Vacina da gripe será disponibilizada a partir de abril - Hospital Sabará
Vacina da gripe será disponibilizada a partir de abril
Segurança e bem-estar

Vacina da gripe será disponibilizada a partir de abril

A vacina trivalente será oferecida no Sistema Único de Saúde (SUS) a partir do dia 10 de abril e protegerá contra os vírus influenza A H1N1 e H3N2 e influenza do tipo B Victoria. No estado do Amazonas a campanha foi antecipada e já ocorre desde o dia 20 de março, devido aos mais de 100 casos de H1N1 registrados em 2019, com 28 mortes.

A campanha começará com grupos prioritários, que receberão a vacina gratuitamente de 10 a 22 de abril, e incluem crianças de 6 meses a 5 anos de idade, gestantes e puérperas (mulheres que tiveram filho a menos de dois meses). Depois dessa data, todo o público-alvo pode se vacinar: além dos grupos prioritários já citados, também estão inclusos maiores de 60 anos, profissionais de saúde, pessoas com doenças crônicas, população indígena, pessoas privadas de liberdade, professores e trabalhadores do sistema prisional.

Na rede particular, a vacina já está disponível. Neste caso, é oferecida também a vacina tetravalente, que protege contra os mesmos grupos da trivalente e ainda o tipo B Yamagata.

Vacina todo ano

Mesmo quem tomou a vacina contra gripe nos anos anteriores, deve tomar novamente. Isso é importante pois o vírus influenza sofre mutações constantes e as vacinas são elaboradas pensando nos subtipos com maior probabilidade de circular nos próximos meses.

A gripe pode ter consequências sérias, como pneumonia e mesmo a morte. A recomendação da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIM) é que todas as pessoas a partir dos 6 meses de idade devem receber a vacina. Na primeira vez em que a criança receber a vacina, serão necessárias duas doses com intervalo de um mês (primovacinação). Daí em diante, a vacina é anual.

Além de proteger de complicações graves, a vacina é muito segura. As únicas precauções são adiar por alguns dias a vacinação em crianças que estejam com doença febril, para não confundir manifestações da doença com efeito colateral da vacina, além de avaliação médica criteriosa em caso de reação anafilática após dose anterior a componentes da vacina. Crianças que tiveram história de alergia grave após ingestão de ovo, podem receber a vacina, desde que estejam em local com condições de tratar uma eventual condição alérgica grave. A ocorrência de Síndrome de Guillain Barré até 30 dias após dose anterior da vacina também deve ser objeto de avaliação médica antes da indicação de nova dose.

Tags: gripe, vacina, vacinação, influenza, h1n1, h3n2

Open chat
Cuidador Virtual