A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Z
O conteúdo original deste artigo é em espanhol e é traduzido automaticamente, sendo possível visualizar a versão original a qualquer momento. Faz parte da Health Library, uma biblioteca de saúde produzida pela empresa EBSCO, e é revisado e atualizado regularmente. As informações não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra.

Caso tenha alguma dúvida a respeito do conteúdo desta página, entre em contato com site@sabara.com.br

Veja o conteúdo original em espanhol

Herpes labial


Autor: Rick Alan

Definição

As úlceras na boca são pequenas bolhas dolorosas cheias de líquido. Normalmente, eles saem na borda do lábio.

Febre herpes vai embora por conta própria dentro de duas semanas de seu início, mas os medicamentos podem aliviar os sintomas ou diminuir a duração.

Herpes simples nos lábios

Direitos autorais © Nucleus Medical Media, Inc.



Causas

Herpes febril são causadas por dois tipos de vírus herpes simplex e são muito comuns. Na maioria dos casos, as pessoas contraem o vírus quando são crianças pequenas.

Você pode obter o vírus fazendo o seguinte:

  • Estar em contato com fluido da bolha de febre de outra pessoa ou úlceras de herpes genital
  • Estar em contato com utensílios de cozinha, máquinas de barbear, toalhas ou outros itens pessoais de uma pessoa que tenha aftas ativas
  • Compartilhar alimentos ou bebidas com uma pessoa que tenha aftas ativas
  • Estar em contato com a saliva de uma pessoa que tem o vírus da herpes, mesmo que não haja úlceras presentes

Quando você tem o vírus do herpes, o primeiro episódio da doença pode causar uma doença em todo o corpo. Depois disso, o vírus permanece em repouso na pele até que seja reativado. Quando o vírus é reativado, surge um herpes febril.



Fatores de Risco

 

Fatores que podem reativar o vírus e resultar em um surto de herpes febril incluem o seguinte:

  • Infecção, febre, frio ou outra doença
  • Exposição solar
  • Estresse físico ou estresse emocional
  • Certas drogas
  • Sistema imunológico enfraquecido
  • Menstruação
  • Lesão física ou trauma
  • Uma cirurgia dentária ou outro tipo de cirurgia na boca

Nem sempre é claro qual é o fator desencadeante de um herpes febril.



Sintomas

Geralmente, o herpes febril aparece nos lábios, mas também pode aparecer na boca ou em outras áreas da pele. São úlceras pequenas e dolorosas que consistem em bolhas com bordas fluidas e vermelhas.

No dia anterior ao início do herpes febril, você pode sentir coceira, formigamento ou queimação. Depois de alguns dias, as úlceras secam e uma sarna e uma úlcera superficial são formadas.



Diagnósticos

O médico perguntará sobre seus sintomas e histórico médico. As bolhas serão examinadas.

Normalmente, o médico pode diagnosticar facilmente um herpes febril, observando-o. Em casos raros, uma amostra pode ser retirada da ampola, que é enviada a um laboratório para análise.

Você também pode coletar uma amostra de sangue para analisar.



Tratamento

Geralmente, herpes febril curar dentro de duas semanas de seu início, mesmo sem tratamento. No entanto, certos tratamentos podem ajudar a reduzir os sintomas e reduzir o tempo de duração das úlceras. Opções de tratamento incluem:

Para aliviar a dor, considere o seguinte:

  • Aplique cremes e pomadas sem receita médica para herpes febril.
  • Coloque gelo nas bolhas.
  • Lave com um enxaguatório bucal contendo lidocaína.

Aplique cremes e pomadas antivirais prescritos, que também podem ajudar a aliviar a dor.

O médico pode prescrever medicamentos antivirais orais para inibir surtos freqüentes. Você deve tomar esses medicamentos quando sentir que um herpes febril está prestes a sair.

Evite esfregar ou arranhar bolhas, pois isso pode atrasar a cicatrização e produzir uma infecção.

Se você tem herpes febril ativo, evite tocar na área infectada. Desta forma, impede a transmissão do vírus para outras pessoas ou para outras partes do corpo. Se você tocar na área, lave as mãos.



Prevenção

Para reduzir a chance de obter um vírus, siga estas etapas:

  • Tenha cuidado ao estar com pessoas que têm herpes febril ativo. Evite contato pele a pele e beijo. Não compartilhe alimentos, bebidas ou itens pessoais.
  • Evite fazer sexo oral com uma pessoa que tenha herpes genital. O vírus se espalha mais facilmente quando as úlceras estão ativas.

Uma vez que o vírus da herpes é contraído, nunca deixa o corpo. Não há cura para esta infecção. Se você já tem uma infecção pelo vírus do herpes, siga estas diretrizes para evitar futuros surtos de bolhas ou bolhas de febre:

  • Evite passar muito tempo no sol.
  • Use protetor solar nos lábios e rosto quando no sol.
  • Descanse bastante e relaxe. Tente minimizar o estresse.
  • Se você tiver surtos freqüentes, converse com seu médico sobre a possibilidade de tomar medicamentos antivirais.


Referências

Arduino PG, Porter SR. Infecção por vírus do herpes simples e oral tipo 1 (HSV-1): revisão de seu manejo. Doenças orais 2006; 12: 254-270.

Emmert DH. Tratamento de infecções comuns pelo vírus herpes simplex cutâneo. Sou um médico. 2000; 61: 1697.

Groves MJ. Transmissão do vírus herpes simplex via sexo oral Sou um médico. 2006, 1, 73: 1153; discussão 1153.

Herpes simplex Site da Academia Americana de Dermatologia. Disponível em: http://www.aad.org/dermatology-a-to-z/diseases-and-treatments/e—h/herpes-simplex. Acessado em 14 de janeiro de 2015.

Herpes Academia Americana de Médicos de Família website Family Doctor. Disponível em: http://familydoctor.org/familydoctor/en/diseases-conditions/herpes.html. Atualizado em maio de 2014. Acessado em 14 de janeiro de 2015.

Herpes simplex Site da DermNet NZ. Disponível em: http://dermnetnz.org/viral/herpes-simplex.html. Atualizado em 7 de dezembro de 2014. Acessado em 14 de janeiro de 2015.

Herpes oral. EBSCO DynaMed website. Disponível em: http://www.ebscohost.com/dynamed. Atualizado em 8 de maio de 2014. Acessado em 14 de janeiro de 2015.

Schmid-Wendtner MH, Korting HC. Penciclovir creme – tratamento tópico melhorado para infecções por herpes simplex. Skin Pharmacol Physiol. 2004; 17: 214-8.

Spruance S, Bodsworth N, Resnick H, et al. Famciclovir de dose única, iniciado pelo paciente: um estudo randomizado, duplo-cego, controlado por placebo para tratamento de labialis herpética. J Am Acad Dermatol. 2006; 55: 47-53.

Spruance SL, Jones TM, Blatter MM, Vargas-Cortes M, et al. Terapêutica precoce com valaciclovir, em altas doses e curta duração, para o tratamento de herpes labial: resultados de dois estudos multicêntricos, randomizados, controlados por placebo. Antimicrobial Agent Chem, 2003; 1072-1080.



Copyright © 2018 EBSCO Information Services
Todos os direitos reservados.