Visão geral

O Sabará Hospital Infantil é um dos maiores e mais respeitados centros de atendimento pediátrico do Brasil. Possui sede própria desde 1972, onde atuava com duas salas cirúrgicas. Já em 2010, mudou para o novo prédio com ampliação do Centro Cirúrgico (CC) para cinco salas operatórias (sendo uma inteligente) providas com equipamentos de moderna tecnologia, como foco de LED, sala pré-anestésica com brinquedoteca e 7 leitos de recuperação anestésica onde os responsáveis ficam junto com os pacientes.  Preparado para atender cirurgias de pequena a alta complexidade, como cardíacas, neurológicas e ortopédicas e transplante renal, sejam eletivas, urgências e/ou emergências; procedimentos diagnósticos sob anestesia como Endoscopias, Broncoscopias e Colonoscopias; e conta com estrutura e treinamento contínuo para atendimento a pacientes com via aérea difícil.

O hospital realiza mais de 4500 procedimentos cirúrgicos por ano.

A estrutura cirúrgica do Sabará Hospital Infantil está disponível para todos os médicos do corpo clínico mediante agendamento prévio pelo telefone.

Agendamento de cirurgias: Tel:   (11) 21559330

Profissionais que ainda não fazem parte do corpo clínico podem obter mais informações também pelo telefone Tel:  (11) 21552900

Tour virtual

Brinquedoteca e Sala de Pré Anestesia

clique para ver em tela cheia

 

Sala Cirurgia – Centro Cirurgico

clique para ver em tela cheia

 

Conheça o time

O Bloco Cirúrgico conta com supervisores de Enfermagem com especialização em Centro Cirúrgico, Cardiologia, UTI, Administração Hospitalar e Executivo em Saúde.

Enfermeiros assistenciais também especializados e técnicos de enfermagem, sendo uma equipe treinada em assistência à criança.

Centro de Material Esterilizado como apoio técnico, tendo por finalidade fornecer produtos de saúde adequadamente processados, contando com profissionais com conhecimento técnico e científico.

Equipe de anestesiologia especializada em anestesia pediátrica.

Engenharia clínica que acompanha o desempenho dos equipamentos no setor.

Farmácia satélite em espaço interno, onde atuam profissionais com conhecimento em atendimento cirúrgico.

 

Eloá Padilha

Supervisora do Bloco Cirúrgico

Graduada em Enfermagem e Obstetrícia pelo Centro Universitário São Camilo;com pós-graduação em Enfermagem em Cardiologia e Cuidados Intensivos pelo Centro Universitário Hermínio Ometto de Araras (UNIARARAS) e MBA Executivo em Saúde pela Fundação Getúlio Vargas.

Silvia Ponteli

Supervisora do Bloco Cirúrgico

Graduada em enfermagem pela Escola Paulista de Medicina; com habilitação em Enfermagem Médico-Cirúrgica pela mesma instituição; possui título de Especialista em Centro Cirúrgico e CME pela Sociedade Brasileira de Enfermeiros de Centro Cirúrgico (SOBECC); tem Especialização em Administração Hospitalar pelo Instituto de Pesquisas Hospitalares (IPH). 

 

Maria Lucia Castanheira

Supervisora da Central de Material Estéril

Graduada em Enfermagem pela UNIFESP; com habilitação em Enfermagem Médico-Cirúrgica e Especialização em Enfermagem do Trabalho; trabalhou no Hospital Infantil Sabará de 1983 até 1992 como Supervisora de Enfermagem da UTI e está desde 2001 como Supervisora de Enfermagem CME.

Qualidade e segurança

Segurança

O Centro Cirúrgico foi planejado para oferecer a máxima segurança ao paciente.

Os materiais usados na cirurgia seguem o conceito do fluxo unidirecional, o que faz com que os itens limpos não se cruzem com os usados, reduzindo os riscos de contaminação.

Existe controle da temperatura e umidade do ar das salas operatórias com controle interno e individualizado, de acordo com o procedimento realizado. Seguindo padrões estabelecidos por Protocolo de Normotermia institucional, para adequar a temperatura da sala ao paciente pediátrico.

