Cirurgia para “orelha de abano” pode ser realizada a partir dos 6 anos

A famosa “orelha de abano”, em que a orelha fica proeminente ou mais aberta, pode ser corrigida por uma cirurgia simples, chamada Otoplastia, realizada a partir dos 6 anos de idade.

O procedimento, feito por um cirurgião plástico, dura cerca de uma hora e meia e consiste em reajustar a orelha na sua posição e forma, deixando-a mais “colada” na cabeça e resgatando suas ondulações naturais, por meio de alguns pontos dados na cartilagem. Em crianças, geralmente é utilizada a anestesia geral.

Segundo o cirurgião plástico Dr. Guilherme Lapin, o ideal é realizar a cirurgia ainda na infância para evitar traumas pela aparência e um possível bullying. “Mas a condição mais importante para se realizar essa cirurgia com sucesso é A CRIANÇA querer fazê-la. E não apenas os pais. E não adianta insistir… Se a criança não entender o porquê da cirurgia, isso será um trauma para ela e está associado com maiores chances de recidiva da orelha de abano”, explica o médico.

Preparo

Antes da cirurgia, serão realizados alguns exames laboratoriais e de imagem. Deverão ser informados ao médico quais são os medicamentos tomados pelo paciente, pois alguns deles devem ser interrompidos semanas antes do procedimento.

No dia da cirurgia, a criança deve fazer jejum, de acordo com as orientações do médico, e avisar a equipe caso tenha gripe ou sintomas como dor de garganta, ardor ao urinar etc. Nestes casos, a cirurgia pode ser adiada, para maior segurança do paciente.

 

Pós-cirúrgico

Geralmente, a alta ocorre no mesmo dia. O paciente ficará com um curativo nas primeiras 24 horas preso por uma faixa elástica na cabeça. Após a retirada do curativo, o uso contínuo da faixa (dia e noite) é importante durante 30 a 40 dias e, depois, é recomendado uso noturno por mais 3 meses. Ela ajuda na cicatrização e também funciona como uma proteção. “O uso da faixa elástica é muito importante e a criança tem que estar disposta a usá-la”, lembra o Dr. Guilherme.

Logo após a cirurgia, a dor não é muito intensa e pode ser controlada por analgésicos, desaparecendo em 3 a 4 dias.

Os pontos são atrás da orelha e não precisam ser retirados, pois são absorvidos pelo organismo. A cicatriz é bem discreta e quase imperceptível.

A higiene suave atrás da orelha é importante para evitar infecção na cicatriz. Também é recomendado o uso de protetor solar até que a cicatriz fique mais madura (4 a 6 meses).

 

Cirurgia nas férias

Devido ao repouso e necessidade de utilizar a faixa (nem todas as crianças se sentem confortáveis com isso), o período mais recomendado para realizar a cirurgia é durante as férias escolares.

Caso seja realizada em período escolar, o Dr. Guilherme recomenda que a criança volte a frequentar a escola cerca de 5 a 7 dias depois da cirurgia. Outras atividades, como esportes e natação, podem ser retomadas em 3 a 4 semanas, conforme quadro clínico e orientação médica.

Autor: Mariana Setubal

Atualizado em: 28/6/2018