Centros de Excelência e Serviços / Núcleo de Rinossinusites na Infância

Núcleo de Rinossinusites na Infância

Sintomas das vias aéreas superiores, especialmente do nariz e dos seios paranasais são muito frequentes em crianças, podendo ocorrer em todas as idades. Se a criança apresenta sintomas persistentes de tosse, secreção nasal anterior ou posterior, obstrução nasal, dor facial, cefaleia, alterações de olfato e mau-hálito, ela pode ter Rinossinusite. E nós podemos ajudar!

Nos Estados Unidos, a sinusite ocupa o quinto lugar no ranking de diagnóstico mais comum em prescrições de antibióticos, representando 12% de todas as prescrições. São registrados 20 milhões de casos por ano, que geram um gasto em saúde de U$ 3 bilhões de dólares com medicamentos, consultas médicas, exames e procedimentos.

As rinossinusites podem ser classificadas agudas, quando os sintomas apresentam menos que 12 semanas de duração, e crônicas, quando os sintomas permanecem por período superior a estas 12 semanas. Frequentemente, pode ser confundida a rinossinusite crônica com rinossinusites de repetição, que são quadros agudos recorrentes com remissão dos sintomas entre as crises.

 

Sintomas

Os sintomas na faixa pediátrica são menos específicos que em adultos. Muitas vezes, os sintomas podem ser pouco exuberantes, dando a simples impressão que a criança está sempre “resfriada”.

– Rinorreia hialina ou purulenta (sintoma mais frequente em todas as formas de rinossinusite, de 70% a 100%).

– Tosse (50% a 95%), seca ou produtiva, que pode piorar à noite, mas se manifesta durante o dia.

– Obstrução nasal e respiração bucal, especialmente na rinossinusite crônica (70% a 100%).

– Febre, halitose e inapetência podem ser os únicos sintomas na criança.

– Cefaleia e pressão facial são sintomas incomuns, principalmente em crianças pequenas. A partir dos 6 anos de idade são sintomas que podem estar presentes.

 

Causas

Vários são os fatores relacionados à rinossinusite crônica na criança, incluindo-se a poluição ambiental, frequentar creches ou berçários, alergias, infecção das vias aéreas superiores (IVAS), refluxo gastresofágico, hipertrofia de adenóides e/ou de amígdalas entre outros.

Porém, por vezes, a rinossinusite crônica na infância pode ser a manifestação de uma doença sistêmica mais grave, como fibrose cística, discinesia ciliar ou imunodeficiências. Por este motivo, as crianças com rinossinusite crônica devem ser avaliadas com cuidado e estas doenças devem ser sempre pesquisadas.

A rinossinusite pode levar a piora de sintomas pulmonares e levar a outras infecções, como otites. Além disso, obstrução nasal crônica pode levar a alterações na qualidade do sono, crescimento, aprendizagem e alterações de crescimento crânio-facial.

Autor: Dr. Fabrizio Romano - CRM: 90795

Atualizado em: 22/11/2017