Conheça a história da Gabriella Pereira, uma menina linda que foi diagnosticada com epilepsia aos três anos - Hospital Sabará
Conheça a história da Gabriella Pereira, uma menina linda que foi diagnosticada com epilepsia aos três anos
Depoimento

Conheça a história da Gabriella Pereira, uma menina linda que foi diagnosticada com epilepsia aos três anos

Gabriella Pereira é uma menina linda que foi diagnosticada com epilepsia aos três anos. A mãe, Lilian A.M.M. Pereira, explicou que foi um momento de apreensão. “Ficamos assustados, ver um filho convulsionando é desesperador, mesmo eu sendo enfermeira, quando se trata dos nossos, tudo fica mais difícil”. 
A família mora em Santos e logo após a primeira convulsão, os pais decidiram procurar um acompanhamento por um especialista na capital e foi quando chegaram ao neurologista pediátrico, Dr. Carlos Takeuchi, que após exames, diagnosticou a epilepsia. 
Até acertar a medicação, a pequena Gabriela ainda convulsionou outras três vezes. “Na terceira vez ela convulsionou em uma viagem, dormindo, e o Dr. Takeuchi pediu a internação para fazer o eletroencefalograma durante toda a noite e provavelmente trocar a medicação”, conta Lilian. Foi quando ela conheceu o Sabará Hospital Infantil. 
“Nos sentimos sempre bem acolhidos no Hospital, somos atendidos sempre no horário e os funcionários fazem um trabalho muito humanizado. Eu recomendaria, porque é um hospital de excelência na área pediátrica, com ótimos médicos e uma infraestrutura completa”, afirma Lilian. 
A partir do acompanhamento, os pais levaram um tempo até acertar a medicação, o que acabou gerando outros efeitos colaterais. 
“Enfrentamos dificuldades na escola, sempre notamos que ela estava um pouco ‘atrás’ das outras crianças, até que investigamos melhor e ela passou com uma profissional que concluiu que a Gabriella realmente tem um atraso de mais ou menos de dois anos”, conta a mãe. 
Atualmente, apesar do eletroencefalograma ainda apresentar algumas alterações, a medicação está fazendo muito efeito. “Hoje a Gabriella tem sete anos e apresenta uma melhora significativa com o acompanhamento multiprofissional. Ela tem muitos amigos, faz natação, música e taekwondo. Está melhorando na escola, faz acompanhamento uma vez por semana com a fonoaudióloga, já está alfabetizada, ainda apresenta algumas dificuldades na escola, mas se supera a cada dia”. 
A mãe deixa um recado para mães que também têm filhos com epilepsia: “nunca compare seu filho a nenhuma outra criança, viva um dia de cada vez, olhe nos olhos do seu filho, abrace e sinta seu coração, ele é único e precisa de você. Vamos alcançar a vitória juntos, com muita luta, sem pressa e transbordando amor”. 

Open chat
Cuidador Virtual