a cadeia de medicação, incluindo armazenamento, transporte, prescrição, preparação e administração dos medicamentos. Qualquer desvio das normas operacionais definidas deve ser notificado, mesmo que tenha sido detectado antes de atingir o paciente (por exemplo, um erro de prescrição que foi percebido na avaliação pelo farmacêutico) ou que não tenha provocado nenhum dano ao paciente. Temos cuidado especial com o grupo dos medicamentos de alta vigilância, por apresentarem maior risco de provocar eventos graves.

Nossos resultados

Todos os medicamentos aplicados em nossos pacientes são registrados em seus prontuários, assim como os eventos adversos relacionados com essas substâncias. O gráfico a seguir mostra a evolução anual do número médio de ocorrências verificadas nos últimos quatro anos.

O que estamos fazendo para melhorar

Acompanhamos os incidentes relacionados a medicamentos que ocorrem no hospital. Os dados são revisados por um comitê de médicos, enfermeiros e farmacêuticos que recomenda e implementa mudanças para prevenir novas ocorrências. As estratégias incluem a notificação e a análise desses eventos e a identificação de fatores comuns para a adoção de melhorias de processos. Também utilizamos tecnologias de segurança durante a preparação e administração de medicamentos, incluindo a leitura de código de barras e alertas informatizados que identificam alergias e possíveis interações entre drogas.

 

Autor: Demetrius Paparounis - MTB: 21.687

Atualizado em: 14/2/2019