Abdome Agudo Inflamatório dos Lactentes - Hospital Sabará
A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Z

Abdome Agudo Inflamatório dos Lactentes

As síndromes abdominais agudas inflamatórias são muito raras no lactente. Limita-se a alguns casos de enterocolite necrosante no lactente, a enterocolite do megacolo congênito e casos muito raros de perfuração espontânea da via biliar extra-hepática.

Perfuração intestinal secundária a gastroenterocolite aguda.

As manifestações inflamatórias da peritonite são mais evidentes que as de uma perfuração intestinal. Pode ser observada no RN, lactentes e imunodeprimidos em qualquer idade.

As causas mais comuns são por bactérias como a Yersinia enterocolitica, fungos como a Candida albicans e vírus como o citomegalovírus.

  1. Enterocolite necrosante do lactente
    É uma afecção atualmente rara, mas que ainda deve ser lembrada em lactentes desnutridos, que recebem aleitamento artificial exclusivo, vivendo em precárias condições higiênicas e sanitárias e portadores de diarreia crônica, podendo haver relação com uso de medicação obstipante ou antiespasmódica.
    O quadro clínico é de diarreia crônica, febre, distensão abdominal e anorexia, náuseas e vômitos e progressão dos vômitos, sugerindo uma semioclusão intestinal. Segue a evolução com sinais de irritação peritoneal, inclusive com o aparecimento de hiperemia da parede abdominal. Em casos extremos, pode evoluir para a perfuração intestinal e para o choque séptico, mesmo sem perfuração intestinal.
  2. Apendicite aguda
    Cerca de 3,0 % das apendicites ocorrem em lactentes.
    Deve ser lembrada face à presença de vômitos, febre e dor abdominal, normalmente acompanhada de diarreia. Existe nítida defesa à palpação na FID, difícil de ser verificada pela dificuldade do exame nesse grupo etário. Nesse sentido, é útil a sedação para a realização do exame físico.
    A ultrassonografia pode ajudar na confirmação diagnóstica.
    Normalmente, o diagnóstico e a indicação do tratamento cirúrgico podem ser feitos apenas pelos dados da história clínica e do exame físico.
  3. Perfuração espontânea da via biliar extra-hepática
    RN ou lactente com 2 a 3 meses de vida com quadro de icterícia de padrão obstrutivo, fezes hipocólicas ou acólicas. Pode haver febre, ao exame físico é detectado um plastrão palpável no hipocôndrio direito e que corresponde ao bloqueio por alças intestinais e epíplon da perfuração, que ocorre na junção do ducto hepático cístico com o colédoco. O ultrassom confirma o diagnóstico, demonstrando um pseudocisto junto ao hilo hepático.
    Constitui um dos principais diagnósticos diferenciais da atresia de vias biliares.

Autor: Dr. Sérgio Tomaz Schettini
Fonte: Baseado no texto do autor no livro Manual de Urgências e Emergências em Pediatria
Hospital Infantil Sabará – Ed. Sarvier