Centros de Excelência e Serviços / Departamento de Anestesiologia

Hand-outs (folhetos)

O Serviço de Anestesiologia do Sabará Hospital Infantil criou um folheto intitulado “Informações sobre anestesia”, com informações sobre todo o processo anestésico cirúrgico, ajudando os pais e familiares a esclarecerem suas dúvidas sobre a anestesia.

Você e seu filho deverão receber este folheto durante a consulta com o cirurgião ou na consulta de avaliação pré-anestésica e, assim, esclarecer todas as dúvidas.

Durante a consulta pré-anestésica, o anestesiologista fará um questionário sobre a saúde e os hábitos de seu filho e também questionará antecedentes de sua família. Solicitamos que os acompanhantes das crianças sejam pessoas habilitadas a prestar estas informações, de preferência os pais.

Ainda na consulta de avaliação pré-anestésica será realizado um rápido exame físico, bastante direcionado para as prioridades anestésicas e também serão checados exames laboratoriais e uso de medicações.

Portanto, solicitamos aos pais ou acompanhantes que tragam consigo os exames pré-operatórios da criança, assim como tenham em mãos uma lista com os medicamentos que a criança faz uso regularmente.

Nos casos em que não foram solicitados exames pelo cirurgião, não se assustem! As crianças saudáveis que se submetem a procedimentos simples, na maioria das vezes, não necessitam de avaliação laboratorial (exames de sangue). Durante a consulta pré-anestésica, o anestesiologista ainda pode solicitar opinião de outro médico especialista, assim como exames laboratoriais que julgue necessário.

Na consulta pré-anestésica, teremos a oportunidade de colocar as crianças em contato com a realidade anestésica-cirúrgica, explicando o que irá acontecer e mostrando materiais que serão utilizados na anestesia. Esta abordagem favorece o aprendizado e o preparo emocional da criança, que enfrentará a nova situação mais familiarizada com as peculiaridades do ambiente do centro cirúrgico, diminuindo a ansiedade e o medo.

 

Como os pais podem ajudar

A participação dos pais no preparo da criança é fundamental. Você pode ajudar seu filho a lidar com o estresse e o medo da cirurgia, através de algumas ações:

 

  1. Saiba tudo o que puder…

As crianças percebem quando seus pais estão preocupados, portanto, os pais ou responsáveis devem também se preparar.

E como fazê-lo? Tudo o que é desconhecido gera insegurança e medo no ser humano, este é um processo totalmente normal.

Assim, quanto mais você souber sobre os sentimentos de seu filho e sobre o procedimento que irá enfrentar, mais se fortalece e ajuda no preparo da criança. Tire suas dúvidas, conheça todos os médicos envolvidos no processo, cirurgiões e anestesista e, assim, você se sentirá melhor, mais confiante, seguro e capaz de transmitir segurança para seu filho.

 

  1. Seja honesto!

Em um esforço para tranquilizar o seu filho, você pode sentir-se tentado a dizer-lhe coisas que não são verdadeiras. Esta atitude não é boa, pois pode quebrar o vínculo de credibilidade e confiança entre pais e filhos.

É muito importante se abrir com a criança, explicar o porquê vai para o hospital (de forma simples para que ela possa compreender). Se algo pode doer, diga a verdade!

Explique que, embora exista a possibilidade de doer, algumas crianças sentem um pouco de dor, mas outras quase não a sentem e que vocês irão descobrir juntos o que dói. Explique também que este é um hospital feito só para crianças e, desta forma, as pessoas que trabalham aqui, médicos e enfermeiras gostam muito de crianças e farão todo o possível para que a dor e o desconforto sejam mínimos.

 

  1. Incentive a discussão e perguntas

Converse com seu filho sobre a operação ou exame. Abra a discussão e pergunte se ele tem alguma dúvida. Você pode perguntar sobre alguns aspectos da internação e promover uma discussão.

 

Controlando a ansiedade

Em crianças acima dos 6 anos de idade, a avaliação pré-anestésica deve acontecer num período de 5 a 7 dias antes da cirurgia, facilitando o processo psicológico de assimilação e preparo emocional para o enfrentamento do ato anestésico–cirúrgico. Abaixo desta faixa etária, a avaliação pode acontecer com menor antecedência, pois o processo de adequação psicológica é mais dependente da orientação dos familiares.

Segundo alguns autores, a Avaliação pré-anestésica realizada com a devida antecedência, assim como a prestação de informações dirigidas à criança e aos pais, através de folhetos explicativos, e o contato com equipamentos de anestesia (por exemplo a máscara facial) são fatores que determinam uma menor ansiedade na indução anestésica, melhor recuperação anestésica, diminuindo a dor e os distúrbios de comportamento no pós-operatório, influenciando no tempo de permanência hospitalar, favorecendo alta precoce.

Além do preparo pré-anestésico, o serviço de anestesiologia busca minimizar a ansiedade de forma lúdica, oferecendo brinquedos às crianças na recepção do centro cirúrgico, e também permitindo que as crianças tragam e entrem no centro cirúrgico com seus próprios brinquedos de estimação.

Porém, nos casos onde exista indicação, podemos lançar mão de recursos farmacológicos, oferecendo medicação pré-anestésica, o que irá proporcionar diminuição da ansiedade e algum grau de sonolência. Idealmente esta medicação deve ser administrada para a criança numa área contígua ao centro cirúrgico (sala de pré-medicação ou recepção de pacientes), para adequada monitoração da criança, evitando transporte do paciente sob algum grau de sedação, e também possibilitando a rápida identificação de reações adversas.

A presença dos familiares na indução anestésica também é outro fator importante para reduzir o estresse e ansiedade na entrada do centro cirúrgico e nos momentos iniciais da anestesia. Associada à avaliação pré-anestésica e à medicação, tem papel fundamental em minimizar o sofrimento da criança. Porém, devemos ter em mente que pais calmos confortam, transmitem serenidade e segurança para seus filhos; entretanto pais temerosos, ansiosos ou chorando transmitem medo e insegurança para as crianças.

Cuidadosamente e carinhosamente solicitamos aos pais firmeza nos momentos que antecedem um procedimento anestésico-cirúrgico, orientando falar sempre a verdade, transmitindo confiança e tranquilidade para a criança, para que assim as crianças possam se espelhar em atitudes positivas e de colaboração.

No momento da entrada no centro cirúrgico será permitida a presença de familiares que estejam tranquilos, para acompanhar as crianças que não apresentem contraindicações desta prática; os familiares poderão permanecer durante a indução anestésica, transmitindo carinho, segurança e coragem aos pequenos.

Todas as crianças com antecedentes de doenças respiratórias, alergias, doenças congênitas, obesidade, e outras situações que a critério do médico anestesiologista sejam potenciais para complicações ou dificuldade na indução, recomenda-se não permitir a presença dos familiares. No entanto, as equipes médica e de enfermagem do centro cirúrgico do Sabará terão o maior cuidado e carinho com as crianças, favorecendo uma indução anestésica e despertar anestésico tranquilos.

 

 

Autor: Mariana Setubal

Atualizado em: 05/6/2019