Enfermeiro Navegador facilita o tratamento hospitalar e traz olhar humanizado para pacientes da Reabilitação Intestinal - Hospital Sabará
Enfermeiro Navegador facilita o tratamento hospitalar e traz olhar humanizado para pacientes da Reabilitação Intestinal
Notícias

Enfermeiro Navegador facilita o tratamento hospitalar e traz olhar humanizado para pacientes da Reabilitação Intestinal

Subtítulo: Pioneira no Brasil, especialização em Navegação de Pacientes na Pediatria traz mais acolhimento no atendimento a crianças com condições complexas

O Enfermeiro Navegador é o elo entre a equipe médica, o paciente, a família e questões sociais e estruturais que existem em qualquer tratamento em uma instituição de saúde. Desenvolvida nos Estados Unidos, a Navegação de Pacientes na Pediatria é novidade no Brasil – mais uma inovação trazida pelo Sabará.

Essa nova especialização dentro da Enfermagem segue a linha do tratamento humanizado pediátrico, no qual a experiência da criança é sempre prioridade e a família é vista como parte essencial do tratamento. Por estar perto do paciente e seus Cuidadores, o Enfermeiro Navegador é uma peça-chave para o andamento do tratamento e a integração entre os diferentes médicos e especialistas envolvidos no plano de cuidado da criança.

“O profissional tem uma visão horizontal de todo o percurso do paciente dentro da Instituição, pois está em contato com ele e com todos os profissionais envolvidos no tratamento do início ao fim”, explica Gustavo Oliveira, Enfermeiro Navegador da Linha de Cuidado em Reabilitação Intestinal e Telemedicina no Sabará Hospital Infantil. Gustavo atua no Programa Avançado de Tratamento da Insuficiência Intestinal (PATII), que cuida de crianças cujo trato digestivo não consegue absorver nutrientes.

O trabalho do Enfermeiro Navegador começa com uma entrevista inicial na qual a equipe determina as necessidades do paciente e as barreiras para o tratamento. “Nesta conversa também fazemos todas as orientações sobre o Programa, alinhamos expectativas e fazemos o direcionamento para a equipe que realizará o atendimento. Uma vez identificadas as barreiras que podem dificultar o atendimento, criamos junto com a equipe multidisciplinar estratégias para facilitar a adesão ao tratamento. A partir deste primeiro contato, criamos um vínculo com a família, proporcionando um atendimento mais humanizado e individualizado”, completa Gustavo.

Dentro do PATII, é essencial um olhar que veja a criança além da doença, visando sempre o bem-estar do paciente e um tratamento que englobe todos os aspectos necessários durante a internação. “O PATII olha o paciente como um todo e não só o aspecto da doença em si. Há um trabalho em equipe incrível, no qual cada profissional consegue trabalhar com as suas “variáveis”. O PATII vê além de uma criança internada, olhando para o paciente, a família e seguindo um caminho que vai da internação até a alta e a continuidade do tratamento em casa”, explica Lilian Sayuri Onaga, enfermeira do PATII.

Elo entre o paciente, o Hospital e o mundo externo, o Enfermeiro Navegador antecipa barreiras no tratamento e oferece acolhimento para as famílias

Além do estabelecimento prévio das possíveis dificuldades dentro do tratamento, é papel do Enfermeiro Navegador ter um olhar aguçado para o cotidiano do paciente na tentativa de antecipar situações que podem precisar de intervenção imediata da equipe. “O Sabará oferece uma equipe especializada transdisciplinar onde cada um desenvolve um cuidado de acordo com a especialização, mas todos focando em cuidar para que a criança possa se recuperar e voltar a viver de forma tranquila. Para isso, a experiência na reabilitação intestinal e um olhar holístico sobre o paciente são essenciais. Precisamos estar atentos aos sintomas que podem mudar em questão de minutos, os sinais vitais e os exames clínicos que são solicitados pela equipe médica, além de ter conhecimento sobre os curativos específicos e manejos para evitar infecção de corrente sanguínea”, explica Carla Sabel, enfermeira do PATII.

Por ser um elo entre o paciente, o Hospital e o mundo externo, o Enfermeiro Navegador precisa lidar com possíveis barreiras para o tratamento, sejam elas psicológicas, sociais ou financeiras. “A partir das necessidades do paciente, acionamos o apoio das áreas da psicologia, Child Life Specialist (profissional que visa o bem-estar e a compreensão da criança diante do tratamento), serviço social e comercial, facilitando que o paciente e sua família possam focar no tratamento”, explica Gustavo.

A Navegação também traz consigo o acolhimento que as crianças e suas famílias precisam em situações difíceis como doenças e possíveis internações. “Nós examinamos cada paciente com um olhar único, e é necessário ter um tempo para o acolhimento com a mãe e os familiares, que muitas vezes passam meses cuidando dos filhos sozinhos e sem ajuda”, completa Carla.

Muitas famílias também precisam se separar das crianças em tratamentos em outro estado, e o papel do enfermeiro navegador é facilitar o máximo possível esse processo delicado. “O PATII se tornou referência, e por isso muitas crianças vem de outras cidades e estados. Com isso, muitas vezes a família fica distante, e a equipe precisa incluir essa família, tornando-a parte dos cuidados da criança. O treinamento, engajamento e inclusão da família em todo processo são um diferencial. Isso possibilita o empoderamento da família no cuidado”, completa Lilian.

 

Tire suas dúvidas pelo nosso Cuidador Virtual