Visão geral

Função

A Fisioterapia Pediátrica e Neonatal é a área que atende apenas recém-nascidos, bebês, crianças e adolescentes até os 18 anos de idade. Essa área atua especificamente na prevenção e tratamento de distúrbios que podem afetar o desenvolvimento infantil. Utiliza uma abordagem com base em técnicas neurológicas, motoras e cardiorrespiratórias especializadas, buscando integrar os objetivos fisioterápicos com atividades dinâmicas e sociais.

Os principais objetivos no Hospital são os de minimizar os efeitos da imobilidade no leito, prevenir e tratar as complicações respiratórias e neurológicas, e promover uma maior integração sensória, motora e cognitiva dos pequenos pacientes.

 

Equipe

O setor de Fisioterapia do Sabará Hospital Infantil é conduzido pela Fisiokids, empresa qualificada e especializada em assistência fisioterapêutica pediátrica e neonatal. Tem como diferencial uma equipe de fisioterapeutas especialistas em pediatria, totalmente adaptados e integrados com esta população específica. Profissionais experientes e aptos para atender crianças e adolescentes com excelência, de forma humanizada e lúdica.

A equipe é composta atualmente de 51 fisioterapeutas, três supervisoras e duas coordenadoras.

 

Distribuição

No Sabará, os fisioterapeutas estão disponíveis durante o dia e à noite, atuando nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) durante 24 horas. Nas Unidades de Internação, há profissionais da equipe de segunda a sexta-feira até a meia-noite. Caso necessário, os fisioterapeutas da UTI poderão atender pacientes da Unidade de Internação durante a madrugada. Anualmente, nos períodos de grande demanda, a equipe atua também no Pronto-Socorro.

 

Especialidades

Fisioterapia Respiratória


São muito utilizadas em unidades hospitalares, consultórios e em domicílio como tratamento coadjuvante de doenças pulmonares. É indicada, de uma maneira geral, para os quadros em que o bebê ou a criança apresenta algum tipo de desconforto respiratório, como cansaço, tosse, falta de ar, normalmente causado por doenças como asma, bronquiolites e pneumonias, ou mesmo uma gripe mais forte, que ocasiona um acúmulo de secreção que a criança normalmente não consegue eliminar sozinha.

Os exercícios respiratórios são compostos por técnicas manuais, posturais e cinéticas que podem ser  aplicadas isoladamente ou em associação a outras técnicas com os objetivos de:  

  • Mobilizar e eliminar as secreções pulmonares;
  • Melhorar a ventilação, oxigenação e trocas gasosas;
  • Promover a reexpansão pulmonar quando necessário;
  • Diminuir o trabalho respiratório;
  • Aumentar a mobilidade torácica e a força muscular respiratória;
  • Reeducar a musculatura respiratória;
  • Prevenir complicações pré e pós-cirúrgicas;
  • Diminuir o tempo de internação hospitalar.


Fisioterapia Motora

Utilizada mais frequentemente para tratar ou prevenir casos de fraturas, torsões ou pé torto congênito, a fisioterapia motora também pode ser prescrita em casos de prolongado tempo de internação; imobilização no leito, alterações de postura; comprometimento da resistência cardiovascular; contraturas articulares; diminuição da força muscular, prevenção de úlceras de pressão, entre outras.

A terapia pode ser feita com exercícios passivos, ativo-assistido, ativos livres e ativos resistidos.

 

Fisioterapia Neurológica

Tem como objetivo analisar os déficits neurológicos e determinar o tratamento adequado para cada paciente. As crianças com distúrbios neurológicos podem apresentar alterações de movimentos, alterações sensoriais, cognitivas, além de fraqueza e atrofia muscular. A fisioterapia atua em diversas síndromes e patologias neurológicas, reabilitando e prevenindo as possíveis sequelas. A avaliação precoce de um fisioterapeuta especializado é essencial para que a criança possa iniciar o tratamento o mais cedo possível, visando assim uma recuperação mais rápida e um menor tempo de internação hospitalar.

