Sabará realiza avaliação pré-anestésica por telemedicina

O Sabará passou a oferecer mais um serviço para conforto e segurança dos pacientes cirúrgicos: agora, quem tem cirurgia agendada passa por uma avaliação pré-anestésica por telemedicina.

O procedimento costumava ser feito em consultório pela equipe de anestesiologistas do Hospital, porém não eram todos os pacientes que agendavam a sua avaliação. A facilidade de realizar a consulta à distância já trouxe uma aderência maior e a ideia é que todos os pacientes cirúrgicos participem.

“O objetivo é conversar com os responsáveis para colher a história do paciente, comorbidades, saber se ele tem alguma particularidade que necessite um preparo diferente, quais medicamentos toma e como está o calendário vacinal, além de verificar os exames pré-operatórios”, conta a Dra. Débora Cumino, responsável pelo serviço de anestesiologia do Sabará.

Na consulta, o médico também reforça as instruções sobre jejum e tira dúvidas dos pais e familiares, para reduzir a ansiedade sobre a cirurgia.

As informações colhidas na avaliação pré-anestésica ficam registradas no sistema do Sabará, para que o paciente tenha o processo agilizado ao chegar no Hospital. Neste momento, será necessária apenas a confirmação dos dados e uma avaliação física.

“Os pacientes ficam satisfeitos por ter essa oportunidade. É mais uma etapa do fluxo seguro para as cirurgias eletivas nesse momento de pandemia”, explica a Dra. Débora. “A avaliação promove um melhor planejamento anestésico, aumenta a segurança e a qualidade do serviço prestado”, conclui.

 

Cirurgia segura

Para garantir a segurança das cirurgias no Sabará em tempos de pandemia, o paciente e seus familiares recebem um kit de máscara em sua casa para que cheguem ao hospital já paramentados. Além disso, será realizado o teste de Covid-19 no paciente dois dias antes da cirurgia. O fluxo dentro do Hospital foi reorganizado para que não haja cruzamento do paciente cirúrgico com pacientes que têm sintomas respiratórios.

 

Clique aqui e saiba mais sobre o fluxo de cirurgias eletivas

 

Autor: Mariana Setubal

Atualizado em: 07/5/2020