Conheça a história da menina que descobriu o que é acolhimento durante a internação no Sabará  - Hospital Sabará
Conheça a história da menina que descobriu o que é acolhimento durante a internação no Sabará 
Depoimento

Conheça a história da menina que descobriu o que é acolhimento durante a internação no Sabará 

Receber a notícia de que é necessário ficar no hospital para acompanhar algum problema de saúde, ou mesmo, para investigar determinados sintomas são situações que costumam gerar preocupações, medo e ansiedade. Não é fácil ficar longe de casa e mudar a rotina. Mas e quando toda essa experiência é vivida por uma criança?

 

O contexto de adoecimento na infância é um desafio para os nossos pequenos e também para as famílias. Na soma dos enfrentamentos, ainda é preciso lidar com a restrição de espaço e com as intervenções que podem ser necessárias durante a hospitalização. No texto de hoje, vamos contar a história de uma menininha de 6 anos que descobriu o que é acolhimento, a partir da vivência hospitalar cercada de carinho, respeito e parceria entre sua família e profissionais de saúde. Um relato de uma mãe que nos emocionou e também reforça a importância de olhar a criança em sua integralidade. Se você quer entender melhor como é possível proporcionar um processo mais positivo para o seu filho nesses momentos, fique com a gente. Criança hospitalizada não se resume à doença!

 

A internação durante a infância 

 

Com dores na perna que foram aumentando ao longo dos meses, a pequena Iúna Carnasciali Muniz foi levada pelos pais para atendimento no pronto-socorro do Sabará. Após o resultado de alguns exames, veio, então, o pedido médico de internação para que o problema pudesse ser melhor investigado. A mãe da Iúna, Juliana Carvalho Carnasciali – mais conhecida como Julli Pop – artista, educadora infantil e idealizadora do projeto Mala Ateliê junto de Gui Rossil, ao saber da decisão, logo já se preocupou em organizar atividades lúdicas que pudessem entreter a filha no hospital. “Levei uma série de coisas já sabendo da dificuldade pra tentar deixar ela leve. Então, levei caderno de desenho, jogo de mico, jogo de Uno, música, aquarela. Uma série de coisas porque a gente não sabia o tempo que ia ter que ficar no hospital”, conta Carnasciali, que também tem uma rede de apoio essencial, composta pelo pai, padrasto, madrasta, avós e tias da Iúna, contribuindo para que o contexto afetivo aconteça. 

 

Porém, a mãe relata o quanto a prática de cuidados dos profissionais do Sabará, sempre pautada pela humanização, se somou às suas ações para que a experiência da Iúna durante a hospitalização fosse mais positiva: “E independentemente dos materiais que eu levei, veio o hospital com todo um acolhimento. Vão chegando lá pessoas além dos médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, outras pessoas do hospital que são da área que eles chamam de hospitalidade pra tentar fazer ali naquele momento da criança e da família o melhor possível”.

 

No Sabará acreditamos que o direito à infância precisa ser preservado em todos os lugares, inclusive no hospital. Mesmo afastadas das suas rotinas, é fundamental que as crianças sejam vistas a partir da sua integralidade, garantindo a elas escuta e oportunidades para vivenciar experiências fundamentais na infância, como o brincar. Nesse sentido, a humanização é um valor que perpassa todo o nosso hospital, desde a chegada do paciente e sua família até o momento da volta para casa. Para isso, temos o respeito à individualidade e à diversidade como pontos centrais.

 

“Mamãe, hoje eu entendi o que é acolhimento”

 

Antes de ser hospitalizada, Iúna passou por algumas experiências delicadas com a irmã Helena. Como a maioria dos irmãos e irmãs, hora se amam e hora querem espaço, como entender esses momentos? Diante das frustrações vividas na infância, ela tinha dificuldade em entender a escolha da irmã em não querer brincar com ela em determinados momentos. Carnasciali lembra que tentou intermediar a situação conversando com a filha para refletir o porquê Helena poderia não querer brincar e que Iúna pensasse em como acolher a irmã. Porém, a filha não conseguiu compreender naquela circunstância o que seria acolhimento. 

 

Durante os dias de internação no Sabará Hospital Infantil, a mãe conta que foi surpreendida por Iúna: “Lá para o terceiro, quarto dia no hospital, ela parou, olhou pra mim e falou: ‘Mamãe, hoje eu entendi o que é esse negócio aí de acolhimento. Isso é importante, né, eu estou me sentindo acolhida’”.

 

A mãe da pequena avalia que a sensação vivida pela filha foi fruto da combinação do seu cuidado em tornar os dias da Iúna mais leves com a própria infraestrutura do hospital pediátrico, que oferece um ambiente aconchegante para a criança, como diferentes variedades de luzes no quarto e ilustrações infantis nos seus corredores. Também fizeram parte dessa experiência as próprias ações do hospital que buscam minimizar o estresse diante da hospitalização, como a disponibilização de filmes infantis, livros e kits para desenhar e pintar. 

 

Porém, a mãe afirma que, especialmente, a forma de atendimento foi o grande diferencial para que a filha pudesse descobrir o que é ser acolhida. “A maioria das pessoas que entraram [no quarto] foram sempre  muito carinhosas e atenciosas, dando escuta pra criança e respeitando os tempos dela. E não só com ela. O tempo que eu fiquei na observação percebi o afeto a cada atendimento com as outras pessoas que passavam por ali. É uma maneira de trabalhar mesmo. Você vê a mesma conduta na maioria dos profissionais dentro do hospital”, relata Carnasciali. 

