Suporte para os momentos difíceis

Entende-se Cuidados Paliativos como o tratamento que visa melhorar a qualidade de vida dos pacientes e seus familiares diante dos problemas associados a doenças ameaçadoras à continuidade da vida, numa habilidade que implica no cuidado de uma equipe multiprofissional para lidar com o enfrentamento da doença e todas as mudanças implicadas e impostas pelo curso de sua evolução.

Dentro da Pediatria, na vigência de uma doença aguda ou crônica que ameace a vida, a abordagem paliativista pode e deve ser adotada mesmo quando existe o tratamento curativo. “É importante salientar que os pressupostos que postulam o controle da dor e demais sintomas, bem como a atenção individualizada e integral ao paciente não são intervenções exclusivas e reservadas à equipe de Cuidados Paliativos”, destaca Denise Lopes Madureira, coordenadora de equipe de cuidados paliativos do Sabará Hospital Infantil, grupo este composto por médicos intensivistas, médico paliativista, enfermagem, fisioterapia, fonoaudiologia, psicologia, nutrição e farmácia.

 

Acionar a equipe

O programa de Cuidados Paliativos pode ter início desde o momento em que a doença é diagnosticada e pode continuar independente da opção pelo tratamento ser ou não voltado à doença em si, lembrando que a abordagem paliativista prevê o cuidado total das necessidades da criança e familiares diante do enfrentamento da sua condição. Quanto mais cedo for feito o encaminhamento para a equipe, maiores serão as chances de atuação e melhores serão as condições do cuidado total a ser oferecido à criança e familiares.

Conforme Denise Madureira, o serviço de Cuidados Paliativos no Sabará tem como objetivo ampliar os cuidados para o bem-estar físico, emocional, social, familiar e espiritual do paciente, aumentando o conforto físico durante as trajetórias de doenças dos pacientes, fornecendo alívio para dor e outros sintomas estressantes. “Parte desse trabalho está em implementar uma coordenação integral do cuidar, com a equipe interdisciplinar atuando em todos os contextos onde os cuidados paliativos são oferecidos”, salientou a coordenadora.

 

Cuidados Paliativos

As condições para uma criança entrar em cuidados paliativos são: quando a cura é possível, mas pode falhar, em casos como câncer avançado, progressivo ou de mau prognóstico, ou cardiopatias congênitas ou adquiridas complexas; em condições que requerem tratamento complexo e prolongado, como HIV/Aids, fibrose cística, anemia falciforme e insuficiência renal crônica, entre outros; condições em que o tratamento é apenas paliativo desde o diagnóstico, como doenças metabólicas progressivas e algumas anormalidades cromossômicas como trissomias do 13 e do 18; e condições incapacitantes graves e não progressivas, como paralisia cerebral grave, prematuridade extrema,  sequelas neurológicas graves de infecções, entre outros. Todos os casos que envolvem pacientes do Sabará Hospital Infantil são semanalmente discutidos entre a equipe de Cuidados Paliativos.

Saiba mais sobre os Cuidados Paliativos em pediatria aqui.

Autor: Roberto Lima

Atualizado em: 11/10/2018