Botulismo - Hospital Sabará
 
A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Z

Botulismo

Doença neuroparalítica grave, não contagiosa, resultante da ação de uma potente toxina produzida pela bactéria Clostridium botulinum. Seus esporos são encontrados em solos e sedimentos de lagos e mares, além de produtos agrícolas, como legumes, vegetais e mel, e em intestinos de mamíferos, peixes e vísceras de crustáceos.
Há três formas de botulismo:

  1. Alimentar
  2. Por ferimentos
  3. Intestinal

Embora o local de produção da toxina botulínica seja diferente em cada uma delas, todas as formas caracterizam-se pelas manifestações neurológicas e/ou gastrintestinais.

O botulismo apresenta elevada letalidade e deve ser considerada uma emergência médica e de saúde pública.
Para minimizar o risco de vida e sequelas, é essencial que o diagnóstico seja feito rapidamente e que o tratamento seja instituído precocemente por meio das medidas gerais de suporte em regime de urgência.

O período de incubação é de algumas horas quando ingerida a toxina e alguns dias pelo contato em ferimentos. Os sintomas iniciais são náuseas, vômitos e cefaleia – que rapidamente evoluem para paralisia e alterações visuais.
O tratamento se dá com medidas de suporte e sintomáticas e aplicação de soro antibotulínico. Deve ser iniciado o mais precocemente possível.

Doença de distribuição universal, relacionada ao uso de produtos alimentícios preparados ou conservados por métodos que não destroem os esporos do C. botulinum, permitindo a formação de toxinas. No Brasil, os alimentos envolvidos em casos/surtos foram conservas caseiras de carne suína (“carne de lata”), palmito (caseiro/industrializado), patê (caseiro e industrializado), tortas salgadas comerciais e tofu (caseiro). Não se conhece a distribuição real do botulismo intestinal em crianças menores de 1 ano de idade, por ser entidade pouco reconhecida pelos médicos.

Autor:
Dr. José Luiz Setúbal
Fonte: Ministério da Saúde do Brasil



Tratamento

Cuidados de apoio

A complicação mais séria é a insuficiência respiratória. O tratamento é direcionado para manter o suprimento adequado de oxigênio, o que pode exigir um ventilador e monitoramento rigoroso em uma unidade de terapia intensiva. Você também pode precisar se alimentar através de um tubo.
Intubação para facilitar a respiração
Intubação para auxiliar a respiração

Direitos autorais © Nucleus Medical Media, Inc.

Antitoxina

Se o tratamento começar logo, uma antitoxina pode parar a expansão da paralisia e encurtar os sintomas. O anti-oxidante não pode reverter o processo da doença.

Métodos para eliminar a toxina

Métodos para eliminar a toxina incluem:
  • Enemas
  • Sucção do conteúdo estomacal
  • Medicamentos que causam vômito
  • Cirurgia para limpar a ferida
  • Antibióticos para tratar uma infecção da ferida


Open chat
Cuidador Virtual