Visão geral

 

Nossa missão é prestar o melhor atendimento à sua criança, o mais rápido possível. Os médicos e enfermeiros do nosso Pronto-Socorro são especificamente treinados e estão disponíveis 24 horas por dia. Faremos tudo o que for possível para ajudar a criança e seus familiares em sua passagem pelo setor do Pronto-Socorro infantil.

 

História e momentos marcantes

A área foi inaugurada em 1962 em um casarão antigo, com 12 quartos, uma enfermaria e três consultórios, no bairro de Higienópolis, entre as ruas Alagoas e Sabará. Já nessa época, ficou estabelecida uma padronização de condutas no atendimento médico que ajudava a uniformizar o padrão de atenção a ser dado ao paciente.

Em 1970, o Pronto-Socorro passou a funcionar em novo prédio na Rua Dona Antônia de Queirós, no bairro da Consolação – expansão faseada ao longo de mais de 20 anos, contemplando um centro cirúrgico, UTI e quartos individuais.

Em 2010, foi inaugurado o novo Sabará Hospital Infantil, localizado na Avenida Angélica, com 17 andares e um novo pronto-socorro projetado para até 130 mil atendimentos por ano.

 

Tamanho

O Sabará Hospital Infantil tem o pronto-socorro privado com maior número de médicos pediatras em atendimento simultâneo do Brasil e é o único especializado e exclusivamente pediátrico de São Paulo. Nosso Pronto-Socorro possui uma infraestrutura de três andares com cerca de 3 mil m², divididos em diferentes espaços de atendimento: consultórios, salas de emergência, salas de observação, salas de inalação, salas de exame clínico e diagnóstico, salas de procedimentos, laboratório e espaço de avaliação para alta médica.

Atendemos em média 10 mil pacientes por mês e somos referência em saúde infantil, com triagem eficiente copiada por diversos hospitais do país e constantemente procurados para uma segunda opinião médica. Nosso índice de satisfação no Pronto-Socorro supera 90% entre as famílias que estão muito satisfeitas ou satisfeitas.

 

Função

O Hospital reconhece as legítimas preocupações das famílias e sua aflição por garantir atendimento rápido. Nosso sistema de triagem estabelece critérios de priorização de atendimento que procuram exclusivamente hierarquizar os riscos médicos envolvidos e o bem-estar dos pacientes. Esse sistema é impessoal e não contempla critérios subjetivos de conveniência, mas está plenamente validado tecnicamente (atender primeiro as crianças de maior risco).

Casos emergenciais são atendidos de forma imediata e casos urgentes – aqueles em que o paciente corre mais riscos de piora – têm recebido atendimento na metade do tempo preconizado, ou seja, são atendidos em 30 minutos em média (preconiza-se que seja em até 60 minutos).

Crianças classificadas como menos graves podem enfrentar espera variável de acordo com o volume de pacientes do Pronto-Socorro. A classificação de risco é calculada com base em protocolos internacionalmente reconhecidos e avaliados na triagem, procedimento realizado antes mesmo de cadastro do paciente que chega ao Sabará. Nossa triagem é feita por enfermeiros e a classificação de risco de Manchester é adaptada para crianças e atualizada continuamente para que esteja cada vez mais precisa.

 

Qualificação do time

A equipe médica é toda formada por especialistas em pediatria e a grande maioria possui uma subespecialização. Há, portanto, tempo mínimo de formação médica, e uma seleção dos profissionais por meio de análise de currículo e entrevista. Todos recebem treinamento em atendimento de urgências e contam com apoio de diversas outras especialidades presenciais e à distância.

O time de Enfermagem é composto de profissionais com experiência prévia em pediatria, mais especificamente no atendimento de pronto-socorro. Nossos enfermeiros em geral possuem especialidades em áreas relacionadas (pediatria, emergência, UTI pediátrica, cardiologia) e os técnicos de enfermagem necessitam tempo mínimo de formação. Todos recebem treinamento em atendimento de urgências.

Tão importante quanto essa base sólida de profissionais é o funcionamento em integração das equipes, focado na sequência de ações necessárias para a melhora da saúde das crianças.

