Especialista do Sabará Hospital Infantil esclarece as principais fakes news sobre higienização das mãos como prevenção do COVID-19 - Hospital Sabará
Especialista do Sabará Hospital Infantil esclarece as principais fakes news sobre higienização das mãos como prevenção do COVID-19
Notícias

Especialista do Sabará Hospital Infantil esclarece as principais fakes news sobre higienização das mãos como prevenção do COVID-19

No dia Mundial de Higiene das Mãos, 05 de maio, especialista do Sabará Hospital Infantil esclarece as principais fakes news sobre higienização das mãos como prevenção do COVID-19

 

Com a pandemia, higienizar as mãos com frequência para evitar a contaminação pelo Sars-Cov-2 está se tornando um hábito.

Assim como algumas pessoas ainda insistem em não usar máscaras ou usarem de maneira errada, tem muita gente que ainda não sabe a forma correta de limpar as mãos (seja lavando com água e sabão ou usando o álcool), além daquelas que insistem em acreditar em fake news das mais variadas para fugir da maneira certa. E, se o adulto insiste em não realizar essa tarefa simples corretamente, como será que as crianças estão agindo na hora de manter as mãos limpas?

O gerente médico e infectologista Dr. Francisco Ivanildo de Oliveira, do Sabará Hospital Infantil, explica que higienizar as mãos não evita apenas a contaminação do COVID-19, mas vários tipos de bactérias e vírus que possam estar alojadas em qualquer objeto.

“A higiene das mãos deve ser uma prioridade para a saúde de qualquer pessoa, principalmente para as crianças. Por meio das mãos, os vírus e bactérias podem entrar em contato com áreas importantes do rosto como boca, olhos, nariz, chegando às mucosas, podendo ocasionar doenças como infecções de garganta, conjuntivite, resfriados, diarreia e problemas mais graves com a Covid”, explica Dr. Francisco.

Para ajudar pais e responsáveis Dr. Francisco Oliveira desmistifica as fakes news e ensina como pais e responsáveis devem ensinar as crianças a higienização das mãos.

 

É exagero higienizar as mãos com água e sabão com frequência.

Fake. Associada ao distanciamento social e uso de máscaras, manter as mãos sempre limpas é considerada um dos principais métodos para evitar a contaminação pelo COVID-19 e outros tipos de infecções. Essa lavagem deve acontecer sempre que se usa transporte coletivo, em qualquer lugar onde circulam muitas pessoas, antes do preparo de alimentos e das refeições, depois de usar o banheiro, depois de chegar da escola ou descer do transporte escolar, antes e depois de entrar em contato com pessoas doentes, após espirrar ou tossir.

 

Só preciso limpar as mãos quando chegar em casa ou quando as mãos estiverem visivelmente sujas

Fake. Enquanto estiver na rua é importante higienizar as mãos com álcool em gel com frequência para que não seja infectado pelo Coronavírus ou outros microrganismos, mesmo se a mão não estiver com sujeira aparente.

Álcool em gel não é eficiente para a higienização das mãos

Fake. Circula nas redes sociais um vídeo de um homem que informa que o álcool gel não é uma forma eficiente de higienizar a mão contra o vírus SARS-Cov-2. O Ministério da Saúde informou, em nota, que o álcool em gel 70% ou líquido é sim um dos métodos mais eficazes de prevenção contra o Coronavírus e contra outros microrganismos

Substituir o álcool em gel 70% pelo vinagre é a melhor opção para retirada completa do vírus nas mãos.

Fake. Essa troca é perigosa. O Ministério da Saúde informa que o uso do vinagre para combater o vírus não é recomendado. O Conselho Federal de Química (CFQ) informou, em nota, que o vinagre é um “produto relativamente ineficaz na destruição de microrganismos”, uma vez que sua composição é a base de ácido acético, um ácido considerado fraco que é pouco eficaz na desnaturação de proteínas. O vírus é revestido com uma camada de gordura que dissolve e, consequentemente é eliminado, em contato com sabão ou álcool.

Receita caseira de álcool gel funciona.
Fake. As receitas caseiras de álcool gel não possuem eficácia e ainda facilitam a proliferação dos microrganismos.

Higienizar as mãos com outros produtos de limpeza (como cândida ou desinfetantes) podem deixá-las mais limpas.

Fake. O uso dos desinfetantes de superfície nas mãos não é indicado, pois pode causar reações indesejáveis na pele, prejudicando a saúde.

O infectologista explica que não é apenas lavar as mãos com água e sabão, mas é necessário fazer isso de forma correta. “Nem sempre as crianças têm muita paciência na hora de lavar as mãos. Mas é importante ensinar que 20 segundos podem evitar muitas doenças, (inclusive a COVID-19), explica Dr. Francisco que dá dicas de como higienizar corretamente as mãos.

  1. Retire qualquer acessório que esteja nas mãos (anéis, pulseira, relógio) e molhe as mãos com água corrente;
  2. Aplique uma quantidade de sabão suficiente para cobrir a superfície das mãos;
  3. Friccione as palmas das mãos entre si e, a seguir, uma mão na outra, utilizando a palma da mão direita para lavar o dorso da mão esquerda e vice-versa;
  4. Entrelace as mãos, esfregando os espaços entre os dedos. Friccione o dorso dos dedos de uma mão com a palma da mão oposta, com movimento de vai e vem;
  5. Esfregue bem o polegar com a palma da mão oposta, fazendo movimentos circulares. Friccione as pontas dos dedos e as unhas na palma da mão oposta, fazendo movimentos circulares;
  6. Enxague as mãos com água corrente;
  7. Por fim, seque-as com papel descartável ou uma toalha limpa, se estiver em casa. Nos espaços públicos, utilize o papel toalha para fechar a torneira, se houver necessidade de contato manual. Todo o processo deve durar em torno de 40 a 60 segundos.

A mesma sequência de movimentos deve ser feita com o álcool em gel, exceto a secagem com papel.

Lembre-se: além das medidas de segurança como utilizar máscara, manter distância de pelo menos um metro e meio entre pessoas na rua e e evitar aglomerações, a higienização das mãos é uma das formas mais eficazes para evitarmos a contaminação.