Visão geral

O Serviço de Endoscopia Digestiva e Respiratória do Sabará cuida de crianças com distúrbios gastrointestinais, pancreáticos e hepatobiliares, desde o diagnóstico até o acompanhamento a longo prazo.

Nossos especialistas são altamente treinados para realizar exames no público infanto-juvenil.

Nossas equipes de especialistas possuem formação pediátrica e, no caso dos nossos anestesiologistas que trabalham diretamente com a equipe de endoscopia, todos têm larga experiência na condução de anestesia em crianças, sabendo exatamente como lidar com o paciente. Essa habilidade de cuidar desse público é muito importante num momento em que a criança, e também os familiares, estão fragilizados.

Outro fator positivo é que nossas instalações trazem decoração lúdica e criativa tornando menos evidente a sensação de se estar em um hospital.

Vale ressaltar que estamos preparados para realizar os exames até mesmo em recém-nascidos, com aparelho próprio.

 

Agende seu exame! Tel:  (11) 3155 2800

Tipos de exames

Ajudamos a investigar uma série de condições na criança, mas sempre seguindo a indicação do médico que fez a solicitação, já que é ele quem sabe sobre a necessidade de tais exames. Os tipos de procedimentos que realizamos são:

  • Endoscopia digestiva alta: envolve a inserção de um tubo longo, flexível e iluminado, chamado endoscópio, pela boca da criança, para baixo do trato intestinal, até o início do intestino delgado. O exame permite ao médico verificar se há inflamação, hemorragia, úlceras e outras lesões, para possivelmente tratá-los.
  • Colonoscopia: envolve a inserção de um tubo longo, flexível e iluminado, chamado colonoscópio, pelo reto, para dentro do cólon. O colonoscópio permite ao médico verificar a mucosa do cólon e identificar hemorragias, inflamações, úlceras e outras lesões, para possivelmente tratá-las;
  • Broncoscopia: envolve a inserção de um tubo longo, flexível e iluminado, chamado broncoscópio, pela boca, da traqueia e brônquios. O broncoscópio permite ao médico verificar a permeabilidade das vias aéreas, coletar secreções, avaliar a mucosa e identificar alguma lesão nesta área, para possivelmente tratá-la;
  • Biópsia: durante os exames endoscópicos, o médico provavelmente irá remover uma pequena amostra de tecido da criança. Posteriormente, nossos patologistas a analisarão sob um microscópio.

Essa é uma área que interage com vários outros setores dentro do nosso Hospital, incluindo Motilidade Gastrointestinal, Alergia Alimentar, Pneumologia, Otorrinolaringologia, Gastroenterologia, Cirurgia Pediátrica, Nutrição, Doenças Inflamatórias, entre outros.

 

Segurança

Todos os exames endoscópicos feitos no Sabará Hospital Infantil são realizados sob efeito de anestesia geral ou sedação, administradas no centro cirúrgico, com o objetivo de garantir maior segurança à criança e evitar traumas emocionais. Em geral, mantemos o paciente internado por algumas horas, até que se recupere.

Os endoscópios que usamos são pediátricos, possuem calibre menor, podendo ser utilizados até em recém-nascidos. O nasogastroscópio, por exemplo, que utilizamos em recém-nascidos, tem apenas 5mm de diâmetro

Antes do exame, o anestesista e o endoscopista conversam com o paciente e seus familiares. O paciente é avaliado clinicamente pelo anestesista, tudo para tentar detectar qualquer fator que implique em risco.

O exame é relativamente simples, por isso a necessidade de prevenir qualquer intercorrência, focando no conhecimento de todo o quadro para adotar providências que evitem complicações.

A criança recebe um amparo completo, com médico para cuidar do paciente, outro médico unicamente voltado à realização o exame e enfermeiro especializado.

Caso seja necessário atender a criança em alguma questão específica, outros profissionais, de diversas especialidades médicas de todo o Hospital podem entrar em ação a qualquer momento, o que reforça a rede de cuidados a qual submetemos o paciente.

 

Preparativos

Para cada caso, é necessário um preparo diferente. Durante o agendamento, o responsável pela criança será informado sobre os procedimentos.

O jejum absoluto de 8 horas é extremamente importante tanto para a anestesia, quanto para a endoscopia, afinal, a presença de alimentos no estômago impedem a visualização da mucosa.