 

Números

  • Mais de 10.000 atendimentos por mês;
  • Mais de 70% desses atendimentos em crianças menores de 4 anos de idade;
  • 52,7% são meninos e 47,3% são meninas;
  • Aproximadamente 50% por motivos respiratórios.

 

Especialização em crianças

Com um volume tão grande de crianças passando pelo Hospital e o acúmulo de experiência, os profissionais do Sabará são referência nesta área. Os médicos, enfermeiros e os demais funcionários sabem lidar com esse público, acalmar crianças aflitas, entender o que estão sentindo, mesmo que ainda não saibam colocar em palavras.

O Hospital tem equipamentos e mobiliários desenhados para o público infantil, assim como profissionais treinados para realizar exames em crianças – com todos os cuidados necessários, olhar treinado e conhecimento específico para diagnósticos precisos.

Saiba mais em “Por que um hospital exclusivamente pediátrico?”

Tour virtual

 

Sala de espera

clique para ver em tela cheia

 

Sala de Triagem

clique para ver em tela cheia

 

Cadastro

clique para ver em tela cheia

 

Sala 100

clique para ver em tela cheia

 

Consultorio médico

clique para ver em tela cheia

 

Sala de emergência

clique para ver em tela cheia

 

Sala de medicação

clique para ver em tela cheia

 

Corredor – observação

clique para ver em tela cheia

 

Box de observação

clique para ver em tela cheia

 

Box de observação 2

clique para ver em tela cheia

 

Pré-atendimento

Quando chegar ao Pronto-Socorro infantil, vocês serão atendidos inicialmente por uma enfermeira treinada em emergências pediátricas. Essa enfermeira fará algumas perguntas, sendo muito importante passar-lhe todas as informações necessárias (inclusive doenças já existentes, medicações de uso habitual e alergias). Ela verificará a temperatura e o peso da criança e realizará um breve exame físico.

Assim, os pacientes mais doentes serão vistas primeiro, e pedimos para as demais famílias aguardarem. Se a criança tiver dor, febre ou vômitos, será oferecida a medicação sintomática, enquanto ela aguarda a consulta médica.

 

Cadastro

Após o pré-atendimento, você vai ser direcionado ao setor de cadastro, onde são registrados dados como identificação, endereço e telefone. É importante dar a informação completa, o que facilitará contatos futuros com você ou o pediatra responsável.

Muitas operadoras de saúde exigem contato telefônico para a autorização do atendimento, o que pode levar algum tempo. É preciso ter paciência.

Podemos realizar o atendimento mesmo que não haja autorização da operadora, nesses casos você poderá realizar o pagamento via particular.

Após o cadastro, você será direcionado à sala de espera, e será chamado para o atendimento médico por meio do painel.

 

Sala de espera

Na sala de espera, temos fraldário e TVs com programas infantis e informativos.

Orientamos que você converse com a criança, acalmando-a em relação à consulta e evite oferecer-lhe alimentos ou líquidos antes da consulta.

Há painéis de chamada que identificam a senha da criança e o consultório onde será atendida (o número da senha aparecerá na cor de sua prioridade – verde, laranja, azul, amarelo ou vermelha). Temos uma sala mais reservada para as crianças menores de 2 meses.

 

Consultório médico

Todos os nossos pediatras possuem completa formação na especialidade. O pediatra fará a consulta e fornecerá as explicações pertinentes.

Nossos consultórios foram idealizados para uma consulta de emergência. Por uma questão de conforto, aconselhamos que no máximo dois adultos acompanhem a criança. Quando houver mais pessoas da família, pedimos que aguardem nas salas de espera.

Pedimos que durante a consulta, você mantenha o seu celular no silencioso.

 

Medicação

Algumas crianças em situação mais urgente podem necessitar de medicação oral, inalatória, intramuscular ou intravenosa. A maior parte desses pacientes é encaminhada pelo médico à sala 15 no primeiro andar, onde são medicados. Casos que necessitem de acesso intravenoso em geral são encaminhados para o segundo andar, onde recebem as medicações e são reavaliados em relação à necessidade de internação.

