Centros de Excelência e Serviços / Departamento de Ortopedia

Visão geral

O Departamento de Ortopedia e Traumatologia Pediátrica do Hospital Infantil Sabará fornece atendimento multidisciplinar envolvendo ortopedistas pediátricos, fisiatra, fisioterapeutas, fonoaudióloga, entre outros profissionais para auxiliar a criança a se restabelecer ou trilhar um novo caminho em busca de uma qualidade de vida melhor.

Estes são alguns dos serviços que oferecemos para os cuidados com seu filho:

  • Diagnóstico: na Ortopedia, o diagnóstico por imagem é o recurso mais importante, e contamos com estrutura de última geração para realizar todos os exames sob demanda e rapidamente.
  • Fisioterapia: nossos fisioterapeutas são especializados no tratamento da criança que sofreu trauma, e também na recuperação de atletas adolescentes e de pacientes com doenças ortopédicas.
  • Tratamento do Pé Torto Congênito (PTC): é uma deformidade complexa sem causa definida, de baixa ocorrência (um para cada mil nascidos vivos) e que envolve ossos, músculos, tendões e vasos sanguíneos. Normalmente, as crianças apresentam o calcanhar elevado e um pé pequeno, voltado para dentro. A incidência nos meninos costuma ser duas vezes maior que nas meninas. Pode ser diagnosticado precocemente (até intraútero), sendo que o início do tratamento deve ser o mais breve possível. Inicialmente, o tratamento é realizado com manipulação dos pés e trocas de gessos periódicas, mas há casos em que é necessária a cirurgia. A deformidade deve ser corrigida antes que a criança comece a andar.
  • Tratamento de Displasia Congênita do Quadril: é uma alteração no desenvolvimento do recém-nascido que prejudica a estabilidade do quadril, podendo variar desde uma instabilidade mais amena até a luxação total da articulação. Nos casos mais amenos, pode passar despercebida no período neonatal, mas é de extrema importância o reconhecimento precoce para que o tratamento seja iniciado corretamente.
  • Tratamento de Paralisia Obstétrica e Deformidades da Mão: ocorre por lesão do plexo braquial no momento do nascimento, acarretando perda da movimentação do membro. O tratamento inclui desde microcirurgia e fisioterapia, até outros tipos de cirurgias corretivas para deixar o membro mais funcional. Os membros são alvo importante de malformações, podendo haver encurtamentos e outros tipos de assimetrias que muitas vezes podem ser corrigidas. O núcleo trata da correção de assimetrias e deformidades, reconstruções de membros e outros procedimentos que podem melhorar e devolver a funcionalidade das mãos e melhor estética possível.
  • Tratamento de Paralisia Cerebral: ocorre devido à falta de oxigenação no cérebro, podendo acontecer em momento intraútero, no parto, ou até os dois anos de idade. De acordo com a área cerebral afetada, as crianças ficam com deficiências que variam em local ou gravidade. Podem haver alterações motoras e de fala, mas na maioria das vezes o intelecto é preservado. São crianças que necessitam de cuidados especiais. Por isso, o cuidado intenso da equipe multiprofissional e dos pais é essencial para possibilitar o desenvolvimento e enfrentamento das dificuldades.
  • Tratamento de Escoliose: é uma alteração do alinhamento da coluna vertebral no plano frontal, associada a uma rotação das vértebras, culminando com alterações em todos os planos da coluna. Geralmente aparece durante a adolescência, mas sua ocorrência na infância também é bastante elevada. A escoliose congênita tem influência genética comprovada, não sendo causada por má postura ou por se carregar peso ou mochilas nas costas. Pode ocorrer em crianças saudáveis, mas também devido às doenças neurológicas e musculares, com comportamento e gravidade bastante diferentes. Às vezes passa despercebida pela adolescência, ou não é grave o suficiente para intervenção cirúrgica. No entanto, em algumas pessoas, pode haver progressão das curvas, interferindo nas atividades diárias. Em casos mais graves, pode reduzir a capacidade pulmonar pela deformidade do tórax e redução do espaço para os pulmões, necessitando de correção cirúrgica.

Autor: Mariana Setubal

Atualizado em: 31/3/2020