Ebola - Hospital Sabará
 
A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Z

Ebola

O Ebola ou Febre Hemorrágica Africana é uma doença causada pelo vírus Ebola, com cinco subtipos dependendo do país de procedência.

Esse vírus foi descoberto em 1976 e sua letalidade é bem grande, de cerca de 50% a 90%, em geral por desidratação causada por complicações gástricas. Os sintomas iniciais se assemelham a um resfriado comum, com febre, astenia, diarreia, dor de cabeça e dor no corpo. A hemorragia aparece no quarto ou quinto dia e inclui conjuntivite, mucosas do aparelho digestivo, com depressão medular.

Ocorre nas regiões florestais da África Central, e o vírus é hospedeiro de várias espécies de macacos, como chimpanzés, gorilas, babuínos, entre outros, e seres humanos. A transmissão ocorre entre o contato de um animal infectado ou pessoa a pessoa por meio de secreções corporais (saliva, sangue, sêmen etc.). O período de incubação é de 2 a 20 dias, mas, em geral, entre 4 e 9 dias.

Não existe vacina ou tratamento eficiente com antivirais, portanto, as medidas de higiene e prevenção são as mais importantes. O mundo todo se encontra em estado de alerta e, caso você vá para alguma região de contágio, deve tomar as precauções necessárias para evitar entrar em contato com doentes.

Autor: Dr. José Luiz Setúbal
Fonte: Public Health Agency of Canada, 2010

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o tratamento médico e orientação de seu pediatra. Podem haver variações no tratamento que o pediatra pode recomendar, com base em fatos e circunstâncias individuais.



Tratamento

O isolamento é necessário para prevenir a propagação da doença. O tratamento se concentra em auxiliá-lo enquanto o corpo luta contra a infecção. O tratamento pode incluir o seguinte:
  • Eletrólitos e líquidos IV
  • Assistência de oxigênio e pressão sanguínea
  • Tratamento para qualquer infecção que possa complicar a imagem
  • Novos tratamentos estão sendo testados ou desenvolvidos.
Sobreviventes podem apresentar sintomas prolongados ou persistentes, conhecidos como "síndrome pós-bola". A seguir estão algumas possíveis complicações:
  • Dores musculares e articulares
  • Dor de cabeça
  • Problemas oculares, incluindo dor, corrimento, vermelhidão e visão turva
  • Tosse
  • Dor no peito
  • Perda de apetite
  • Erupção cutânea
  • Problemas gastrointestinais, como dor abdominal, náuseas, vômitos, soluços ou diarreia
  • Fraqueza do lado esquerdo, associada à paralisia do nervo facial


Open chat
Cuidador Virtual