 

Exames laboratoriais/exames radiológicos

Se o pediatra solicitar exames ou prescrever medicamentos, vocês deverão dirigir-se à sala de espera do segundo andar. Serão chamados nos devidos locais também pelo painel de senhas.

Vocês poderão aguardar os resultados dos exames no térreo, onde dispomos de lanchonete e de um espaço lúdico para distrair as crianças. Lá também existem painéis que indicam se o médico está chamando sua criança para reavaliá-la.

 

Alta do Pronto-Socorro

No momento da alta, vocês receberão informações sobre o plano de tratamento, evolução esperada da doença e, nos casos necessários, receita médica.

Os resultados de exames poderão ser acessados pela internet ou retirados posteriormente no setor de entrega de resultados.

Quando passar em consulta com seu pediatra, relate a passagem pelo nosso Pronto-Socorro, temos coordenador médico disponível para qualquer necessidade de contato.

Dispomos de prontuário eletrônico que permite o acesso dos registros de atendimentos anteriores, inclusive resultado de exames. Isso pode facilitar a abordagem dos casos em atendimentos sequenciais.

Conheça o time

Felipe Monti Lora

Gerente do Pronto-Socorro

  • Possui graduação em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, onde especializou-se em Pediatria e Endocrinologia Infantil (titulado por ambas as sociedades);
  • Tem MBA em Gestão de Saúde pela Fundação Getulio Vargas;
  • Realizou estágios no Children’s Hospital de Boston (EUA) e Sick Kids de Toronto (Canadá);
  • Atuou como pediatra na Força Aérea Brasileira e em serviços de emergência diversos na cidade de São Paulo, como médico e coordenador;
  • Trabalha no Sabará Hospital Infantil desde 2013.
  • É instrutor do curso PALS (Pediatric Advanced Life Support), reconhecido pela American Heart Association;
  • É médico assistente da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo;
  • Atua em consultório médico;

Equipe Pronto-Socorro

O Pronto-Socorro do Hospital conta com 100 médicos com formação em pediatria.

 

Coordenadores e chefes de equipe

Regina Harue Yada Leite

Pediatra, neonatologista, alergista e imunologista. Coordenadora médica do Pronto-Socorro.

 

Janahyna Gomes Emerenciano

Pediatra e hematopediatra. Coordenadora médica do Pronto-Socorro.


Emilia Barbosa Barata

Pediatra, especialista em Terapia Intensiva Pediátrica, com formação profissional em Pesquisa Clínica. Coordenadora médica do Pronto-Socorro.

 

Helena Maria Silva do Nascimento

Pediatra, nefropediatra. Coordenadora médica do Pronto-Socorro.

 

Ana Maria Vilela

Pediatra, pneumologista pediátrica. Coordenadora médica do Pronto-Socorro.

 

Patricia Alba Garcia de Miranda Salles

Pediatra, acupunturista, dermopediatra. Coordenadora médica do Pronto-Socorro.

 

Alessandra Miramontes Lima

Pediatra, alergologista e imunologista. Coordenadora médica do Pronto-Socorro.

 

Carmen Lucia de Araújo Banho

Pediatra e nefropediatra. Tem especialização lato sensu em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo. Médica da prefeitura municipal de São Paulo/Preceptoria. Coordenadora médica do Pronto-Socorro.

 

Lisa Suzuki

Radiologista e radiologista pediátrica. Tem doutorado e pós-graduação em Gestão da Qualidade em Saúde pela FGV. Experiência internacional em Boston e na Filadélfia. Coordenadora do serviço de radiologia do Instituto da Criança – HCFMUSP.

 

Fabrizio Ricci Romano

Otorrinolaringologista e otorrinolaringologista pediátrico. Tem doutorado e fellowship na Universidade de Barcelona. Médico colaborador ORL-HCFMUSP.

 

Robinson Koji Tsuji

Otorrinolaringologista, especialista em otologia e cirurgia de base de crânio. Tem doutorado e fellowship em neurotologia e cirurgia de base de crânio no Hospital das Clínicas da FMUSP. Experiência internacional em Toronto (Canadá), Paris (França) e Melbourne (Austrália). Coordenador do grupo de surdez e implante coclear do HCFMUSP.

