Engasgo: quando é preocupante

O engasgo é um dos maiores temores dos pais. Acontece de uma hora para outra.

A palavra engasgo pode ser interpretada de duas formas: a primeira é quando um alimento não é devidamente mastigado e fica preso no esôfago, bloqueando o fluxo de ar por compressão traqueal através do esôfago. Na maioria das vezes, é resolvido com ingestão de líquidos.

A outra forma é quando o objeto ou alimento é aspirado, ou seja, inalado para a traquéia, o que é mais grave. “Os objetos que mais frequentemente causam aspiração para a traqueia são amendoim, milho, moeda, bexiga e pequenas peças que são colocadas na boca”, conta a Dra. Saramira Bohadana, otorrinolaringologista do Sabará.

Objetos pequenos, como grãos e sementes, geralmente ficam em um brônquio, ou seja, provocam obstrução apenas de um pulmão, situação que é menos grave pois não impede a criança de respirar. De qualquer forma, ela precisará passar por um procedimento para retirada do corpo estranho que é feito por broncoscopia. Objetos maiores, como bexiga, são mais perigosos, pois podem obstruir a traqueia e, consequentemente, os dois pulmões, impedindo a entrada de ar.

Os objetos mais perigosos são as baterias, que corroem a mucosa e podem perfurar. Estudos recentes apontam que a ingestão de mel pode ajudar nestes casos.

Quando não precisa se preocupar

Se houver tosse, quer dizer que a criança está respirando e o corpo está fazendo sua parte para expulsar o alimento. Nesse caso, ajude a criança oferecendo líquidos. Porém, se a tosse não cessar ou a respiração parecer difícil, procure ajuda médica.

Quando se preocupar

Se a criança não está respirando, não emite som e ainda se estiver ficando roxa, leve-a imediatamente ao pronto-socorro. Enquanto isso, procure fazer a manobra de Heimlich, veja um tutorial de como fazê-la aqui.

Autor: Mariana Setubal

Atualizado em: 03/3/2020