A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Z
O conteúdo original deste artigo é em espanhol e é traduzido automaticamente, sendo possível visualizar a versão original a qualquer momento. Faz parte da Health Library, uma biblioteca de saúde produzida pela empresa EBSCO, e é revisado e atualizado regularmente. As informações não devem ser usadas como um substituto para o cuidado médico e orientação de seu pediatra.

Caso tenha alguma dúvida a respeito do conteúdo desta página, entre em contato com site@sabara.com.br

Veja o conteúdo original em espanhol

Doença Inflamatória Pélvica (DIP)


Autor: Michelle Badash, MS

Definição

A doença inflamatória pélvica (IDP) é uma infecção grave nos órgãos reprodutivos femininos. Estes incluem o útero, ovários e trompas de falópio. PID pode causar cicatrizes na pelve e nas trompas de falópio. Este dano pode causar infertilidade , gravidez ectópica no futuro ou dor pélvica crônica.

Órgãos genitais femininos

Trompa de Falópio, ovário e útero

Direitos autorais © Nucleus Medical Media, Inc.



Causas

PID é causada por bactérias que viajam para os órgãos reprodutivos. Bactérias sozinhas ou a mistura de várias delas pode causar infecção. As bactérias mais comuns que causam PID são gonorréia e clamídia .



Fatores de Risco

Um fator de risco é algo que aumenta sua chance de contrair uma doença ou condição. Fatores de risco incluem:

  • Doenças sexualmente transmissíveis (DST) atuais ou anteriores
  • Múltiplos parceiros sexuais
  • Relacionamentos sexuais com um parceiro que tem uma DST
  • Sexo desprotegido (sem camisinha)
  • Idade: entre 15 e 24 anos
  • Uso de um dispositivo intra-uterino (DIU) como método contraceptivo: não aumenta o risco de contrair uma doença sexualmente transmissível, mas pode acelerar a evolução da IDP.


Sintomas

Mulheres com IDP nem sempre apresentam sintomas. No entanto, se houver sintomas, eles podem incluir:

  • Dor no abdome inferior
  • Corrimento vaginal com odor desagradável
  • Fadiga
  • Febre
  • Náusea ou vômito
  • Relações sexuais dolorosas
  • Dor ao urinar
  • Sangramento menstrual irregular

Se você suspeitar de um EPI, ou tiver sintomas, consulte seu médico imediatamente.



Diagnósticos

Como os sintomas são leves ou, às vezes, não se manifestam, o DIP pode ser difícil de diagnosticar. Não existem estudos específicos para o EPI.

Se você suspeitar de ter PID, o médico perguntará sobre os sintomas, incluindo sua história sexual, parceiros sexuais e métodos de controle de natalidade. O médico irá realizar um exame físico geral, bem como um exame pélvico. O exame pélvico é essencial para fazer o diagnóstico. As amostras serão retiradas da vagina ou colo do útero para diagnosticar o problema.

Os testes podem incluir:

  • Culturas cervicais: em busca de doenças sexualmente transmissíveis
  • Exames de sangue: para corroborar a gravidez e detectar infecções
  • Ultra – som : um estudo que usa ondas sonoras para visualizar o interior do corpo
  • Laparoscopia : um fino tubo telescópico com luz é inserido através de uma pequena incisão no abdome para observar os órgãos reprodutivos


Tratamento

O primeiro tratamento para PID é o uso de antibióticos. Seu médico pode prescrever mais de um antibiótico para tratar o problema. Termine todo o seu tratamento, mesmo que os sintomas desapareçam durante o tratamento. No tratamento da IDP, o descanso também é da maior importância.

Você pode ser hospitalizado se o diagnóstico for incerto, se não melhorar ou se os sintomas forem graves. Durante a hospitalização, os antibióticos podem ser administrados por via intravenosa. Em alguns casos, a cirurgia pode ser necessária para remover tecido infectado ou danificado.

Se você é diagnosticado com PID, siga as instruções do seu médico.



Prevenção

Para evitar o PID:

  • Use um preservativo de látex quando fizer sexo.
  • Discuta as opções de controle de natalidade com o seu médico. Pergunte sobre os métodos que aumentam ou reduzem o risco de PID.
  • Procure tratamento imediato para sintomas, como; corrimento vaginal invulgar ou hemorragia.
  • Limite o número de parceiros sexuais.
  • Envie para revisões regulares para o ETS.

Se você é diagnosticado com PID ou outro STD:

  • Não faça sexo até completar o tratamento.
  • Notifique todos os seus parceiros sexuais.


Referências

Diretrizes de tratamento de DST 2010. Centros para o controle de doenças e prevenção site. Disponível em: http://www.cdc.gov/std/treatment/2010/default.htm. Atualizado em 3 de março de 2015. Acessado em 29 de maio de 2015.

Doença inflamatória pélvica (PID) – ficha informativa da DCA. Centros para o controle de doenças e prevenção site. Disponível em: http://www.cdc.gov/std/pid/STDFact-PID.htm. Atualizado em 4 de maio de 2015. Acessado em 29 de maio de 2015.

Doença inflamatória pélvica. EBSCO DynaMed website. Disponível em: http://www.ebscohost.com/dynamed. Atualizado em 22 de maio de 2015. Acessado em 29 de maio de 2015.

Doença inflamatória pélvica. Site do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas. Disponível em: http://www.niaid.nih.gov/topics/pelvicinflammatorydisease/Pages/default.aspx. Atualizado em 29 de novembro de 2011. Acesso em 29 de maio de 2015.



Copyright © 2018 EBSCO Information Services
Todos os direitos reservados.