 

Patricia M. de Moraes Barros Fucs

Ortopedista e ortopedista pediátrica. Tem doutorado e experiência internacional no Alfred I. duPont Institute Hospital for Children e na Stanford University. É professora titular da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e Chefe de Clínica Adjunta.

 

Miguel Akkari

Ortopedista, traumatologista e ortopedista pediátrico. Tem mestrado e doutorado. Tem experiência internacional nos Estados Unidos. É presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia Pediátrica. É chefe do grupo de Ortopedia Pediátrica da Santa Casa de São Paulo e professor assistente da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

 

Alexandre Zuccon

Ortopedista, traumatologista e ortopedista pediátrico. É doutorando em Bases Gerais da Cirurgia pela Unesp. Fez fellow research pela Washington University (EUA).

 

Francesco Camara Blumetti

Ortopedista, traumatologista e ortopedista pediátrico. Tem mestrado e doutorado. Tem experiência internacional em Sydney (Austrália) e Ottawa (Canadá). Médico assistente da Unifesp.

 

Wilson Lino Jr.

Ortopedista e ortopedista pediátrico. Tem mestrado e experiência internacional de fellowship – SLAOTI (Sociedade Latinoamericana de Ortopedia e Traumatologia Infantil). É assistente na Santa Casa de São Paulo e professor assistente no Hospital do Campo Limpo.

Qualidade e segurança

Satisfação

Uma das metodologias utilizadas para avaliarmos a qualidade dos nossos serviços é o NPS (Net Promoter Score), uma ferramenta simples que, por meio de uma única pergunta (“Qual a probabilidade de você recomendar nossa empresa para um amigo, parente e colega?”),  nos ajuda a avaliar a propensão de fidelização e satisfação dos nossos pacientes.

Atualmente nosso Pronto-Socorro tem uma nota acima de 75, o que significa que a Instituição está na zona de excelência.

 

 

Indicadores

  • Tivemos mais de 108 mil atendimentos realizados no Pronto-Socorro em 2016, uma média de 9 mil por mês;
  • A precisão de nosso acolhimento é um item de qualidade muito importante para a segurança de todas as crianças que passam pelo Pronto-Socorro. Em 2016, a média de assertividade da triagem foi de 98,26%;
  • Os casos mais urgentes são atendidos dentro de período internacionalmente preconizado, evitando-se piora desnecessária de nossas crianças. Em 2016, 93% dos pacientes classificados como prioritários foram atendidos dentro do prazo estipulado.

 

Em 2017, a assertividade da triagem vem batendo os 100%:

Para pais e familiares

 

Horários de funcionamento dos serviços de Otorrinolaringologia e Ortopedia

Otorrinolaringologia: de segunda a sexta-feira das 10h às 22h; sábados e domingos das 10h às 16h.

Ortopedia: de segunda a sexta-feira das 8h à 0h; sábados e domingos das 9h à 0h.

Em outros períodos, o médico fica à distância.

 

Informativos

O que significa a classificação Amarela?

O que significa a classificação Laranja?

O que significa a classificação Azul?

O que significa a classificação Verde?

 

Obs.: A classificação vermelha, de maior risco, significa emergência e uma campainha é acionada no Pronto-Socorro para atendimento multidisciplinar imediato, não possuindo folder de orientação próprio.

 

Número de acompanhantes por andar

Devido ao melhor fluxo de cuidados e informações e para oferecer toda a atenção necessária à criança, é permitido o número máximo de dois acompanhantes no 1º andar e um acompanhante no 2º andar do Pronto-Socorro.


Normas

  • Solicitamos evitar a alimentação das crianças logo antes da consulta médica;
  • Solicitamos evitar o uso de celular durante a consulta médica;
  • Não é permitida a permanência de mais de dois acompanhantes por paciente.


Humanização

O Pronto-Socorro do Sabará Hospital Infantil conta com excelente estrutura física customizada para melhor acolher e receber seus pequenos pacientes. Também conta com atividades e trabalhos de humanização, como os Grupos Saracura e Pronto Sorrir, que realizam atividades musicais e apresentação de personagens, respectivamente, durante todos os dias da semana, com intuito de entreter e acolher as crianças e responsáveis, amenizando o ambiente e proporcionando momentos de descontração e alegria a todos.