Procurando diminuir o risco de infecções hospitalares, o fluxo de ar é direcionado de dentro para fora da sala cirúrgica (pressão positiva), o ar filtrado predomina no campo operatório. Além disso, a qualidade do ar passa por rigoroso controle com utilização de filtros próprios para detecção de partículas.

Nossa taxa de infecção nos procedimentos cirúrgicos está abaixo dos índices internacionais.

O Sabará Hospital Infantil foi o primeiro no país a implantar o conceito Cirurgia Segura com presença do responsável pelo paciente participando da primeira fase do checklist, estabelecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que visa à redução do risco de eventos adversos antes, durante e depois das cirurgias. Também segue rotina de demarcação de lateralidade, procedimento que inclui a sinalização prévia pelo médico do local a ser operado com a presença e validação do responsável. Evitando, assim, erros quando houver duplicidade de ​órgãos, como braços e pernas.

Normotermia

Pacientes pediátricos submetidos a procedimentos anestésicos são suscetíveis a perda de calor, o que nos fez estabelecer medidas de prevenção criando um protocolo para determinar diretrizes de proteção e tratamento de hipotermia perioperatória, como:

– Temperatura ambiente entre 22 a 24°C;

– Uso de dispositivo de aquecimento ativo em procedimentos acima de 1 hora, pacientes abaixo de 1 ano e peso inferior a 10kg;

– Controle de temperatura central com termômetro esofágico em procedimentos acima de 2 horas;

– Infusão de solução aquecida a 37°C.

 

Qualidade

Orientado por programa de qualidade da Joint Commission International (JCI), a principal agência de acreditação de instituições de saúde dos Estados Unidos, nosso Centro Cirúrgico está alinhado com as melhores práticas de gestão e procedimentos operacionais, elevando os padrões de segurança e qualidade dos cuidados assistenciais. Fazemos acompanhamento de indicadores que demonstram a preocupação com a segurança do paciente.

 

Checklist de segurança cirúrgica

É uma prática internacional que visa à prevenção de erros relacionados ao local da intervenção cirúrgica, procedimento e/ou paciente. Com o objetivo de atender às Metas Internacionais de Segurança do Paciente, o enfermeiro ou técnico de enfermagem confere com o cirurgião/médico responsável e com o anestesiologista, em voz alta, os itens determinados de verificação em três fases da cirurgia, sendo:

  • Primeiro momento definido como sign inÉ realizado no Centro Cirúrgico, na sala em que a cirurgia, procedimento ou exame invasivo será realizado, antes da indução anestésica. Deve ter a participação de toda a equipe envolvida e de um responsável pelo paciente.

 

  • Segundo momento definido de time out. Deve ser realizado imediatamente antes do início da cirurgia, procedimento, ou exame a ser realizado, garantindo que todos os materiais e equipamentos necessários para a realização do procedimento estejam disponíveis em sala.

 

  • Terceiro momento, denominado sign out. É realizado antes do fechamento cirúrgico. Deve ser conferido junto à equipe: compressas, gaze, encaminhamento de materiais para anatomia patológica ou laboratório de análises clínicas.

 

  • Os indicadores de cada fase do checklist de segurança cirúrgica demostram se todos os itens de verificação definidos para cada fase foram realizados por completo, tendo como resultado esperado 100%.

 

Taxa de infecção de sítio cirúrgico em cirurgia limpa

Mede a incidência de infecção em pacientes submetidos a procedimento cirúrgico com potencial de contaminação classificado como cirurgia limpa (procedimentos realizados em tecidos estéreis ou passíveis de descontaminação, sem dreno ou drenagem fechada, na ausência de processo infeccioso e inflamatório local, sem quebra de assepsia, não envolvendo trato alimentar, geniturinário ou vias aéreas).

 

Taxa de vômito na recuperação anestésica

Mostra a incidência de vômito nos pacientes submetidos a procedimentos anestésicos no centro cirúrgico.

 

Indicador de dor: a medida é realizada em dois momentos, sendo:

  • admissão do paciente na recuperação anestésica (RA): mostra a incidência de paciente com dor intensa e/ou insuportável através da classificação pela Escala de Flacc para pacientes abaixo de 7 anos ou Escala Numérica para pacientes acima de 7 anos.
  • alta do paciente da recuperação anestésica (RA): mostra a incidência de paciente com dor intensa e/ou insuportável através da classificação pela Escala de Flacc para pacientes abaixo de 7 anos ou Escala Numérica para pacientes acima de 7 anos.

