A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Z

Síncope

A síncope é uma súbita perda de consciência transitória decorrente de uma hipoperfusão cerebral global. Caracteriza-se por ser de curta duração, início rápido e recuperação completa espontânea.

Existe alta prevalência entre os 10 e os 30 anos de idade, sendo que o pico de incidência ocorre aos 15 anos, em 47% das mulheres e em 31% dos homens.

A síncope reflexa é a forma mais comum , seguida daquela secundária a problemas cardiovasculares.

A perda de consciência transitória (PCT) se divide em formas traumáticas e não traumáticas. As causas não traumáticas são síncope, crises epilépticas, pseudocrise psicogênica e outras.

Classificação

  1. Reflexa (mediada neuralmente)
    Decorre da dificuldade do reflexo cardiovascular em manter a circulação em resposta a estímulos, resultando em vasodilatação e bradicardia, evoluindo para queda da pressão sanguínea e queda da perfusão cerebral global.

    1. Vasovagal: mediada por distúrbios emocionais, medo, dor e estresse ortostático. Em geral, precedida por sintomas prodrômicos, como suor, palidez, náusea e sensação de calor.
    2. Situacional: tosse, espirro, estímulo gastrointestinal, pós-prandial, pós-exercício, miccional.
    3. Síncope do seio carotídeo, pela manipulação mecânica dessa região.
  2. Síncope decorrente de hipotensão ortostática (queda de pressão ao se levantar)
  3. Cardíaca

 

Autora: Dra. Conceição Campanario da Silva Pereira
Fonte: Baseado no texto da autora no livro Manual de Urgências e Emergências em Pediatria
Hospital Infantil Sabará – Ed. Sarvier



Diagnósticos

A avaliação diagnóstica é semelhante à realizada em adultos, e a síncope reflexa é também a mais comum, sendo raras as causas de arritmia cardíaca ou anomalias estruturais. Devem ser sempre considerados os diagnósticos diferenciais, como epilepsia e pseudocrise psicogênica. Estudo com crianças avaliadas em serviços de emergência da Bélgica, entre 1997 e 2005 (Massin et AL, 2007), com quadro de síncope, mostrou como causas cardíacas primárias para síncope a arritmia cardíaca, a disfunção de marca-passo e a síndrome do nodo sinusal. O ECG realizado ao exercício e o Holter proporcionaram informação adicional de alteração cardíaca em outros pacientes.

As condições específicas na infância precoce são descritas abaixo:

  1. Ataques de síncope reflexa ou crises de perda de fôlego pálido ou crise reflexa anóxica: desencadeados por estímulo, causando uma inibição cardíaca.
  2. Ataques de perda de consciência transitória, tipo de perda de fôlego, em que ocorre a perda da respiração na fase expiratória durante o choro, levando a cianose e perda de consciência.

Investigação

  • Anamnese: história familiar de síncope, história familiar de doenças cardíacas de condução elétrica
  • Exame físico
  • Eletrocardiograma
  • Tilt Test


Tratamento

O tratamento na criança é o mesmo que nos adultos, apesar de ainda não haver estudos tão bem desenhados nessa população.

  • Agentes farmacológicos
  • Medidas educacionais de treinamento