Pico sazonal

O gráfico abaixo mostra o movimento do Pronto-Socorro ao longo do ano. O Hospital fica mais cheio de março a junho e no mês de outubro.

 

Dicas Sabará

Queda

É uma das maiores causas de internação hospitalar via pronto-socorro, pois ocorre em qualquer idade e pode ter consequências graves. A maioria dos casos ocorre em casa, quando a criança se encontra desacompanhada de um adulto.

Com algumas mudanças nos hábitos, pode-se reduzir significativamente o risco e as lesões decorrentes de quedas.

 

O que fazer:

  • Não deixar a criança sozinha em qualquer lugar da casa, mesmo que ela ainda não tenha adquirido a capacidade de rolar;
  • Colocar grades de proteção em qualquer móvel utilizado para a criança dormir (berço ou cama);
  • As cadeiras para alimentação devem ter base alargada, trava e cinto;
  • No berço, observe se a altura da grade lateral é suficiente para evitar que a criança caia por cima dela, principalmente a partir do momento em que ela consegue ficar em pé com apoio;
  • Nunca use andador. É muito comum a queda do andador em escadas, e as lesões decorrentes dessa queda são frequentemente graves, com trauma de crânio e hospitalização;
  • Disponha os móveis de forma que a supervisão do filho seja de forma direta e constante;
  • Trave portas e bloqueie o acesso às áreas perigosas da casa, como escadas, lavanderia, cozinha e área externa;
  • Remova tapetes, brinquedos do chão, ou qualquer outro objeto que possa causar tropeços e quedas e utilize material de borracha em banheiros;
  • Instale redes ou grades de proteção em todas as janelas dos apartamentos ou casas do tipo sobrado;
  • Utilize equipamentos de proteção como capacetes, cotoveleiras e joelheiras em atividades com bicicleta.


Intoxicações/aspiração de corpo estranho

Intoxicação exógena ocorre principalmente porque as crianças têm o hábito de colocar qualquer coisa na boca. Já a aspiração de corpo estranho pode ser o objeto ingerido ou colocado pela criança nas narinas ou conduto auditivo, mas apresenta um risco maior quando é aspirado para o pulmão. Ocorre principalmente em meninos.

Entre os principais agentes estão: medicamentos, produtos de uso domiciliar (derivados de petróleo, cáustico são os mais comuns) e objetos pequenos (pilha, bexiga, botão, outros).

Os casos de intoxicação podem diminuir com a adoção de medidas preventivas, como:

  • Manter produtos domésticos e medicamentos em local fechado, alto e longe do alcance das crianças;
  • Usar cadeado ou trancas nos armários que armazenam os produtos;
  • Não comprar produtos que estejam embalados em garrafas pet, pois a criança poderá confundir com algo comestível;
  • Caso ocorra intoxicação ou aspiração de corpo estranho: levar a criança imediatamente a um hospital referenciado.

Logo após a aspiração de algum objeto, ocorre acesso de tosse, seguida de engasgo, que pode ou não ser valorizado pelos pais. A aspiração também deve ser considerada quando ocorre o primeiro quadro súbito de chiado no peito em crianças sem casos de alergia na família. Tosse persistente, chiado no peito, falta de ar súbita, rouquidão e lábios e unhas arroxeadas são sinais sugestivos de que pode ter ocorrido a aspiração do corpo estranho.

Quando a aspiração é parcial, a criança pode tossir e esboçar sons. Nessa situação, o melhor procedimento é a não intervenção no ambiente doméstico e encaminhamento a um serviço de saúde, para o tratamento definitivo.

Quando a aspiração é total, a criança não consegue esboçar qualquer som, está com asfixia, falta de ar importante e até com os lábios arroxeados. Nessa situação, deve-se proceder da seguinte maneira:

  • Maiores de 1 ano: manobra de Heimlich, que consiste em compressões abaixo das costelas, com sentido para cima, abraçando a criança por trás, até que o corpo estranho seja deslocado da via aérea para a boca e expelido;
  • Menores de 1 ano: cinco percussões com a mão na região das costas, a criança com a cabeça virada para baixo, seguida de cinco compressões na frente, até que o CE seja expelido ou a criança torne-se responsiva e reaja.


