Pés das crianças: como reconhecer e tratar doenças

Os pés das crianças estão constantemente mudando de forma. Quando os bebês nascem, seus pés ainda têm postura semelhante à posição que tinham dentro da barriga e aos poucos vão se reposicionando.

Quando começam a andar, que é normal dos 12 aos 18 meses, os bebês têm pés plantígrados, ou seja, com o apoio de toda a sola no chão. “A marcha não começa com o toque do calcanhar, como na vida adulta, mas com o pé todo fazendo contato ao mesmo tempo. Outra característica é a base alargada, isto é, pernas mais abertas para andar”, explica o Coordenador do Departamento de Ortopedia do Sabará, Dr. Wilson Lino Junior.

 

Pé chato

Toda criança tem o pé plano até cerca de 2 anos, quando o arco plantar começa a se formar e vai se estruturar aproximadamente até os 8 anos. Por isso, não é possível diagnosticar o pé plano ao nascimento. Mais tarde, próximo aos 10 anos de idade, com a formação da barra óssea, uma radiografia simples pode diagnosticar o pé plano e ajudar a descobrir entre quais ossos ocorre a fusão.

“Os pés planos são geralmente dolorosos, principalmente se associados ao excesso de peso e sedentarismo. Algumas crianças não sentem dor alguma, é necessária a avaliação de cada caso”, explica o Dr. Wilson Lino Junior. É possível fazer a correção, principalmente se os pés são muito dolorosos e causam limitações. O tratamento é cirúrgico.

 

Pé torto

Pé torto congênito é uma doença que envolve malformação óssea, ligamentar, articular e muscular. O diagnóstico pode ser feito ainda na barriga da mãe, durante a gravidez, por meio do ultrassom, ou ao nascimento.

A recomendação é que os pais levem o bebê para uma avaliação do ortopedista pediátrico logo após o nascimento. Já é possível realizar tratamento específico a partir da primeira semana de vida. O método mais largamente utilizado em todo mundo consiste em trocas gessadas semanais. É um tratamento prolongado e trabalhoso, mas que dá ótimos resultados se tratado adequadamente.

 

Pisada para dentro e para fora

Por um longo período na infância, até cerca dos 8 anos de idade, os pés da criança estão em formação, o que significa que eles não têm a forma igual ao pé do adulto. “Isso, associado também a uma frouxidão ligamentar típica das crianças, pode dar a impressão de pés para dentro ou para fora”, explica o Dr. Wilson. Mas, na maioria das vezes, o que vemos é apenas uma variação do normal nas crianças.

De qualquer forma, sempre que houver dúvidas, é recomendado procurar um profissional, para que oriente quanto ao crescimento normal dos membros inferiores e realizar o tratamento, se necessário.

Autor: Mariana Setubal

Atualizado em: 11/7/2018