1ª UTI pediátrica privada do Brasil: uma revolução na saúde infantil que começou com o Sabará - Hospital Sabará
1ª UTI pediátrica privada do Brasil: uma revolução na saúde infantil que começou com o Sabará
Notícias

1ª UTI pediátrica privada do Brasil: uma revolução na saúde infantil que começou com o Sabará

1ª UTI pediátrica privada do Brasil: uma revolução na saúde infantil que começou com o Sabará

 

Ao longo de 60 anos de história, o Sabará Hospital Infantil vem construindo marcos importantes na assistência à saúde de crianças e adolescentes. Em diferentes frentes, como na infraestrutura hospitalar, especialização de equipes e na abordagem de atendimento, contribuímos com o avanço da medicina intensiva pediátrica no Brasil. 

 

Para compartilhar um pouco da nossa trajetória, iniciamos a série Pioneirismos do Sabará. E neste primeiro papo, vamos contar o que significou termos criado, em 1974, a primeira Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica e Neonatal em hospitais privados do país. Um momento histórico para nós, mas que, para além disso, representou também todo o contexto de busca pela ampliação dos cuidados às nossas crianças, diante de um período de surtos de doenças com alto potencial de morte. 

 

Ao retomar esse momento, celebramos as conquistas alcançadas na atenção à saúde infantil. Acompanhe essa emocionante volta ao passado que abriu novas perspectivas de vida para os nossos pequenos, siga na leitura!

 

A inauguração da UTI do Sabará em um contexto de desafios 

 

No início dos anos 1970, o Brasil enfrentava grandes epidemias de doenças como sarampo, poliomielite, difteria, entre outras enfermidades. Nessa década, a taxa de mortalidade infantil – número de crianças que morriam antes de completar um ano de vida – era de 97,6 para cada mil nascimentos, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).  Ainda de acordo com o órgão, a taxa de óbitos antes dos 5 anos de idade era ainda maior: 126,2 por mil. 

 

Alguns fatores do cenário socioeconômico do Brasil daquele período apontam para os motivos dos altos índices de mortes de crianças: escassos recursos materiais para o tratamento de doenças, falta de vacinas e déficit dos serviços de saneamento e dos programas públicos de nutrição infantil. O gerente médico da Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica do Hospital Infantil Sabará, Nelson Horigoshi, relembra as dificuldades técnicas na assistência aos pacientes recém-nascidos com quadros mais complexos: “A mortalidade de prematuros era enorme por total falta de tecnologia, não existia uma tecnologia para manter um prematuro extremo vivo”.

 

Frente a esse contexto, o pediatra analisa o quanto o Sabará assumiu uma posição de vanguarda com a inauguração de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para atendimento exclusivo de bebês e crianças. “A primeira UTI pediátrica dos Estados Unidos foi em 1967, na Filadélfia. Então, sete anos depois já estávamos inaugurando aqui no Brasil a nossa UTI. Lembrando que naquela época havia uma defasagem muito grande na Medicina praticada lá nos Estados Unidos e aqui no Brasil”.

 

As UTIs pediátricas e o desenvolvimento de aparelhos próprios para crianças 

 

Diferentemente do que acontecia em hospitais gerais – com atendimento também de pacientes adultos -, a criação da UTI pediátrica reservava um local para que crianças que precisassem de cuidados e/ou tratamentos especiais fossem acompanhadas em tempo integral por uma equipe preparada para perceber suas necessidades. Horigoshi destaca o quanto esse movimento feito pelo Sabará, e também por outras UTIs exclusivas no atendimento infantil que surgiram na mesma época, foi importante para que a indústria de equipamentos começasse a olhar para as especificidades do paciente pediátrico: “Naquela época, a gente tinha que trabalhar com respiradores de adulto querendo ventilar uma criança. Aconteciam muitas complicações decorrentes da própria falta de tecnologia mesmo. E começaram, então, com o surgimento das UTIs pediátricas, a desenvolver os equipamentos direcionados para criança – isso, sim, foi um avanço tecnológico nos últimos 50 anos que revolucionou o intensivismo pediátrico”.

 

Se antes não havia materiais específicos para tratar crianças com insuficiência respiratória, Horigoshi celebra os avanços que permitem atualmente oferecer amparo para as crianças com as mais altas complexidades: “Hoje, a gente tem diversos equipamentos de suporte da vida. Então, conseguimos substituir rim, pulmão e coração por máquinas – temporariamente, lógico -, mas são equipamentos que fazem a função de um órgão vital.”, ressalta o médico.   

 

Os progressos são vistos na queda no número da mortalidade infantil. Em 2019, o IBGE apontou taxa de 11,9 óbitos de crianças antes de completar um ano de vida para cada mil nascimentos. Uma queda de 87,8% em comparação com o índice dos anos 1970. Já nos registros de morte antes dos 5 anos de idade, a redução foi de 88,9%, com taxa, em 2019, de 14,0 por mil. Apesar da forte diminuição, ainda temos um longo caminho a percorrer, quando comparamos com países como Japão e Finlândia,  que possuem taxas de mortalidade infantil (antes de um ano de idade) abaixo de 2 por mil. 