Queimaduras

A maioria das queimaduras ocorre na cozinha e na presença de um adulto. Em muitos casos o tratamento é muito doloroso, demorado e deixa marcas para sempre. Podem ser causas de queimadura:

  • Escaldadura (queimadura por líquidos quentes);
  • Contato com fogo e objetos quentes ou substâncias químicas;
  • Exposição à eletricidade.

As queimaduras são classificadas em primeiro, segundo ou terceiro graus dependendo da profundidade e do dano causado na pele.


O que fazer

Até que se tenha acesso ao atendimento médico, siga as seguintes orientações:

  • Retire a roupa que cobre a área queimada. Se a roupa estiver grudada na área queimada lave a região até que o tecido possa ser retirado delicadamente sem aumentar a lesão. Se continuar aderido à pele, o tecido deve ser cortado ao redor do ferimento;
  • Remova anéis, pulseiras e colares, pois o edema se desenvolve rapidamente;
  • Coloque a área queimada debaixo da água fria (e não gelada) ou coloque compressas limpas e frias sobre a queimadura até que a dor desapareça. O resfriamento das lesões com água fria é o melhor tratamento de urgência da queimadura. A água alivia a dor, limpa a lesão, impede o aprofundamento das queimaduras e diminui o edema (inchação) subsequente.
  • Não utilize compressas úmidas por longo tempo em queimaduras extensas, pois podem ocasionar hipotermia (a temperatura do corpo da vítima fica abaixo do normal);
  • Envolva a criança em lençol limpo, agasalhos, e encaminhe para o atendimento médico;
  • Dê um analgésico para alívio da dor;
  • Nas crianças conscientes e colaborativas com pequenas áreas queimadas (até 10% de SCQ) a hidratação oral com água e sucos de frutas pode ser iniciada;
  • Nas queimaduras extensas a perda de líquidos é muito grande e a reposição de líquidos e eletrólitos por via venosa deve ser feita o mais rápido possível. Isso é fundamental para a sobrevivência do paciente.


Bronquiolite

A bronquiolite é uma doença respiratória aguda, que provoca chiado no peito. Os principais causadores são os vírus respiratórios, que atacam principalmente nos meses de outono e inverno.

Os vírus respiratórios são transmitidos por contato direto com secreções respiratórias, ou mesmo pelo contato com as mãos de pessoas contaminadas ou objetos. Muitos vírus respiratórios têm a facilidade de viajar pelo ar a partir de saliva e de espirros.


O que fazer

  • Evite ambientes fechados;
  • Evite creches ou escolinhas para bebês menores de 1 ano;
  • Lave as mãos ao chegar em casa ou antes de ter contato com bebês pequenos ou prematuros;
  • Evite contato ou visita de pessoas resfriadas ou gripadas a bebês pequenos;
  • Faça a vacina contra a gripe anualmente.

Serviços de apoio

Retaguarda de Especialistas

A Retaguarda de Especialistas é um grupo de médicos de diversas especialidades que dá suporte para garantir que os pacientes do Sabará sejam atendidos em todas as suas necessidades. Hoje, há cerca de 300 especialistas na Retaguarda, que representam cerca de 35 especialidades.
Saiba mais aqui


Radiologia

Coordenada pela Dra. Lisa Suzuki, a equipe de Radiologia conta com 18 radiologistas.  O resultado de exames de imagem sai em 24 horas.

Saiba mais sobre o Centro de Diagnósticos


Transferência de paciente

  • Para outro hospital: Caso o convênio do paciente não dê cobertura ao Sabará Hospital Infantil ou caso não haja vaga para internação neste Hospital e o quadro clínico do paciente permitir, o setor de Gerenciamento de Leitos acionará o convênio do paciente para obter uma vaga no hospital de referência de seu plano para realizar a transferência. Antes desse procedimento, o responsável é chamado para a devida ciência e concordância.
  • De outro hospital para o Sabará: Caso o paciente seja transferido de outro hospital, o contato é feito com o Gerenciamento de Leitos, que verifica a cobertura do convênio e envia um relatório, que o médico solicitante deve preencher. Uma vez preenchido, será analisado pelo médico do Sabará, que decide ou não ceder a vaga de acordo com critérios estabelecidos e a disponibilidade de leitos.