 

Formação da equipe

Todos os nossos fisioterapeutas possuem pós-graduação e são experientes no cuidado infantil. No Sabará Hospital Infantil, após uma avaliação cuidadosa de cada caso, os atendimentos são realizados de acordo com a idade e a necessidade do paciente, de maneira lúdica e criativa. A equipe tem como diferencial ser formada por fisioterapeutas especializados em Pediatria, totalmente adaptada e integrada com esta população específica. 

Os profissionais passam por uma criteriosa seleção antes de entrar no time de fisioterapeutas do Sabará. São três etapas de seleção, que incluem análise de currículos, prova e entrevista, além de um treinamento.

Relação com outros profissionais

A equipe multiprofissional trabalha em prol de um único objetivo. A Fisioterapia e os diferentes profissionais trabalham em conjunto de uma maneira objetiva, visando atender a necessidade real do paciente e de seus familiares naquele momento ou caso específico. Acreditamos que essa estrutura multidisciplinar é necessária e é a melhor forma de oferecer cuidado, conforto e segurança aos nossos pacientes.

Conheça o time

A equipe conta com 51 fisioterapeutas, 3 supervisoras e 2 coordenadoras. As coordenadoras atuam no Hospital há 8 anos, as supervisoras atuam no Hospital de 6 a 8 anos e os demais fisioterapeutas estão há mais de 4 anos no Sabará. Todos da equipe são pós-graduados.

Para identificação dos fisioterapeutas, todos usam como uniforme um pijama cor-de-rosa.

 

Fisioterapia nos andares

Unidade de Internação

Nas Unidades de Internação, atuam diariamente 5 a 7 fisioterapeutas por andar, divididos em 3 turnos das 07h às 0h.

  • Supervisora de Unidade de Internação: Priscilla Pizzini

Graduada pela Universidade Cidade de São Paulo; pós- graduada em Clínica Médica pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP); com MBA em Gestão da Qualidade em Saúde e Acreditação – Consórcio Brasileiro de Acreditação.

UTI

Nas UTIs, atuam 3 fisioterapeutas por turno (manhã, tarde e noite) diariamente durante 24 horas.

  • Supervisora da UTI: Bibiane Bispo

Fisioterapeuta graduada pela Universidade Mogi das Cruzes; pós-graduada em fisioterapia pediátrica e neonatal pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP); e pós-graduada em Gestão de Saúde pelo Senac.

 

Coordenação

 

Lilian Hayashida Peris

Graduada pelo Centro Universitário São Camilo; com pós- graduação em Fisioterapia Pediátrica e Neonatal pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP); com MBA em Gestão Estratégica de Pessoas pela UNIP.

 

Soraia Libório Cabó

Graduada em Fisioterapia pela Universidade de Fortaleza- UNIFOR (2007); pós-graduada em Fisioterapia Pediátrica e Neonatal e em Fisioterapia em Emergências e Terapia Intensiva Pediátrica pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP); Mestre em Ciências da Saúde pela UNIFESP.

Qualidade e segurança

A equipe participa ativamente de indicadores de segurança do Hospital como o indicador de PAV (Pneumonia associada à Ventilação Pulmonar mecânica) e o indicador de extubação acidental. Juntamente com a equipe multiprofissional, trabalha para manter os indicadores adequados para o maior conforto e segurança do paciente.

  • Indicador de PAV (Pneumonia associada à Ventilação Pulmonar mecânica):

A PAV é uma infecção pulmonar que surge entre 48h a 72h após a intubação intratraqueal e é uma das infecções mais frequentes em UTI. Um conjunto de medidas (bundle) é realizado em conjunto com a equipe multiprofissional (médicos e enfermagem) diariamente para prevenir ou diminuir a taxa desse tipo de infecção nas UTIs do Sabará Hospital Infantil, com sucesso.