 

Para além de maiores incrementos na assistência à saúde, como bem orienta o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), o desenvolvimento integral da criança depende também da garantia de direitos como alimentação, moradia, saúde, educação e proteção à qualquer forma de violência. Nesse sentido, políticas públicas de amparo aos pequenos em situação de vulnerabilidade social são fundamentais para que se cuide de todo o bem-estar das crianças.

 

O uso da tecnologia para cuidar do coração e pulmão de pacientes pediátricos 

 

Desde a sua criação, a UTI pediátrica do Sabará teve em sua essência a inovação e busca pelo que tivesse de mais avançado em tratamentos. Em 2015, o setor registrou mais um marco importante ao iniciar a aplicação da Oxigenação por Membrana Extracorpórea, conhecida como ECMO. A sofisticada tecnologia imita a função natural do coração e pulmões, o que tem permitido salvar a vida de muitas crianças.  

  

Para isso, é utilizado um circuito de tubos, bomba, oxigenador e aquecedor que fica instalado fora do corpo do paciente. A técnica é tradicionalmente usada como suporte em pós-operatório de cirurgia cardíaca, mas também pode ser empregada no tratamento de doenças pulmonares graves, quadros de insuficiência cardíaca, trauma ou infecção grave. Dessa forma, a criança poupa esses órgãos enquanto se recupera. 

 

No Dia Internacional da Mulher, contamos a história do Programa de ECMO do Sabará Hospital Infantil, que, desde a sua fundação, sempre foi liderado por uma equipe feminina. Na ocasião, a diretora do programa, Dra. Rafaella Gato, destacou a inovação no próprio uso da técnica: “Antigamente, a ECMO não era pensada como uma opção de suporte circulatório para o choque séptico severo, mas aqui no Sabará a gente faz isso já tem alguns anos. Isso é um aspecto interessante do nosso serviço, ele tem um perfil de vanguarda. Nós sempre estamos fazendo coisas à frente do que se fazia, e hoje colhemos os frutos disso”.      

 

Em 2019, o Programa do Sabará Hospital Infantil foi reconhecido pela ELSO – organização não governamental dedicada à pesquisa e regulamentação da terapia – como o único Centro de Excelência em ECMO do Brasil. O programa registra ainda as melhores taxas de sobrevida e alta hospitalar do país, comparáveis com os melhores centros mundiais.    

 

UTI altamente especializada 

 

A UTI pediátrica do Sabará Hospital Infantil recebe crianças que precisam dos mais variados cuidados e/ou tratamentos especiais. Entre as situações atendidas, estão pacientes em pós-operatório de grandes cirurgias, como as cardíacas ou as neurocirurgias, e também os pequenos que apresentam alguma doença ou distúrbio que necessite de um acompanhamento permanente.

 

Com os recursos e equipamentos necessários para o atendimento de recém-nascidos até adolescentes, um dos diferenciais da nossa UTI também é o alto nível de especialização dos profissionais. O Dr. Horigoshi destaca que a equipe que atua no setor recebe capacitações específicas. “A partir de 2015, começamos a especializar grupos de tratamento dentro da UTI, os médicos e os demais profissionais. Primeiro, com o grupo mais comum, que era o respiratório, depois tivemos um grupo de cardiointensivismo em ECMO, um grupo de aerodigestivo, de rim, e atualmente temos um grupo de neurologia”, enfatiza o médico. 

 

Por sermos um hospital 100% pediátrico, também desenvolvemos conhecimento na identificação e tratamento de doenças infantis consideradas raras e de difícil diagnóstico. Desde 2018, o Sabará conta com uma Unidade de Terapia Intensiva exclusiva para casos complexos de cardiologia e neurologia: o Centro de Cuidados Avançados em Doenças Cardíacas e Neurológicas.  

 

Visita multidisciplinar

 

Sabemos que ter um filho hospitalizado é sempre um evento difícil, mas nos casos em que a criança necessita de acompanhamento intensivo, é comum que os pais fiquem ainda mais fragilizados. Por isso, também nos preocupamos em oferecer suporte aos familiares.

 

Um dos momentos em que fazemos isso é durante as visitas multidisciplinares. Nesses encontros, a equipe de enfermagem juntamente com médicos diaristas, psicólogos, fisioterapeutas, nutricionistas e outros especialistas que estão acompanhando o caso da criança, conversam com os pais para explicar o plano terapêutico e os cuidados com o pequeno. Na ocasião, os profissionais buscam ainda criar oportunidades de trocas e de maior contato com os responsáveis.

 

A criança que está na UTI pediátrica é monitorada de forma completa 24 horas por dia por profissionais especializados. Além disso, pais e mães também podem acompanhar seu filho durante todo o tempo. Outra característica da nossa unidade de cuidados intensivos, pois consideramos que a participação ativa dos pais pode refletir significativamente em melhores resultados no tratamento da criança.

 

Saiba mais sobre os diferenciais do atendimento oferecido pelo Sabará, acessando os links abaixo:

 

Conheça o nosso Centro de Excelência em Alta Complexidade

https://www.youtube.com/watch?v=j0dLSsZsKNo

 

Conheça a UTI do Sabará Hospital Infantil e a história da Rafa

https://www.youtube.com/watch?v=neEShEdroPY 

 

UTI Pediátrica e suporte aos pacientes cardiopatas

https://www.youtube.com/watch?v=BEizNE_b6K8

Open chat
Cuidador Virtual