Home Care

Os pacientes de Home Care que vêm ao hospital de ambulância para internação programada não passam pelo Pronto-Socorro, sendo recebidos por nosso enfermeiro e direcionados ao setor que os aguarda.

Aqueles que procuram o serviço de emergência com a ambulância do Home Care também são recebidos pelo enfermeiro, que realiza triagem e aloca o paciente com a estrutura de suporte necessário. O fluxo e a priorização obedecem os critérios habituais do Pronto-Socorro. Nesses casos, sugerimos ligar no hospital e avisar o setor, para que alguns procedimentos possam ser agilizados, fazendo o paciente e profissionais que o acompanham aguardar menos tempo.


SCIH

Conheça o Serviço de Controle de Infecção Hospitalar 


Fisioterapia

A Fisiokids é uma empresa qualificada e especializada em assistência fisioterapêutica pediátrica e neonatal que atua dentro do Sabará Hospital Infantil.

A equipe de fisioterapia atua no Pronto-Socorro em casos de emergências, em uque o paciente necessita usar dispositivos de ventilação mecânica por apresentar desconforto respiratório de moderado a grave, ou em casos de parada cardiorrespiratória (PCR).

Excepcionalmente, no período de alta demanda, junto à equipe médica e a fim de evitar complicações respiratórias graves, pode haver apoio desse serviço aos pacientes internados para terapia intensiva.

A fisioterapia respiratória é indicada, de uma maneira geral, para os quadros em que o bebê ou a criança apresente algum tipo de desconforto respiratório, como cansaço, tosse, falta de ar, normalmente causado por doenças como asma, bronquiolites e pneumonias, que ocasionam um acúmulo de secreção que a criança, normalmente, não consegue eliminar sozinha. Os exercícios respiratórios são compostos de técnicas manuais, posturais e cinéticas que podem ser aplicadas isoladamente ou em associação a outras técnicas.

Contato

Telefone: (11) 3155 2800

Endereço: Avenida Angélica, 1987 – CEP 01227-200 – São Paulo/SP




Informações para profissionais

Encaminhamento

O médico que considerar que seu paciente requer cuidados de urgência em nosso Pronto-Socorro, pode encaminhá-lo com carta explicativa (em receituário) e orientar o responsável pelo paciente a apresentá-la ao enfermeiro já no pré-atendimento.

Consideramos seu julgamento clínico (ou cirúrgico) importante critério para definição da classificação de risco, podendo seu paciente ser priorizado conforme seu estado de saúde.

Essa conduta não prejudica a passagem do paciente por todas as etapas de qualidade de nosso fluxo (protocolos de medicação, coleta de exames, reconhecimento de gravidade etc.), e pode ainda agilizar ou aumentar a segurança do seu atendimento.

 

Estágios

Clique aqui para mais informações sobre estágios no Sabará Hospital Infantil

 

Pronto-Socorro em números

  • São realizados cerca de 10 mil atendimentos por mês em nosso Pronto-Socorro;
  • Mais de 70% das crianças atendidas têm até 4 anos;
  • 53% das crianças atendidas são meninos e 47% são meninas;
  • 50% dos atendimentos realizados são por motivos respiratórios;
  • Em 2016, o número de médicos coordenadores e chefes de plantão aumentou mais de 50%;
  • O número total de médicos em 2016 aumentou em 38%;
  • A taxa de internação via Pronto-Socorro é de 5,7%;
  • Em 2016, vimos uma redução de 30% na taxa de evasão;
  • Também em 2016, houve uma redução de 4,6% em procedimentos desnecessários;
  • Houve uma redução de 12% da espera dos pacientes não priorizados em 2016.

Condições e tratamentos relacionados

Estas são os problemas mais comuns no nosso Pronto-Socorro:

Histórias de superação

Conte abaixo sua história no Sabará Hospital Infantil. Ela pode ser selecionada para ser publicada aqui no site