 

Equipe multidisciplinar no cuidado com a criança 

 

Ao longo da internação, a artista educadora também conta que se sentiu mais segura ao perceber a integração dos profissionais no cuidado com a filha. “Eu fiquei impressionada com a questão da equipe multidisciplinar. O tempo inteiro o oncologista falando com a ortopedista, que fala com a pediatra e com o infectologista. Todos ligados no mesmo assunto, todo mundo sabendo da situação. Eu achei isso incrível.” 

 

Nosso hospital conta com uma equipe de mais de 32 especialidades pediátricas. Na Unidade de Internação, temos profissionais experientes, voltados exclusivamente ao cuidado do paciente hospitalar. A equipe multiprofissional, com fisioterapeutas, nutricionistas, enfermeiros e médicos, garante a altíssima qualidade do atendimento às crianças internadas.

 

Os especialistas do nosso Centro de Excelência também estão disponíveis para atendimento via telemedicina, com os agendamentos feitos diretamente pelo nosso site. Se precisar, conte conosco!  

 

Criança protagonista do seu processo de cuidado 

 

Um dos pontos centrais da nossa abordagem de atendimento é ter sempre nosso pequeno paciente ativo e participando do seu tratamento. Na nossa sociedade, muitas vezes a criança é ignorada como ser social, não tendo espaço para expressar seus sentimentos. E, infelizmente, em um contexto de crianças hospitalizadas, isso pode ser ainda mais aprofundado.

 

Já no Sabará, além de tratar a doença, entendemos que é nosso papel dar aos pequenos oportunidades de brincar, expressar suas emoções e também de compreender o que está acontecendo com eles. Carnasciali fala como observou a atuação da nossa equipe ao dialogar com as crianças, sempre respeitando o nível de desenvolvimento delas: “Os próprios médicos entram, conversam com a criança, contam o que vai acontecer nos termos que a criança entende, perguntam pra criança se quer fazer alguma pergunta, se tem alguma dúvida. Todos. Então, por isso que eu disse que é conduta”.

 

Para auxiliar ainda mais nossos pequenos na compreensão de tratamentos e diagnósticos, contamos ainda com o Programa Child Life. No Brasil, somos o único hospital a incorporar esta especialidade nos tratamentos e cuidados oferecidos aos pacientes. O Child Life Specialist – um especialista hospitalar do desenvolvimento infantil – auxilia crianças internadas e seus familiares a lidar com o desafio da hospitalização. 

 

Os Child Life Specialists utilizam sempre do brincar para abrir canais de diálogo com a criança sobre o que vai acontecer. Iúna, que precisou passar por uma anestesia inalatória para a realização de um exame, recebeu a visita desses profissionais. A mãe da pequena compartilha como foi ter ajuda do Child Life Specialist no preparo para o exame: “Ela foi com uma boneca de pano para minha filha construir a boneca. Minha filha amou isso. Ela foi para o exame com a boneca. Ela acordou do exame abraçada na boneca, que estava com a máscara, ataduras, com tudo que vai envolver o processo da criança. Isso daí foi fundamental”.

 

À menina Iúna, nossos desejos de que ela sempre possa receber e levar acolhimento por onde for. 💙

 

Para conhecer mais sobre o nosso atendimento e ler outros conteúdos sobre saúde infantil, acesse:

 

Direito à infância: a importância da humanização no atendimento de crianças hospitalizadas

https://www.hospitalinfantilsabara.org.br/direito-a-infancia-a-importancia-da-humanizacao-no-atendimento-de-criancas-hospitalizadas/ 

 

Acolhimento e respeito: conheça práticas de humanização da enfermagem dentro da UTI Pediátrica

https://www.hospitalinfantilsabara.org.br/acolhimento-e-respeito-conheca-praticas-de-humanizacao-da-enfermagem-dentro-da-uti-pediatrica/?utm_source=redes%20sociais%20Sabar%C3%A1&utm_medium=redes%20sociais%20Sabar%C3%A1&utm_campaign=post%20org%C3%A2nico&ut

 

1ª UTI pediátrica privada do Brasil: uma revolução na saúde infantil que começou com o Sabará

https://www.hospitalinfantilsabara.org.br/1a-uti-pediatrica-privada-do-brasil-uma-revolucao-na-saude-infantil-que-comecou-com-o-sabara/?utm_source=redes+sociais&utm_medium=redes+sociais&utm_campaign=post+org%C3%A2nico&utm_content=1%C2%AA+UTI+pedi%C3%A1trica+privada+do+Brasil:+uma+revolu%C3%A7%C3%A3o+na+sa%C3%BAde+infantil+que+come%C3%A7ou+com+o+Sabar%C3%A1 

 

De consultas à procedimentos, Centro de Excelência em Alta Complexidade oferece todos os cuidados às crianças com doenças crônicas

https://www.hospitalinfantilsabara.org.br/de-consultas-a-procedimentos-centro-de-excelencia-em-alta-complexidade-oferece-todos-os-cuidados-as-criancas-com-doencas-cronicas/?utm_source=redes+sociais&utm_medium=redes+sociais&utm_campaign=post+org%C3%A2nico

 

Relações de afeto contribuem para o desenvolvimento emocional e intelectual das crianças

https://www.hospitalinfantilsabara.org.br/relacoes-de-afeto-contribuem-para-o-desenvolvimento-emocional-e-intelectual-das-criancas/?utm_source=redes+sociais&utm_medium=redes+sociais&utm_campaign=post+org%C3%A2nico&utm_content=Rela%C3%A7%C3%B5es+de+afeto+c 

 

Open chat
Cuidador Virtual