A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Z

Triagem em pronto-socorro

O termo “triagem” é derivado do verbo francês trier, que significa escolher. Expressa uma classificação da situação do paciente, que caracteriza se o grau é alarmante, ou seja, se coloca em risco sua vida ou integridade e, portanto, se o tratamento imediato é necessário para aliviar os sintomas.

Os prontos-socorros transformaram-se no principal provedor de assistência médica quando os consultórios estão fechados, principalmente à noite, em fins de semana e feriados. Ao mesmo tempo, mais pediatras dedicam-se às especialidades do que a pediatria geral. Por essas razões, os prontos-socorros experimentam um aumento no volume de atendimentos. Esse aumento também decorre da busca dos prontos-socorros para resolver problemas menos urgentes e de menor gravidade, em virtude do modo de vida nas sociedades atuais. Essa superlotação pode ocasionar tempos de espera prolongados, retardando o início do tratamento nos casos mais graves e colocando em risco a segurança dos pacientes. Assim, faz-se necessário estabelecer um sistema de classificação que permita identificar os pacientes que necessitam de tratamento imediato.

A triagem em pediatria supõe mais dificuldades e um tempo mais longo. É fundamental a participação de enfermeira competente, que, em função do nível de detalhes necessários para a triagem, não gastará menos do que 2 a 5 minutos para realizá-la.

É esperado que se obtenha dados da história clínica, sinais vitais e questões específicas que possibilitem a tomada correta de decisão. A subtriagem coloca em risco o paciente que pode sofrer agravamento de seu estado enquanto aguarda atendimento, comprometendo sua segurança. Por outro lado, a supertriagem ocasiona problemas de utilização inadequada de recursos, limitando a disponibilidade de leitos para outro paciente que necessite de cuidados imediatos.

Portanto, uma triagem rápida e precisa é a chave para o sucesso da operação nos prontos-socorros lotados.

Autora: Dra. Fátima Rodrigues Fernandes
Fonte: Baseado no texto da autora no livro Manual de Urgências e Emergências em Pediatria
Hospital Infantil Sabará – Ed. Sarvier