Laboratório do Sabará tem baixo índice de recoleta

O Sabará Hospital Infantil está entre os hospitais com melhores índices de recoleta de exames de sangue de todo o grupo DASA: em agosto esse índice chegou a 0,88%, o menor de 2018.

O Laboratório Delboni Auriemo, do Grupo DASA, é responsável pelas análises clínicas do Hospital e vem tomando diversas medidas para que esse indicador caia constantemente. A principal delas é o treinamento realizado em parceria com o Instituto PENSI aos enfermeiros e técnicos de enfermagem do hospital, a fim de capacitá-los continuamente para a melhor forma de coleta. São dois tipos de treinamento: mensal para os novos cuidadores e trimestral para toda a equipe de enfermagem, focado na melhoria contínua.

“Só conseguimos ter bons indicadores quando temos parceria com o hospital. Por isso, bolamos junto com o Instituto PENSI os treinamentos e vimos despencar o índice de recoleta”, explica Ana Maria Saturnina, biomédica coordenadora do Delboni Auriemo no Sabará. Além disso, ela explica que todos os profissionais do laboratório que atuam no Hospital têm experiência acumulada, preferencialmente em pediatria.

A recoleta de um exame é definida como uma nova punção para a retirada de sangue, depois que a primeira coleta não foi eficaz, por diversos motivos, como coagulação, hemólise. Estes problemas acontecem no momento da coleta, pela dificuldade inerente à situação do paciente. Daí a importância de treinamento constante da equipe para não ocorrerem erros no momento da coleta.

Para não ocorrer coagulação da amostra nos casos de tubos com anticoagulante, por exemplo, o profissional que realiza a coleta deve virar o recipiente para um lado e para o outro cuidadosamente, a fim de misturar o sangue com o produto anticoagulante do frasco.

O índice de recoleta em bebês e crianças geralmente é maior do que o índice dos serviços que atendem adultos, porque o acesso na pediatria é mais difícil, com menor calibre da veia e menor fluxo de sangue. Especialmente se a criança está febril ou desidratada, quando o aceso se torna ainda mais complicado. Apesar disso, o Sabará apresenta índices melhores do que muitos hospitais não pediátricos, que chegam a ter média de 2% a 3% de recoleta. A tolerância no Sabará é de até 0,95%.

Referências:

  1. Recomendações da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML): coleta e preparo da amostra biológica. – Barueri, SP : Manole : Minha Editora, 2014
  2. Qualidade na assistência laboratorial da SMS/SP. Certificação em qualidade das salas de coleta de exames / Glória Maria Ferreira Ribeiro. São Paulo, 2016.
  3. Resolução RDC n.º 20, de 10 de abril de 2014

Autor: Mariana Setubal

Atualizado em: 21/11/2018