Centros de Excelência e Serviços / Programa de Via Aérea Complexa

Conceitos e definições fundamentais

A Via Aérea Complexa consiste em comprometimento anatômico do tubo aéreo laringotraqueal, por patologias que produzem obstrução desse tubo.

Essas patologias podem obstruir a laringe e/ou a traqueia, assim como a árvore traqueobrônquica e ocasionar situações de urgência e emergência.

Nos casos agudos, a criança pode manifestar um conjunto de sinais e sintomas que evidenciam o comprometimento da via aérea, como: ruído respiratório, denominado estridor, desconforto respiratório, que é afundamento da fúrcula e do tórax, coloração violácea de lábios e dedos, palidez, sudorese, apatia, taquicardia. Ou seja, um estado crítico e grave, que muitas vezes pode chegar ao nosso pronto-socorro.

Existem casos que evoluem gradativamente e de forma crônica, como crianças que têm encefalopatia crônica, em decorrência de doença epiléptica, síndromes e hipoxia perinatal. Esses casos podem evoluir para pneumopatia crônica, em decorrência de broncoaspiração salivar. Com muita frequência, apresentam também Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono, por causa da hipotonia muscular faringolaríngea. Casos como esses devem ser tratados no nosso Programa, pela necessidade de avaliação de uma equipe multidisciplinar.

O bebê ruidoso, que apresenta ronco e/ou estridor, que implica em sono agitado e dificuldade para mamar, também deverá ser avaliado pela nossa equipe.

Os casos que respiram por traqueostomia devem ser cuidados pela equipe do Programa de Via Aérea Complexa desde o momento do procedimento. Temos como lema tratar a via aérea sempre. Em casos de traqueostomia, a laringe e/ou a traqueia devem ser tratadas para seguirmos em busca da retirada da traqueostomia.

Nosso objetivo é dar melhores condições de vida para essas crianças, através de um trabalho conjunto de profissionais altamente especializados.

Autor: Saramira Bohadana - CRM: 77471

Atualizado em: 02/3/2018