No caso da colonoscopia, é preciso um preparo intestinal de pelo menos 2 dias, não devendo haver fezes no intestino para que seja possível realizar o exame.

 

Anestesistas

Um dos diferenciais do Sabará é possuir, além de uma equipe de endoscopistas de alto nível, um dos melhores times de anestesistas com foco em crianças do país.

 

Principais indicações de endoscopia em crianças:

 

Neonatos e Lactentes Pré-escolares e escolares Adolescentes
Vômitos recorrentes não biliosos Sorologia positiva para doença celíaca Sorologia positiva para doença celíaca
Hemorragia Diarreia crônica Diarreia crônica
Apneia Dor abdominal Dor abdominal
Falha crescimento Hemorragia Hemorragia
Diarreia Vômitos Disfagia/odinofagia
Disfagia/odinofagia Perda de peso
Corpo estranho Doença do refluxo gastroesofágico
Ingestão cáustica Ingestão cáustica
Anorexia Anemia ferropriva
Doença do enxerto contra hospedeiro Anorexia
Doença do enxerto contra hospedeiro

 

Principais indicações de broncoscopia em crianças

  • Respiração ruidosa;
  • Suspeita de defeitos anatômicos;
  • Sibilância e/ou tosse persistente;
  • Intubação difícil;
  • Distúrbios de voz;
  • Suspeita de aspiração de conteúdos gástricos ou alimentos (distúrbios da deglutição);
  • Pneumonias, complicadas ou persistentes;
  • Sangramentos;
  • Suspeita de corpo estranho;
  • Avaliação de paciente crônico com traqueostomia;
  • Traumatismos de vias aéreas;
  • Avaliação de dano secundário de queimadura;
  • Falha de extubação.

 

Procedimentos úteis em broncoscopia

  • Retirada de corpo estranho;
  • Remoção de secreções;
  • Coleta de material líquido ou biópsias;
  • Dilatação.

Conheça o time

A formação em Pediatria, com médicos focados na criança, incluindo endoscopistas e anestesistas, torna o trabalho que realizamos ainda mais efetivo. Uma das razões é que as doenças nesse público são diferentes daquelas em adultos, exigindo um raciocínio clínico específico ao se deparar, por exemplo, com uma lesão. De fato, quase 90% das doenças em crianças são diagnosticadas pela biópsia, sendo esse um dos pontos que diferenciam o público infantil do adulto.

Atualmente, a equipe do Núcleo de Endoscopia Digestiva e Respiratória do Sabará Hospital Infantil é composta por três profissionais com larga experiência em Endoscopia em Pediatria.

Todos possuem título de especialista pela Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva – SOBED e são médicos que atuam em hospital-escola de universidades conceituadas, cuidando da formação de novos médicos endoscopistas (residentes).

Essa equipe trabalha em conjunto com nosso time altamente qualificado de anestesistas.Conheça os profissionais do Núcleo:

 

Dra. Eunice Komo Chiba – Endoscopia digestiva, colonoscopia e broncoscopia

  • Formação em Medicina pela USP, em 1988;
  • Residência médica em Pediatria também pela USP em 1991;
  • Estágio de Endoscopia Geral, finalizado em 1993, no Serviço de Endoscopia Gastrointestinal e Broncoesofagologia do Hospital das Clínicas;
  • Título de especialista em Endoscopia Peroral pela Sociedade de Endoscopia Peroral, em 1996, e Endoscopia Digestiva pela Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva, em 1998.

 

Dr. Silvio Ogata – Endoscopia e colonoscopia

  • Formação em Medicina pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, em 1991;
  • Residência Médica em Pediatria pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, em 1993;
  • Especialização em Gastroenterologia Pediátrica pela Universidade Federal de São Paulo, em 1995;
  • Especialização em Endoscopia Digestiva pela Universidade Federal de São Paulo, em  1997 (com título pela SOBED);
  • Na UNIFESP, atua na formação de residentes em Pediatria e em Gastroenterologia Pediátrica. Preceptor do Ambulatório de Doença Péptica, da Enfermaria de Gastroenterologia Pediátrica e da reunião anatomo-patológica da disciplina de Gastroenterologia Pediátrica da UNIFESP;
  • Pesquisador financiado pela FAPESP;
  • Participante em cursos e congressos como professor convidado;
  • Autor e coautor em diversos artigos científicos e capítulos de livros na área em que atua.

