Não leve seu filho saudável ao Hospital

O título parece óbvio, afinal só precisamos levar nossos filhos doentes ao hospital. Mas aqui estamos falando das visitas e acompanhantes. De março a julho, acontece o pico das doenças respiratórias, quando o hospital fica mais cheio e há mais vírus circulando. Por isso, iniciamos uma campanha para orientar que crianças menores de 12 anos frequentem o ambiente hospitalar sem necessidade.

A política de visitantes criada para esta época de pico tem como objetivo proteger a criança saudável, para não contrair uma doença em ambiente hospitalar, e também proteger os pacientes, já que visitas podem trazer doenças de fora, mesmo que não apresentem sintomas. As pessoas podem começar a transmitir o vírus da gripe, por exemplo, até 24 horas antes de começar a ter sintomas. Por isso, a maneira mais segura de reduzir a chance de alguém involuntariamente trazer infecção para um hospital é limitar o número de visitantes.

“Para nós, a saúde e a segurança dos pacientes, dos familiares, dos visitantes e dos profissionais são extremamente importantes. Para manter um ambiente seguro, estabelecemos uma política para visitantes que equilibra as necessidades do paciente e da família com os benefícios de prevenção de infecção, diminuindo a exposição dos pacientes aos germes da comunidade, que podem ser trazidos pelos visitantes”, explica o Dr. Francisco Ivanildo de Oliveira Junior, Gerente do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar do Sabará Hospital Infantil.

Um hospital dos Estados Unidos pesquisou e comprovou: pacientes com visitas ilimitadas tinham 3,5 vezes mais risco de contrair doenças respiratórias no hospital do que os pacientes com visitas limitadas.*

Diretrizes para visitação

A política de visitas, neste período de pico, fica assim: são permitidos dois adultos por vez (além dos pais ou responsáveis), das 9h às 21h. Será permitida a presença de até quatro adultos por apartamento simultaneamente, isto é, os pais/responsáveis e mais dois visitantes. Após as 21h, será permitida a presença de um acompanhante.

Em relação às crianças, solicitamos que menores de 12 anos não façam visitas na Unidade de Internação e UTI e recomendamos que não sejam venham como acompanhantes ao Pronto-Socorro, ao Centro Diagnóstico e às consultas nos Centros de Excelência.

As crianças têm um sistema imunológico mais imaturo. Muitas vezes, não tomaram todas as vacinas necessárias ou ainda não tiveram contato com determinadas doenças, tornando-se mais vulneráveis. Por isso, recomendamos que só venham ao hospital as crianças que necessitarem de cuidados médicos.

 

Orientações aos visitantes

Os visitantes precisam estar saudáveis – sem febre, tosse, coriza ou outros sintomas de gripes ou resfriados, bem como conjuntivite e sintomas de doenças gastrintestinais, como diarreia e vômitos. Atenção: mesmo que não tenha sintomas, se o visitante mora ou teve contato com alguém que está doente, não deve ir ao hospital, pois pode estar no período de incubação destas infecções.

Higienize as mãos logo que chegar ao hospital e depois de visitar o paciente.

Observe as indicações nas portas dos apartamentos antes de entrar. Se houver indicação de precaução (uso de máscara ou avental), procure o enfermeiro da unidade para receber orientação.

Pessoas que foram expostas a doenças contagiosas como a varicela (catapora) devem evitar visitar o hospital, pois podem começar a transmitir esta doença alguns dias antes do aparecimento das lesões de pele.

Verifique se a sua vacinação está em dia. Nesta época do ano é fundamental a vacina de influenza, mas outras vacinas também precisam de doses de reforço na idade adulta.

Não traga flores ou plantas, pois estas podem conter fungos e bactérias potencialmente perigosos para os pacientes com imunidade reduzida.

Não traga alimentos sem consultar a equipe médica e de nutrição.

Autor: Mariana Setubal

Atualizado em: 07/5/2019