Semana do Aleitamento Materno: conheça as dúvidas mais comuns

 

O Sabará Hospital Infantil conta com profissionais comprometidos com a promoção e apoio do aleitamento materno. A efetividade da amamentação depende de uma ampla rede composta por familiares, membros das equipes de saúde e da sociedade como um todo. Segundo a coordenadora da equipe de Fonoaudiologia do Sabará, Denise Madureira, “na medida em que instrumentalizamos e conscientizamos a todos da importância de promover e apoiar o aleitamento materno, criamos as oportunidades para garantir a confiança e a opção pela principal fonte de alimentação do bebê, especialmente nos primeiros meses de vida”.

Saiba quais são as dúvidas mais comuns entre as lactantes: 

Qual a dieta mais recomendada durante a amamentação?

Não existe um cardápio pré-determinado. O ideal é que a mãe se alimente da maneira mais saudável possível, tendo em vista que uma boa fonte de nutrientes favorecerá a introdução alimentar no futuro.

Por quanto tempo devo amamentar a criança?

A Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde recomendam a amamentação exclusiva por seis meses. As mães que precisarem voltar ao trabalho antes desse tempo, podem ordenhar o leite para que seja ofertado em utensílio de desejo da família.

Por que sinto meu peito encher enquanto ele está mamando?

Isso acontece porque a maior parte do leite é produzido enquanto a criança está sugando no peito.

Meu leite é suficiente?

O leite materno se adapta e supre todas necessidades da criança.

Quanto tempo dura cada mamada? Preciso trocar de mama?

O ideal é que a criança esvazie toda a mama para garantir que seja beneficiada de todas as qualidades desse leite e, após isso, seja ofertada a outra mama se for necessário.

Prótese de silicone nos seios atrapalha o aleitamento?

Em geral, as próteses não interferem nesse processo porque são colocadas abaixo da glândula mamária ou atrás do músculo peitoral. Nessa posição, não influenciam a produção de leite.

Confira o que pode ser prejudicial à amamentação:

  • Complementação com fórmula sem indicação de um especialista.
  • Uso de bicos intermediários sem recomendação adequada.
  • Utilizar medicações por conta própria.
  • Ingerir bebidas alcoólicas.
  • Pega inadequada.

Saiba mais sobre amamentação aqui.

Autor: Equipe de Fonoaudiologia do Sabará Hospital Infantil

 

Autor: Vanila Pontes

Atualizado em: 05/8/2019