Fratura de Fêmur - Hospital Sabará
 
A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Z

Fratura de Fêmur

As fraturas de quadril, também conhecidas como fraturas do fêmur proximal, são muito menos comuns em crianças em comparação com os adultos, representando menos de 1% de todas as fraturas pediátricas. Sua importância não reside em sua frequência, mas com as complicações significativas que surgem a partir dessas lesões: necrose avascular, especialmente da cabeça femoral.

Faturas de quadril em pediatria são consideradas verdadeiras emergências cirúrgicas. Todas as lesões devem ser gerenciadas em caráter de urgência por um médico ortopedista, de preferência um ortopedista pediátrico.
Devem ser monitoradas, principalmente, crianças com antecedentes de queda ou trauma, dor e impossibilidade de deambular. Inicialmente, é preciso verificar as condições gerais e é também importante a pesquisa de espancamento ou maus tratos, especialmente nas crianças menores de 2 anos de idade.

A grande maioria das fraturas do fêmur é tratada incruentamente, com redução e gesso pelvipodálico (do pé até a cintura). Nas crianças maiores, acima dos 6 ou 7 anos até a adolescência, pode haver indicação de redução e fixação com hastes intramedulares, em procedimento cirúrgico.



Tratamento

O tratamento correto pode prevenir complicações ou problemas de fêmur a longo prazo. O tratamento depende da gravidade da fratura, mas pode incluir:

Cuidado inicial

Suporte adicional pode ser necessário para proteger, apoiar e manter o fêmur alinhado durante a recuperação. Medidas complementares podem incluir uma tala. Um andador ou muletas podem ser necessários para manter o peso da perna. O gesso é raramente usado, exceto em crianças pequenas. Algumas fraturas causam a separação dos fragmentos ósseos. O médico deve colocar os fragmentos de volta em seu lugar. Isso pode ser feito da seguinte maneira:
  • Sem cirurgia: você receberá anestesia para diminuir a dor enquanto o médico coloca os fragmentos de volta em seu lugar.
  • Com cirurgia: pregos, parafusos, placas ou uma haste podem ser necessários para recolocar os fragmentos e imobilizá-los.
Na maioria dos casos, a cirurgia é necessária para reparar uma fratura do fêmur. Os ossos das crianças ainda estão crescendo em uma área do osso chamada cartilagem de crescimento. Se a fratura afetou a placa de crescimento, a consulta com um especialista pode ser necessária. As lesões de cartilagem de crescimento devem ser controladas para garantir que o osso possa continuar a crescer como esperado.

Medicamentos

Medicamentos vendidos sem prescrição médica podem ser recomendados para aliviar a dor.

Descanso e Recuperação

O tempo de cicatrização varia de acordo com a idade e a saúde geral. Crianças e pessoas em melhor estado geral recuperam mais rapidamente. Em geral, leva entre 4 e 6 meses para um fêmur fraturado curar. Durante a recuperação, as atividades devem ser adaptadas, mas raramente é necessário um descanso completo. Gelo também pode ser aconselhado e perna levantada em repouso para ajudar com desconforto e inflamação. Sessões de fisioterapia ou terapia de reabilitação são usadas para melhorar a amplitude de movimento e fortalecer a perna.


Open chat
Cuidador Virtual