Pode fazer cirurgia logo após tomar vacina?

Um procedimento cirúrgico/anestésico envolve uma série de preparativos, como o jejum e a avaliação médica, para garantir a sua segurança. Assim como uma febre ou uma virose podem levar ao cancelamento de uma cirurgia agendada, a vacinação alguns dias antes do procedimento também pode ser motivo para adiá-lo.

Uma das razões é a resposta inflamatória sistêmica que ocorre após a aplicação de uma vacina, que pode dificultar a interpretação de febre e outros sintomas, podendo ser confundida com complicações pós-operatórias.

Além disso, existe possibilidade de redução da eficácia de vacinas aplicadas próximas à data do procedimento.

Mesmo não havendo registro de complicações anestésicas ou cirúrgicas graves, devido aos potenciais riscos recomenda-se um intervalo mínimo entre a aplicação da vacina e a realização de um procedimento.

A decisão de cancelar ou adiar a cirurgia devido à vacinação será tomada de forma conjunta entre cirurgião e anestesista, considerando os potenciais riscos e benefícios.

Veja na tabela abaixo o intervalo recomendado para realização de procedimento cirúrgico após a vacinação:

Vacinas Reações adversas Intervalo para procedimento após aplicação da vacina
Atenuada BCG

Rotavírus

Febre amarela

Poliomielite (oral)

Tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola)

Tetra viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela)

Varicela (catapora)

Dengue

Aparecem entre 7 e 20 dias após a vacinação 20 dias
Inativada Poliomielite (injetável)

DTP ou DTP acelular (difteria, tétano e coqueluche)

Haemophilus tipo B

Hepatite B

Pneumocócica

Meningocócica

Influenza (gripe)

Hepatite A

HPV

Raiva

Habitualmente nas primeiras 48 horas após a vacinação 7      dias

 

Autor: Mariana Setubal

Atualizado em: 04/10/2018