Febre Amarela - Hospital Sabará
 
A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Z

Febre Amarela

A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, transmitida por vetores artrópodes, que possui dois ciclos epidemiológicos distintos (silvestre e urbano).

Reveste-se da maior importância epidemiológica, por sua gravidade clínica e elevado potencial de disseminação em áreas urbanas. É encontrada nas regiões tropicais da África e América do Sul. Na África, onde tem maior disseminação, é endêmica em 34 países. Na América do Sul, nos últimos 20 anos, sua ocorrência tem sido registrada em 9 países: Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana Francesa, Paraguai, Peru, Venezuela e Argentina.

A doença tem caráter sazonal, ocorrendo com maior frequência entre os meses de janeiro a abril, quando fatores ambientais propiciam o aumento da densidade vetorial. No Brasil, no período de 1990 a 2010, ocorreram 587 casos, com 259 óbitos. O maior número de registros (n=104) aconteceu em Minas Gerais (18%), seguido de Maranhão (n=90), Goiás (n=88), Pará (n=84) e Amazonas (n=43).

Dependendo da gravidade, a pessoa pode sentir febre, dor de cabeça, calafrios, náuseas, vômito, dores no corpo, icterícia (a pele e os olhos ficam amarelos) e hemorragias (de gengivas, nariz, estômago, intestino e urinária).
Não existe medicamento para combater o vírus da febre amarela. O tratamento é apenas sintomático e requer cuidados na assistência ao paciente que, sob hospitalização, deve permanecer em repouso, com reposição de líquidos e das perdas sanguíneas, quando indicado. Nas formas graves, o paciente deve ser atendido em uma Unidade de Terapia Intensiva.

A única forma de evitar a febre amarela é a vacinação. A vacina é gratuita e está disponível nos postos de saúde em qualquer época do ano. É administrada em dose única a partir dos 9 meses de idade e é válida por 10 anos.

A vacina contra a febre amarela é recomendada apenas para pessoas que residem ou viajam para áreas de risco. É essencial lembrar que a doença apresenta altas taxas de letalidade e que a vacina deve ser administrada, no mínimo, 10 dias antes de o indivíduo viajar para as áreas de risco. Atualmente, muitas crianças e adolescentes são adeptos do ecoturismo e viajam para áreas de risco sem que estejam devidamente protegidos contra a febre amarela. Os pediatras devem estar atentos para orientar a população sobre os riscos dessa grave doença, que pode ser prevenida pela administração de uma vacina efetiva (> 95% proteção) e segura.



Tratamento

Atualmente, não há medicamentos ou tratamentos disponíveis especificamente para a febre amarela. No entanto, existem tratamentos que podem ser administrados em um hospital para aliviar alguns sintomas da febre amarela.

Hidratação

É importante que você mantenha seu corpo hidratado. Fluidos contendo eletrólitos podem ser administrados por via oral ou podem ser injetados através de uma veia para evitar a desidratação.

Métodos para reduzir a febre

Para diminuir a febre, podem ser administrados medicamentos para a febre ou para a água fria.

Diálise renal

Em casos de fase tóxica, a diálise pode ser necessária para ajudar os rins a filtrar os resíduos.
Mecanismo de diálise
Bomba de diálise

Direitos autorais © Nucleus Medical Media, Inc.

Transfusão de sangue

Nos casos da fase tóxica, uma transfusão pode ser necessária para substituir as células sangüíneas e os agentes coagulantes perdidos por sangramento.

Antibióticos para infecções secundárias

Combater a febre amarela pode fazer com que o sistema imunológico se torne temporariamente fraco. Um sistema imunológico fraco não pode se defender contra infecções bacterianas que normalmente poderiam neutralizar, de modo que as infecções ocorrem mais facilmente. Antibióticos podem ser administrados para combater infecções, caso ocorram. Os antibióticos não podem ser administrados para tratar a febre amarela porque a doença é um vírus e os vírus não respondem aos antibióticos.


Open chat
Cuidador Virtual