São elas:

  • Realizar higiene das mãos ANTES e APÓS manipular artigos contaminados e contato com paciente;
  • Uso obrigatório de paramentação correta e completa em leitos com isolamento;
  • Uso obrigatório de antisséptico oral em todos os pacientes intubados;
  • Manter a cabeceira do leito elevada entre 30 e 45 graus a fim de evitar acúmulo de secreção subglótica;
  • Diminuição da sedação o quanto antes, sempre que possível;
  • Verificar 3 vezes ao dia a pressão do balonete (cuff) para evitar de microaspirações da secreção subglótica;
  • Retirar água condensada do circuito de VPM sempre que necessário;
  • Trocar o filtro HME e os circuitos dos respiradores nas datas corretas;
  • Controle obrigatório da glicemia e profilaxia diária de úlceras de estresse.

Essas medidas e todo o empenho das equipes ajudam a diminuir ou zerar nossas taxas de PAV e deixá-las bem abaixo do limite de 8, como podemos ver no gráfico abaixo.

 

  • Indicador de extubação não planejada

A extubação acidental ou não planejada é entendida como a retirada inadvertida e não intencional do dispositivo ventilatório¹ e caracterizada como um evento adverso do cuidado. Quando ocorre, pode ocasionar aumento da morbidade e mortalidade, aumento do tempo de ventilação mecânica e consequentemente maior tempo de internação. Sendo assim, quando menor o índice, melhor.

A equipe multiprofissional do Sabará sempre monitora e atua fortemente em conjunto para evitar esse tipo de evento adverso.

Referências

  1. YakoY. Manual de procedimentos invasivo realizados no CTI – Atuação das Enfermeiras. Rio de Janeiro: Medsi; 2000.

 

Satisfação dos clientes

Mensalmente é entregue para os clientes, pais e cuidadores uma ficha de avaliação e, a partir daí, é analisada a satisfação do cliente.

 

Alguns elogios e agradecimentos dos pacientes:

“Gostaria de elogiar o atendimento da fisioterapeuta Dra. Pamela, pois mesmo pertencendo a uma ótima equipe, se destaca pela proatividade, pelo conhecimento, elevado carinho e pela força de vontade em descobrir e dar suporte ao tratamento necessário. Com grande prazer que elogio sua conduta.  Obrigada!” Juliana (mãe) e Felipe

“Excelente trabalho! Minha filha nunca teve uma resposta tão rápida após fisioterapia, participou do protocolo da Asma e o trabalho da equipe a ajudou a sair do oxigênio muito mais rápido, muito obrigada!” Renata (mãe)

Fisioterapia em números

A fisioterapia atua diariamente durante 17 horas nas enfermarias e por 24 horas nas UTIs, dividindo os atendimentos em três turnos: manhã, tarde e noturno/noitinha.

Até o mês de novembro de 2016, foram aproximadamente 57.235 horas trabalhadas.

Média mensal de atendimentos foi de 5.238 nas UTIS e UIs no ano de 2016, atingindo mais de 6000 atendimentos por mês nos meses de abril a junho.

*Dados até novembro de 2016

Informativos para os pais

Fisioterapia respiratória – como você pode colaborar em casa

A fisioterapia respiratória pediátrica deve ser realizada sempre por profissionais especialistas e experientes em pediatria, porém o envolvimento dos pais é fundamental para o sucesso da terapia, principalmente quando os pacientes requerem um maior tempo de tratamento.

Leia também: o que é fisioterapia respiratória

Os pais podem participar ativamente incentivando a criança a realizar os exercícios durante a terapia e auxiliando na realização dos procedimentos orientados pelo fisioterapeuta antes ou após a terapia.

Abaixo algumas dicas de como ajudar:

  • Nunca deixe de realizar as inalações prescritas pelo médico ou fisioterapeuta no horário indicado! As inalações ajudam a fluidificar as secreções presas nas vias aéreas da criança e melhora a respiração.
  • Após a inalação, estimule a tosse do seu bebê/ criança para que a secreção saia das vias aéreas e seja deglutida ou expectorada. Isso é muito importante!
  • Sempre lave o nariz do seu bebê com soro fisiológico ou realize a técnica de DRRi ensinada pelo seu fisioterapeuta. Ajude a sua criança mais velha a lavar o nariz e estimule esse hábito todos os dias. O clima da nossa região contribui para o acúmulo de secreções nas vias aéreas (nariz e seios nasais), principalmente durante o inverno.
  • Deixe o sol entrar! Ambientes fechados e abafados proporcionam a proliferação de vírus!
  • Os brinquedos devem ser lavados com água corrente ou álcool sempre após o uso, principalmente aqueles que são levados à boca, e as roupas de cama devem ser trocadas diariamente nas épocas de crises.