Taxa de hipotermia

Mede a incidência de hipotermia (temperatura igual ou menor que 35,8°C ) nos pacientes submetidos a procedimento anestésico no centro cirúrgico, dando uma visão se o Protocolo de Normotermia implantado na Instituição está atendendo às necessidades dos pacientes.

 

Taxa de reoperação

Mede a incidência de reoperação nos pacientes submetidos a procedimentos cirúrgicos, demostrando a performance da equipe cirúrgica.

 

Taxa de lesão por pressão no intraoperatório

Mostra o índice de ocorrência de lesão no período intraoperatório. Demostra os cuidados prestados ao paciente relacionados com condições clínicas, posicionamento e tempo cirúrgico com utilização de posicionadores ortopédicos adequados.

Para pais e familiares

Os responsáveis podem colaborar para garantir um procedimento cirúrgico seguro com algumas atitudes, como:

– Seguir Orientação de Jejum criteriosamente;

– Chegar ao Sabará Hospital Infantil no horário programado;

– Trazer pijama aberto na frente ou agasalho e chinelo para ser utilizado ao ir para o Centro Cirúrgico. Trazer também todos os exames pré-operatórios realizados, documentos necessários para internação.

– Se o Termo de Consentimento Cirúrgico tiver sido entregue em consultório, deverá estar preenchido. Do contrário, será feito o preenchimento dentro do Centro Cirúrgico.

– Cada paciente deverá estar acompanhado por um responsável. Sugerimos não trazer para o Hospital criança sem procedimento cirúrgico agendado, pois não será permitida a entrada no Centro Cirúrgico e ela também não poderá permanecer desacompanhada.

Documentos para internação

  • Documento de identificação do paciente (certidão de nascimento ou RG);
  • Documento de identificação, com foto, do responsável;
  • Pedido de internação do médico responsável;
  • Cédula de identificação do convênio/seguradora;
  • Guia de internação.

Saiba mais sobre o processo de admissão

Passo a passo do procedimento

Os pacientes, quando chegam ao Centro Cirúrgico, são encaminhados à sala pré-anestésica com brinquedoteca. Ali, acompanhadas de um responsável, as crianças podem brincar com sossego, enquanto aguardam a cirurgia. Nesse local descontraído e lúdico a criança conta com brinquedos interativos e com painel de ambiente temático do fundo do mar. Nesse mesmo espaço, anestesista e cirurgião fazem avaliação do paciente antes da cirurgia. Conseguimos mesclar um atendimento carinhoso e acolhedor com o que há de mais moderno em tecnologia.

Em seguida, o paciente é encaminhado à sala operatória juntamente com acompanhante, são realizadas as checagens iniciais do checklist de Segurança Cirúrgica e posteriormente, de forma descontraída, inicia-se a indução anestésica, com a colaboração do responsável. Quando a criança começa a adormecer o acompanhante é encaminhado à sala de espera, onde aguarda até o final do procedimento cirúrgico.

Ao término da cirurgia, o paciente é encaminhado à recuperação anestésica na presença do anestesista e equipe de enfermagem. Nesse setor, é instalada a monitorização, em seguida providenciada a presença do acompanhante, o qual permanece com a criança até o momento da alta. Dessa maneira, a criança sempre adormece e acorda ao lado do responsável. Nos casos em que é necessária a recuperação em UTI, os pacientes também são acompanhados pela equipe multiprofissional e permanecem na companhia do responsável.

 

Anestesia

Fases do atendimento

Os pacientes que passam por cirurgia recebem atendimento em três fases:

  1. Indução anestésica – Nesta etapa, conduzida pelo médico anestesiologista e pela equipe de enfermagem, o paciente é monitorado para controle do traçado cardíaco, frequência cardíaca, pressão arterial, oxigenação sanguínea e nível de anestesia. Uma vez anestesiado, o paciente é posicionado e recebe as proteções necessárias, de acordo com a cirurgia a ser realizada.
  2. Período intraoperatório – A cirurgia propriamente dita começa no momento em que o cirurgião inicia a incisão e vai até o seu fechamento. Da sala de cirurgia, o paciente poderá ser encaminhado para a Recuperação Anestésica, ou para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), o que acontece caso precise de cuidados especiais.
  3. Recuperação Anestésica – O paciente conta com tecnologia de monitoramento, sob observação e cuidados constantes da equipe de enfermagem e do médico anestesiologista, até sua recuperação. O período de permanência nesse setor varia de acordo com cada paciente e tipo de cirurgia.