 

Dra. Simone Stefanuto – Endoscopia, colonoscopia e broncoscopia

  • Graduação em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo;
  • Residência em Clínica Médica (Clínica Geral) na Santa Casa de São Paulo – 1998;
  • Residência em Gastroenterologia Clínica na Santa Casa de São Paulo, em 2000;
  • Especialização em Endoscopia Peroral no Serviço de Endoscopia Peroral da Santa Casa de São Paulo, em 2002;
  • Aperfeiçoamento em endoscopia Digestiva Alta e colonoscopia no CEDIR – Centro de Endoscopia Digestiva e Respiratória na UNIFESP, em 2003;
  • Responsável pelo treinamento de Médicos Residentes em Endoscopia Digestiva Alta no Hospital do Servidor Público Municipal entre 2009 e 2012;
  • Atualmente responsável pelo treinamento de Médicos Residentes em Broncoscopia no CEDIR – Centro de Endoscopia Digestiva e Respiratória na UNIFESP.

Qualidade e segurança

Segurança

Para maior segurança, os exames são feitos no Sabará Hospital Infantil com a criança sob efeito de anestesia ou sedação. Essas medidas são necessárias porque as crianças costumam ser menos colaborativas em situações que envolvem procedimentos hospitalares.

Após ser anestesiado ou sedado, a critério do médico anestesiologista, o paciente é colocado como se dormisse de lado, e o exame é realizado. Geralmente são realizadas biópsias do esôfago, estômago ou duodeno, e essa medida é recomendada pelo fato de que grande parte das doenças gastrointestinais em crianças promovem alterações histológicas, sendo assim, a biópsia pode ajudar no raciocínio clínico do médico solicitante.

Geralmente o procedimento tem duração média de 30 a 40 minutos. Ao final, o paciente permanece na sala de recuperação por cerca de 1 hora.

O laudo com resultado da endoscopia pode ser fornecido no mesmo dia pelo médico que a realizou e as biópsias necessitam de 5 a 7 dias úteis.

Qualidade

A equipe do Núcleo de Endoscopia Digestiva e Respiratória do Sabará pauta seu trabalho em protocolos e recomendações nacionais e internacionais, como da SOBED, ASGE, NASPGHAN e ESPGHAN.

Isso significa que, ao realizarmos a endoscopia, seguimos os protocolos aplicados em serviços de referência e associações médicas de especialidades, tanto no momento da indicação quanto da realização do exame, de biópsias e de procedimentos terapêuticos.

Números

A endoscopia digestiva alta (EDA), também chamada de esofagogastroduodenoscopia, e a endoscopia digestiva baixa, chamda também de ileocolonoscopia ou colonoscopia, são dois métodos extremamente úteis para investigação de doenças gastrointestinais em crianças.

Por meio desses recursos, é possível visualizar e obter biópsias da mucosa do esôfago, estômago e duodeno (no caso da endoscopia digestiva alta) e do reto, cólon e íleo (no caso da colonoscopia).

Além disso, o exame endoscópico pode ser utilizado no tratamento de algumas doenças. As indicações terapêuticas são:

  • Remoção de corpo estranho;
  • Dilatação de estenose;
  • Esclerose ou obliteração de varizes;
  • Controle de sangramento na área;
  • Gastrostomia endoscópica percutânea;
  • Passagem de sonda enteral;
  • Polipectomia.

Graças aos avanços e diminuição do calibre do endoscópio, o exame pode ser realizado em crianças de qualquer idade, desde que seja necessário.

Geralmente, quando se fala em endoscopia em pediatria, diretrizes internacionais se referem a pacientes de 0 a 18 anos de idade. E o procedimento nesses pacientes tem se mostrado cada vez mais seguro.

Informativos para os pais

O que é broncoscopia?

Broncoscopia refere-se ao exame das vias respiratórias, podendo incluir a avaliação de laringe, traqueia e brônquios, com auxílio de um aparelho denominado broncoscopio. É realizado por um médico junto a um anestesiologista. Serve para detectar alterações como sinais inflamatórios, obstruções, deformidades, tumores, corpos estranhos, entre outros. Permite coleta de material líquido e biópsias, além de remover corpos estranhos e tratar estreitamentos.

Como é feita?