A criança precisa ser conscientizada, sempre que possível, da importância da reeducação respiratória, da tosse e do controle de suas crises, principalmente aquelas que tem asma ou alguma doença respiratória crônica.

E nunca esqueça da continuidade do tratamento indicado pelo pediatra ou fisioterapeuta responsável pela criança. A reavaliação, mesmo depois das crises, é essencial e muito importante para o sucesso da terapia!

 

Veja aqui as orientações do Serviço de Fisioterapia sobre a alta

Histórias marcantes

“Durante a minha gestação, descobrimos que o Theo tinha um probleminha no coração, que estava sendo causado por conta de uma malformação pulmonar. Quando ele nasceu, de 33 semanas, fez uma pneumectomia (retirada de um pulmão). Ficamos 3 meses e 10 dias na UTI do Sabará. Como ele não tem um pulmão, a fisioterapia respiratória é muito importante. Graças a Deus o Hospital aqui é muito bom, a gente fica o tempo todo acompanhando a criança. Eu e o meu marido ficávamos olhando e se a gente percebia qualquer necessidade, a gente acionava a fisioterapia fora dos períodos que a médica prescrevia. Normalmente a criança faz 4 sessões de fisio por dia. O Theo precisava de mais, fazia a cada duas horas, inclusive de madrugada. A fisioterapia foi a vida do Theo, foi fundamental para a sobrevivência dele. Hoje ele está na Unidade de Internação e também faz a fisio motora, para sustentar melhor o pescoço e interagir melhor, já que ficou muito tempo acamado.” Samara Antonieta de Oliveira Santos, mãe do Theo

 

Compartilhe também a sua história sobre o serviço de Fisioterapia no Sabará Hospital Infantil:




Condições e tratamentos

Principais doenças em que a fisioterapia atua:

Informações para profissionais

Artigos interessantes

Veja alguns artigos sobre fisioterapia respiratória selecionados pela coordenadora do serviço de fisioterapia do Sabará Hospital Infantil, Soraia Libório:

Brinquedo terapêutico na fisioterapia respiratória em pediatria: uma revisão sistemática

Humanização da assistência de fisioterapia em Unidade de Terapia Intensiva pediátrica e neonatal

Desenvolvimento da caixa torácica e suas implicações na respiração de crianças típicas e com paralisia cerebral: revisão de literatura

I recomendação brasileira de fisioterapia respiratória em Unidade de Terapia Intensiva pediátrica e neonatal

Cirurgia cardíaca pediátrica: o que esperar da intervenção fisioterapêutica?

Processo de seleção

Para a contratação de novos fisioterapeutas para o Sabará Hospital Infantil, a Fisiokids realiza a seleção em três etapas:

1ª etapa

Seleção de currículos recebidos por meio de site de empregos, e-mail ou indicações dos profissionais que já trabalham no Hospital. Quesitos avaliados:

  • Graduação em Fisioterapia concluída;
  • Pós-graduação, que pode ser em Fisioterapia Pediátrica/Neonatal; Fisioterapia Respiratória; Fisioterapia Cardiorrespiratória; Unidade de Terapia Intensiva; Clínica Médica com Experiência em Pediatria/Neonatologia; e
    Aprimoramento/Aperfeiçoamento em Fisioterapia Pediátrica/Neonatal.

2ª etapa

Prova de múltipla escolha com questões referentes à Pediatria e Fisioterapia Pediátrica e entrevista para análise das experiências profissionais e do perfil do candidato (comunicação, postura e conhecimentos específicos sobre a área de Pediatria).

3ª etapa

Seleção de candidatos e treinamento

Autor: Equipe Sabará

Atualizado em: 06/10/2017