Inovação, tecnologia e avanços

O Hospital possui cinco salas cirúrgicas (sendo uma inteligente), providas com o que há de mais moderno em equipamentos para salas cirúrgicas e anestesia, fornecidos em sua maioria pela Drägger, empresa alemã, líder mundial na área.

Esses equipamentos possibilitam a realização de cirurgias de diversas complexidades.

Serviços de apoio

Com equipe preparada para atendimento de crianças, o Serviço de Anestesiologia do Sabará garante um atendimento humanizado e seguro aos pacientes que realizarão cirurgias ou procedimentos com sedação.

A engenharia clínica é uma manutenção especializada, responsável pelos equipamentos eletromédicos ou biomédicos do Hospital. Todos os equipamentos do Centro Cirúrgico passam por verificação do setor.

Para auxiliar no diagnóstico, há um laboratório de análises clínicas dentro do Sabará, que utiliza equipamentos próprios para crianças e calibrados para utilizar quantidades menores de sangue.

Às vezes é necessário examinar materiais extraídos nos procedimentos cirúrgicos. Para isso, contamos com uma equipe de especialistas em anatomia patológica que atende a diversas áreas médicas.

O exame de líquor (líquido cefalorraquidiano – LCR) serve para auxiliar no diagnóstico ou acompanhamento de doenças como meningite e é realizado no Sabará por médicos experientes e preocupados com a humanização do procedimento.

As transfusões de sangue são realizadas no Sabará por pessoal técnico especialmente qualificado para essa finalidade e com supervisão de médicos hematologistas/hemoterapeutas.

O Serviço de Controle de Infecção Hospitalar visa evitar a Infecção Relacionada à Assistência à Saúde (IRAS), também chamada de infecção hospitalar. Seu papel junto ao Centro Cirúrgico é de extrema importância, para monitorar e aperfeiçoar os processos de controle de infecção.

Alguns exames são feitos dentro do nosso Centro Cirúrgico, como Endoscopia, Broncoscopia, Colonoscopia, Nasofibrolaringoscopia e Laringoscopia, que são  realizados sob anestesia.

Temos uma farmácia satélite dentro do Centro Cirúrgico, que presta atendimento aos procedimentos cirúrgicos e exames com necessidade de intervenção anestésica.

O serviço de Qualidade e Segurança Assistencial idealiza e controla planos de ação que garantam a segurança do paciente e a qualidade do serviço prestado pelo Hospital. O serviço é responsável pela realização do checklist de segurança cirúrgico.

Contato

 

Telefone

Tel:  (11) 21559305 Tel:  (11) 31552873

Endereço

Av. Angélica, 2016
CEP: 01228-200 – São Paulo,/SP

 

Entre em contato conosco!





 

Informações para profissionais

A equipe do Centro Cirúrgico atua junto com o Instituto PENSI no aprimoramento de profissionais por meio de estágios em Anestesia e Enfermagem, visando melhoria de assistência em pediatria.

O Serviço de Atendimento Médico (SAM) é o setor responsável por realizar o cadastro de profissionais do Corpo Clínico que atuam no Centro Cirúrgico, assim como atualização de dados cadastrais com revalidação a cada três anos, crachá e acesso aos sistemas.

SAM

E-mail: sam@sabara.com.br

Telefones: (11) 3155 2900/ (11) 2155  9315

Horário e local: funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h, e está localizado no 16º andar do Hospital.

Centro cirúrgico em números

Em 2016, foram realizados 10.878 procedimentos cirúrgicos4.550 cirurgias.

 

 

Histórias de superação

Conte abaixo sua história no Sabará Hospital Infantil. Escolheremos as mais bacanas para contar aqui no site!