Saracura

 

Com mais de 15 anos de atuação, O Grupo Saracura, organização que leva música a crianças, adultos e idosos internados em unidades de saúde da capital paulista, é o primeiro grupo do Brasil especializado em humanização hospitalar por meio da música. Aplicada aos cuidados da saúde e da experiência do paciente, atualmente, é considerado o único grupo a atuar com música em ambientes de saúde de alta complexidade de maneira especializada e totalmente alinhada às normas de segurança do paciente dos melhores selos de acreditação hospitalar.

Através do cancioneiro popular, com um repertório baseado em músicas tradicionais, os músicos cuidadores do Saracura levam ao hospital bem estar, harmonia e um leque enorme de emoções despertadas através da música ao vivo, estimulando ainda a integração entre pacientes, familiares e cuidadores, melhorando assim a experiência do paciente e dos colaboradores através da interação música e da promoção da humanização hospitalar.

O Grupo, que começou a se formar em 2003 tocando no Sabará Hospital Infantil, cresceu e ampliou sua estrutura, atendendo hoje com regularidade mais de 18 hospitais na capital paulista todas as semanas.

“Com a música, queremos garantir aos pacientes o acesso à cultura mesmo em períodos de confinamento, permitindo que sejam recebidos pelos hospitais como pessoas completas, capazes de superar um período difícil que enfrentam sem serem privadas de um universo de boas experiências e lembranças positivas do período de internação”, declara Daniel Zacharias, músico, regente e um dos fundadores do Saracura.

Os músicos cuidadores do Saracura atuam em duplas ou trios, remetendo ao comportamento da pequena ave Aramides saracura que sempre canta em duetos pelas manhãs. Neste formato, a distribuição da equipe é amparada por uma estrutura de produção dedicada, o que permite que o Saracura ofereça e realize visitas de segunda a segunda, nos hospitais parceiros atendidos.

“Está mais do que comprovado que o paciente sente-se mais confiante, mais envolvido, mais cuidado quando ele é visto e tratado como uma pessoa”, comenta Zacharias. “Acreditamos na força da música, e que ela toca as pessoas como poucas artes conseguem tocar, remetendo a momentos e sentimentos específicos de cada um.

O tratamento humanizado, personalizado, faz com que o quadro clínico tenha uma evolução satisfatória, já que alterações emocionais também afetam o aspecto fisiológico. Além disso, há um impacto positivo sobre a percepção da experiência geral da internação, facilitando, por exemplo, a aceitação aos procedimentos clínicos,  melhorando a relação entre profissionais da saúde/hospital e pacientes/familiares”, completa.

Para ser um integrante do time de saracuras, é preciso possuir formação profissional em música, participar de um processo de seleção e depois do treinamento de capacitação técnico-teórico do grupo, para, então, poder fazer parte da equipe de músicos cuidadores. “Com isso, contamos com uma equipe qualificada e devidamente preparada para promover as ações de humanização hospitalar”, explica Daniel.

O grupo atua em conformidade com as normas e protocolos de segurança do paciente e qualidade das entidades de acreditação hospitalar mais exigentes do Brasil e do mundo, como a Joint Commission International ® e a ONA (Organização Nacional de Acreditação). Desde treinamento até identificação, imunização e paramentação certificada dos músicos cuidadores da equipe, o Grupo Saracura preza em todas as etapas pelo absoluto rigor e respeito ao acolhimento e à segurança do paciente em harmonia com a excelência artística e a sensibilidade.

Saiba mais sobre o grupo Saracura

 

Autor: Equipe Sabará

Atualizado em: 30/9/2019