Pacientes com doença renal crônica fazem acompanhamento por telemedicina

A equipe de enfermagem do Sabará passou a acompanhar à distância os pacientes do Programa de Diálise Peritoneal Domiciliar. São crianças que têm doença renal crônica, ou seja, mal funcionamento do rim, e que precisam de diálise.

“O Programa de Diálise Domiciliar visa padronizar as ações voltadas ao paciente com doença renal crônica e aguda candidatos a terapia ou em diálise. Esses pacientes internam no Sabará na maioria das vezes após o nascimento, iniciam a diálise na UTI e, após treinamento e validação da família, vão para casa continuar a terapia em domicílio, seguindo sob cuidados do Sabará e em acompanhamento da equipe de nefrologia”, explica a supervisora da UTI, enfermeira Thais Franco. Dos 11 pacientes atendidos no programa, seis aguardam para realizar o transplante renal no Sabará.

“Com a pandemia, nós, da equipe de enfermagem, iniciamos o telemonitoramento de forma espontânea, visando a continuidade do cuidado de pacientes crônicos e tivemos boa aceitação por parte das famílias”, conta Thais.

Uma enfermeira do núcleo de terapia de substituição renal do Hospital faz a videoconferência com a família a fim de fazer uma avaliação geral do paciente e reorientar sobre cuidados com o dispositivo (cateter utilizado para a diálise), envio de informações em conjunto com a equipe da nefrologia e orientações gerais. As ações de telessaúde visam garantir o cuidado coordenado de pacientes complexos, como as crianças em diálise, minimizando complicações e melhorando o desfecho clínico de seus cuidados.

Embora essas teleconsultas sejam realizadas com pacientes que já fazem parte do Programa, é possível agendar consultas via telemedicina com nefrologistas especializados em pediatria, para pacientes que ainda não passaram pelo Sabará.

 

Veja como agendar uma teleconsulta com especialista

 

Autor: Mariana Setubal

Atualizado em: 22/6/2020