O exame é realizado sob anestesia geral. A introdução do aparelho é feita pela cavidade nasal ou oral, que percorre o trajeto do ar até os brônquios. Dura em média de 30 a 60 minutos. Após o exame, é comum a sensação de incômodo nasal e na garganta, tosse e cansaço passageiros. Pico febril com calafrios também podem ocorrer na recuperação. A alta ocorre após um período de recuperação que pode variar entre 2 e 6 horas, se não houver intercorrências.

Preparo

São necessários exames radiológicos, tomográficos e de sangue recentes. O jejum deve seguir orientação da anestesia.

O que é endoscopia?

Endoscopia digestiva alta ou esofagogastroduodenoscopia refere-se ao exame do esôfago, estômago e duodeno, com auxílio de um aparelho denominado endoscópio. É realizado por um médico, junto a um anestesiologista. Serve para detectar alterações como sinais inflamatórios, úlceras, deformidades, tumores, corpos estranhos, entre outros. Permite coleta de material líquido e biópsias, além de remover corpos estranhos e tratar estreitamentos.

Como é feita?

O exame é realizado sob anestesia geral. A introdução do aparelho é feita pela cavidade oral, percorrendo o trajeto do alimento. Dura em média de 30 a 60 minutos. Após o exame é comum sensação de incômodo nasal e na garganta, por vezes cólicas e náuseas. A alta ocorre após um período de recuperação que pode variar entre 2 e 6 horas, se não houver intercorrências.

Preparo

São necessários exames de endoscopia anteriores, correlacionados (phmetria, manometria, cintilografia, radiológicos contrastados e outros) e de sangue recentes. O jejum deve seguir orientação da anestesia.

O que é colonoscopia?

Colonoscopia refere-se ao exame do intestino grosso e final do intestino delgado, com auxílio de um aparelho denominado colonoscópio. É realizado por um médico junto a um anestesiologista. Serve para detectar alterações como sinais inflamatórios, pólipos, diverticulos, entre outros. Permite coleta de biópsias, além de remover pólipos e coibir sangramentos.

Como é feita?

O exame é realizado sob anestesia geral. A introdução do aparelho faz-se no ânus, percorrendo o trajeto retrógrado do bolo alimentar. Dura em média de 30 a 60 minutos. Após o exame é comum sensação de cólicas e flatulência. A alta ocorre após um período de recuperação que pode variar entre 2 e 6 horas, se não houver intercorrências.

Preparo

São necessários exames de colonoscopia anteriores, correlacionados (radiológicos contrastados, tomografia e outros) e de sangue recentes. É necessário limpeza do intestino com dieta e medicação. O preparo tem início 24 ou 48h antes com dieta e medicação prescritos caso a caso em casa ou em regime de internação. O jejum deve seguir orientação da anestesia.

Compartilhe sua experiência




Condições e tratamentos relacionados

  • Respiração ruidosa;
  • Suspeita de defeitos anatômicos;
  • Sibilância e/ou tosse persistente;
  • Intubação difícil;
  • Distúrbios de voz;
  • Suspeita de aspiração de conteúdos gástricos ou alimentos (distúrbios da deglutição);
  • Pneumonias, complicadas ou persistentes;
  • Sangramentos;
  • Suspeita de corpo estranho;
  • Avaliação de paciente crônico com traqueostomia;
  • Traumatismos de vias aéreas.
  • Avaliação de dano secundário de queimadura
  • Falha de extubação
  • Hemorragia
  • Vômitos recorrentes não biliosos
  • Diarreia crônica
  • Apneia
  • Dor abdominal
  • Doença celíaca
  • Disfagia / odinofagia
  • Doença do refluxo gastroesofágico
  • Anemia ferropriva
  • Anorexia
  • Doença da Reação Enxerto Versus Hospedeiro
  • Ingestão cáustica
  • Falha no crescimento

Informações para profissionais

Os exames são realizados em nossos pacientes e também naqueles de fora do Hospital.

Os pais ou responsáveis devem entrar em contato com o agendamento, munidos dos dados da criança, do convênio e pedido médico. No pedido médico, deve constar o exame solicitado, indicação e solicitação de endoscopia com sedação/anestesia e pedido de internação.

Nossa equipe médica está à disposição para colaborar com profissionais de saúde em geral.

Realizamos dilatações de estenose do TGI, esclerose de varizes esofágicas, gastrostomia endoscópica percutânea, passagem de sonda enteral, entre outros procedimentos.

Autor: Mariana Setubal

Atualizado em: 30/8/2017