A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Z

Doença de Addison

A chamada Doença de Addison acontece quando há mau funcionamento das glândulas adrenais, que produzem muito pouco os seguintes hormônios:

  • Cortisol – hormônio esteroide que ajuda o organismo a controlar o estresse, reduzir inflamações e auxiliar no funcionamento do sistema imunológico, além de manter os níveis de açúcar no sangue constantes, assim como a pressão arterial.
  • Aldosterona – hormônio esteroide que controla o sódio e o potássio no sangue.
    A Doença de Addison afeta a capacidade do organismo para responder ao estresse físico. Embora seja considerada uma doença rara, pode ocorrer em qualquer idade.

Os corticosteroides desempenham papel importante, ajudando o organismo a combater infecções e promover a saúde durante o estresse físico. A falta de hormônios suprarrenais pode causar:

  • Níveis elevados de potássio.
  • Extrema sensibilidade ao hormônio insulina, que está normalmente presente no sangue. Essa sensibilidade pode levar a baixos níveis de açúcar no sangue.
  • Risco aumentado durante os períodos de estresse, como infecção, pós-cirurgia ou lesão.

A Doença de Addison é mais frequentemente causada pela destruição da glândula adrenal devido a uma resposta autoimune. Alguns casos são causados pela destruição das glândulas suprarrenais por câncer, infecção ou outra doença. Outras causas podem incluir:

  1. Uso de corticosteroides (como prednisona) para o tratamento de outras condições, tais como asma. Essas terapias podem provocar desaceleração na produção de corticosteroides naturais pelas glândulas suprarrenais. Após a retirada de tais medicações sob supervisão médica, a glândula adrenal geralmente recupera a função normal com o passar do tempo.
  2. Uso de certos medicamentos para tratar infecções fúngicas, que podem bloquear a produção de corticoides nas glândulas suprarrenais.
  3. Em casos raros, a Doença de Addison é herdada como um traço ligado ao X, o que significa que o gene responsável pela doença está localizado no cromossomo X e é transmitido de mãe para filho. Nesta forma, os sintomas geralmente começam na infância ou adolescência.

Os sintomas da Doença de Addison podem ser aparentes quando a criança está sob estresse físico. Enquanto cada criança pode experimentar sintomas de forma diferente, alguns dos sintomas mais comuns incluem:

  1. Fraqueza e fadiga
  2. Tontura
  3. Pulso rápido
  4. Escurecimento da pele (observado pela primeira vez nas mãos e na face)
  5. Sardas pretas
  6. Perda de peso
  7. Desidratação sem causa aparente e frequente
  8. Perda de apetite
  9. Perda de sal intensa
  10. Dores musculares
  11. Náusea
  12. Vômitos
  13. Diarreia
  14. Intolerância ao frio

O risco de desenvolver esses problemas é especialmente elevado quando uma criança está experimentando estresse físico.

O objetivo do tratamento é restaurar a função adrenal de seu filho, substituindo hormônios essenciais. Esses hormônios podem ser tomados via oral ou intravenosa, dependendo da condição de seu filho. Se não for tratada, a Doença de Addison pode levar a dor abdominal intensa, extrema fraqueza, pressão baixa, insuficiência renal e choque, especialmente quando uma criança está experimentando estresse físico.