Cárie na Primeira Infância

A cárie dentária em crianças pré-escolares é uma doença comum, na maioria das vezes não tratada, e que pode ter profundo impacto na vida das crianças.

Os dentes decíduos (de leite) mantém o espaço para a dentição permanente e são essenciais para o bem-estar da criança. Cáries nestes dentes podem determinar dor crônica, infecções e outras morbidades. Atinge mais de 600 milhões de crianças no mundo e geralmente permanecem não tratadas. A cárie é considerada a doença prevenível mais comum.

No Brasil, 30% das crianças entre 1,5 e 3 anos apresentam cárie e, após os 5 anos, 53% das crianças já tiveram cáries (dados do Ministério da Saúde). A Associação Brasileira de Odontologia alerta que estas crianças apresentam em média mais de duas cáries nos dentes decíduos.

Estudos mostram que crianças que vão ao dentista pelo menos 4 vezes ao ano veem as chances de ter cáries diminuídas em 70%, segundo a Associação Brasileira de Odontologia.

 

Quando uma criança deve ir ao dentista pela primeira vez?

Aconselhamos que esta consulta seja feita quando nascem os primeiros dentinhos, por volta de 6 meses, mantendo a periodicidade de 2 vezes ao ano (mínimo).

 

Quais as recomendações para evitarmos esta doença?

  1. Conscientizar pais/cuidadores, técnicos em saúde bucal, pediatras, enfermeiras, outros profissionais de saúde e outros grupos interessados no tema;
  2. Limitar o consumo de açúcar em alimentos e bebidas e evitar açúcares livres para crianças com menos de 2 anos de idade;
  3. Escovar os dentes de todas as crianças duas vezes ao dia com pasta fluoretada (ao menos 1000 ppm) usando uma quantidade adequada de dentrifício;
  4. Prover orientações preventivas no primeiro ano de vida por um profissional de saúde ou agente comunitário de saúde (em conjunto com programas já existentes, como as campanhas de vacinação, sempre que possível) e idealmente, referir para um dentista para manutenção e cuidados preventivos.

 

A prevenção e tratamento das cáries consiste (além dos itens acima mencionados) em controle efetivo das lesões iniciais, com aplicações de verniz fluoretado e selantes de fissuras em dentes molares. A paralização das lesões já instaladas nos dentes, com tratamento de remoção do tecido afetado (cariado), e preservação das estruturas sadias do dente são os métodos de tratamento aconselhados.

Autor: Dr. Eduardo Milner - CROSP: 37123

Atualizado em: 14/10/2019