Anorexia em crianças - Hospital Sabará
A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Z

Anorexia em crianças

Anorexia nervosa é um transtorno alimentar caracterizado por baixo peso (menos de 85% do peso normal para a altura e a idade), uma imagem corporal distorcida, amenorreia (ausência de pelo menos três menstruais consecutivas) e um medo intenso de ganhar peso. Anorexia nervosa é, por vezes, referido como anorexia.

A causa da anorexia nervosa não é conhecida e começa, geralmente, como um comportamento inocente, mas, gradualmente, progride para perda de peso extrema e pouco saudável.

Atitudes sociais em relação a aparência do corpo, influências familiares, genética e fatores neuroquímicos e de desenvolvimento são considerados contribuintes possíveis à anorexia.

Adolescentes que desenvolvem anorexia têm mais probabilidade de vir de famílias com histórico de problemas de peso, doenças físicas e outras questões de saúde mental, como depressão ou abuso de substâncias.
Adolescentes com anorexia também podem ser dependentes, imaturos no seu desenvolvimento emocional e é provável que se isolem dos outros.

Outros problemas de saúde mental, tais como transtornos de ansiedade ou transtornos afetivos são comumente encontrados em adolescentes com anorexia.

A ocorrência de anorexia nervosa tem aumentado ao longo dos últimos 20 anos entre os adolescentes. Estima-se que ocorra em 1 em cada 100 mulheres com idades entre 16 e 18 anos. Somente entre 5% e 10% de adolescentes diagnosticados com anorexia são homens.

Inicialmente identificada em famílias de classe média, a anorexia agora pode ser encontrada em todos os grupos socioeconômicos e em uma variedade de grupos étnicos e raciais.

Há dois subgrupos de comportamento anoréxico destinados a reduzir a ingestão calórica, incluindo os seguintes:

  • Tipo de limitador – limita severamente a ingestão de alimentos, principalmente carboidratos e alimentos que contenham gordura.
  • Bulimia – come e, depois, induz o vômito e/ou toma grandes quantidades de laxantes.

A seguir, os sintomas mais comuns da anorexia. No entanto, cada criança pode experimentar os sinais de forma diferente:

  1. Baixo peso corporal (menos de 85% do peso normal para a altura e a idade).
  2. Medo intenso de se tornar obesa.
  3. Visão distorcida do próprio peso corporal, tamanho ou forma; a criança se vê como muito gorda, mesmo quando muito abaixo do peso.
  4. Recusa-se a manter o peso corporal mínimo normal.
  5. No sexo feminino, ausência de três ciclos menstruais sem outra causa.
  6. Excesso de atividade física, a fim de promover perda de peso.
  7. Negação da sensação de fome.
  8. Preocupação com a preparação de alimentos.
  9. Bizarros comportamentos alimentares.

Pessoas com anorexia também podem ser socialmente retraídas, irritadas, mal-humoradas e/ou deprimidas. Os sintomas de anorexia nervosa podem assemelhar-se a outros problemas médicos ou condições psiquiátricas.

O diagnóstico é clínico, e a criança deve ser encaminhada para tratamento com profissionais preparados, para lidar com essa situação, em geral em equipes multiprofissionais com psiquiatras, psicólogos, pediatras, nutricionistas etc., que saberão escolher o melhor tratamento.

Complicações médicas que podem resultar de anorexia incluem:

  1. Cardiovascular (coração) – Embora seja difícil prever quais pacientes anoréxicos podem ter arritmias (batimento cardíaco rápido, lento ou irregular), bradicardia (batimentos cardíacos lentos) e hipotensão (pressão arterial baixa).
  2. Hematológicas (do sangue) – Estima-se que 1/3 dos pacientes anoréxicos tem anemia leve.
  3. Gastrintestinal (estômago e intestinos) – Alteração da motilidade intestinal.
  4. Renal (rins) – Desidratação frequentemente associada com anorexia.
  5. Endócrina (hormônios) – Em mulheres, a amenorreia, redução dos níveis de hormônios de crescimento, são encontrados, às vezes, em pacientes anoréxicos e podem explicar retardo no crescimento. Nutrição normal geralmente restaura o crescimento normal.
  6. Esquelético (ossos) – Pessoas com anorexia têm risco aumentado de fraturas ósseas (ossos quebrados). Baixa densidade óssea é encontrada frequentemente em mulheres com anorexia, pela baixa ingestão de cálcio.


Tratamento

O controle da anorexia inclui as seguintes medidas:
  • Abordar os sentimentos e percepções distorcidas que causam a condição
  • Identificar e controlar problemas físicos causados ​​pela má ingestão de alimentos
A duração e intensidade do tratamento depende de cada criança. A supervisão regular por um especialista ajuda a garantir que os níveis de hidratação e nutrientes não diminuam para níveis perigosos durante a recuperação. Pode levar muitos anos para controlar completamente a anorexia. O tratamento, em geral, inclui mais de uma estratégia, mas pode incluir o seguinte:

Suporte nutricional

Você pode ser encaminhado a um nutricionista para falar com você e seu filho sobre metas razoáveis ​​de peso e calorias. Um nutricionista também garante que um ganho de peso adequado seja produzido e ajudará seu filho a desenvolver bons hábitos alimentares. É possível que um caso de desnutrição grave exija a administração de nutrientes através de um tubo que é inserido no estômago através do nariz.

Terapia

A terapia pode ajudar a resolver os fatores que podem estar relacionados à anorexia do seu filho, incluindo padrões de pensamento prejudiciais, ansiedade e baixa auto-estima. Você também pode ajudar seu filho a desenvolver uma atitude mais positiva em relação à comida e à sua imagem corporal. Trabalhe em colaboração com o médico e o terapeuta de seu filho para determinar qual terapia pode beneficiá-lo mais. Seu filho pode usar mais de um tipo de terapia ou tentar classes diferentes antes de escolher o apropriado. Algumas opções incluem o seguinte:
  • Terapia familiar: a recuperação geralmente é mais eficaz se os membros da família fizerem parte da terapia. Todos os membros da família devem entender o distúrbio para fornecer suporte adequado.
  • Terapia comportamental cognitiva : para ajudar seu filho a desenvolver uma imagem corporal mais saudável e realista. O terapeuta ajudará seu filho a encontrar novas maneiras de pensar sobre seu corpo e sua dieta.
  • Terapia interpessoal: para ajudar seu filho a entender as preocupações sobre seus relacionamentos com os outros e lidar com eles.
Em alguns casos, uma combinação de psicoterapia e medicamentos antidepressivos pode ser usada para ajudar a controlar a anorexia do seu filho.

Hospitalização

A hospitalização pode ser necessária para fornecer nutrição essencial ou para controlar problemas causados ​​pela anorexia, por exemplo, distúrbios cardíacos. Um programa para pacientes hospitalizados com transtornos alimentares pode ajudar crianças que não tiveram resultados satisfatórios com programas ambulatoriais.