A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Z

Otites

As otites são afecções comumente diagnosticas na assistência pediátrica e podem ser classificadas em otite externa e otite média.

Otite externa aguda
Inflamação ou infecção do Meato Acústico Externo (MAE) e pavilhão auricular. Pode ser localizada, difusa, fúngica e maligna.

Otite externa aguda localizada:

  • Inflamação cutânea do MAE, com obstrução de unidades pilossebáceas, que infectam secundariamente. Pode envolver um folículo sebáceo (furúnculo) ou vários folículos (carbúnculos). A etiologia é geralmente bacteriana, sendo o estafilococo o agente mais comum.
  • Quadro clínico: otalgia intensa e adenopatia periauricular.
  • Tratamento: limpeza local cuidadosa, seguida de curativo local com creme contendo antibiótico. Deixar o MAE sem nenhuma oclusão. Orientar para evitar entrada de água.

Otite externa aguda difusa

  • Inflamação aguda de todo o MAE. A etiologia geralmente é bacteriana (Pseudomonas aeruginosa é a mais comum).
  • Quadro clínico: prurido precede a dor, sensação de plenitude na orelha. A dor pode ser bastante intensa e pode apresentar-se com otorreia.
  • Otoscopia: eritema e edema da pele, secreção em todo MAE (geralmente purulenta) e obstrução total ou parcial da luz do MAE.
  • Diagnóstico: cultura e antibiograma podem ser necessários em casos que não se resolvem em poucos dias. Em suspeita de complicações, colher hemograma e glicemia e, se necessário, exame de imagem (otite externa maligna).
  • Tratamento: limpeza cuidadosa do MAE (água oxigenada e soro fisiológico podem ser utilizados, seguido por secagem do MAE). Analgesia e orientação para evitar a entrada de água. Antibioticoterapia, geralmente tópica. Antibioticoterapia sistêmica é indicada em casos com infecção disseminada ao redor do MAE, com celulite auricular ou facial, linfodenite e acometimento do pavilhão

Otite externa micótica ou otomicose

  • Inflamação aguda ou crônica causada por fungos. Está associada ao aumento de umidade e calor do MAE e ao uso prévio de tratamento antibacteriano de longa duração. Os agentes etiológicos mais comuns são Aspergillus e Candida.
  • Quadro clínico: prurido e otorreia espessa.
  • Tratamento: limpeza local, remoção de restos epiteliais acumulados no MAE e secagem total do mesmo – a seguir, uso de agentes acidificantes (ácido acético). Antifúngicos tópicos líquidos (como, por exemplo, nitrato de miconazol ou isoconazol). Evitar entrada de água no MAE.

Otite média aguda (OMA)
Caracteriza-se por um processo inflamatório agudo do revestimento epitelial da orelha média.
Etiologia:

  • Bacteriana
    • Streptococcus pneumonae: 30%-35%
    • Haemophilus influenzae: 20%-25%
    • Moraxella catarrhalis: 10%-15% (30% produtoras de betalactamase)
    • Outros agentes, como estafilococos: 1%-2%
  • Viral: em cerca de 35% dos casos
    • Vírus sincicial respiratório
    • Influenza
    • Parainfluenza 2
    • Coxsackie B4
    • Enterovírus.
  • Quadro clínico:
    • Crianças pequenas e lactentes: irritabilidade, inapetência, diarreia, vômitos, febre e otorreia.
    • Crianças maiores e adolescentes: otalgia, geralmente unilateral, disacusia, plenitude auricular, febre e otorreia (OMA supurada).
  • Tratamento: admissão hospitalar na presença de complicações (otomastoidite aguda ou complicação intracraniana).
    • Antibioticoterapia: se não houver melhora em mais 48 a 72 horas, na ausência de suspeita de complicações, deve-se proceder a miringotomia (drenagem cirúrgica). Em caso de complicações, indica-se tomografia computadorizada. Recentemente, discute-se a possibilidade de não iniciar antibioticoterapia para crianças maiores de 2 anos de idade com quadro de OMA não complicada, em bom estado geral. Nesses casos, indica-se apenas analgésicos e antipiréticos com reavaliação da criança após 48 horas. Muitas opiniões diferem a esse respeito, não havendo ainda um consenso sobre essa conduta.
  • Complicações das infecções otológicas
    • Processos infecciosos provenientes da orelha média podem estender-se para outras regiões do osso temporal (mastoide e petrosa) e crânio (meninges e parênquima cerebral), por continuidade ou via hematogênica.
    • Podem ser divididas em mastoidite, abscesso subperiostal, subdural, extradural e cerebral, petrosite, labirintite infecciosa, paralisia facial, meningite e tromboflebite de seio sigmoide.
      1. Mastoidite aguda: os agentes etiológicos mais frequentes são, nesta ordem: Streptococcus pneumoniae, estreptococo do grupo A, Staphylococcus epidermidis, Haemophilus influenzae e anaeróbios.
      2. Abscessos intracranianos otogênicos: anaeróbios e gram-negativos.
      3. Meningite otogênica: prevalecem Haemophilus influenzae, Streptococcus pneumoniae e Neisseria meningitides.
  • Tratamento das complicações
    • Clínico:
      • Admissão hospitalar.
      • Antibioticoterapia parenteral de amplo espectro (para cobrir gram-negativos).
    • Cirúrgico

Autor: Dr. Gilberto Sitchin
Fonte: Baseado no texto do autor no Manual de Urgências e Emergências em Pediatria.



Experiências de vida sobre Otites

Quer compartilhar suas experiências?

Envie sua mensagem abaixo:

Ao clicar em continuar você concorda com os termos de utilização.

Termos de Utilização

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Saepe molestias tempora repudiandae nam, sequi. Fugiat sunt quasi facilis, asperiores sint aliquam, dolor impedit ex distinctio praesentium minima, aut explicabo nesciunt. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Optio pariatur nam voluptatibus tenetur dolore. Similique commodi minima quaerat voluptatum molestias, dolorem, accusantium dicta hic delectus nihil, voluptas doloremque molestiae qui.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Saepe molestias tempora repudiandae nam, sequi. Fugiat sunt quasi facilis, asperiores sint aliquam, dolor impedit ex distinctio praesentium minima, aut explicabo nesciunt. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Optio pariatur nam voluptatibus tenetur dolore. Similique commodi minima quaerat voluptatum molestias, dolorem, accusantium dicta hic delectus nihil, voluptas doloremque molestiae qui.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Saepe molestias tempora repudiandae nam, sequi. Fugiat sunt quasi facilis, asperiores sint aliquam, dolor impedit ex distinctio praesentium minima, aut explicabo nesciunt. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Optio pariatur nam voluptatibus tenetur dolore. Similique commodi minima quaerat voluptatum molestias, dolorem, accusantium dicta hic delectus nihil, voluptas doloremque molestiae qui.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Saepe molestias tempora repudiandae nam, sequi. Fugiat sunt quasi facilis, asperiores sint aliquam, dolor impedit ex distinctio praesentium minima, aut explicabo nesciunt. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Optio pariatur nam voluptatibus tenetur dolore. Similique commodi minima quaerat voluptatum molestias, dolorem, accusantium dicta hic delectus nihil, voluptas doloremque molestiae qui.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Saepe molestias tempora repudiandae nam, sequi. Fugiat sunt quasi facilis, asperiores sint aliquam, dolor impedit ex distinctio praesentium minima, aut explicabo nesciunt. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Optio pariatur nam voluptatibus tenetur dolore. Similique commodi minima quaerat voluptatum molestias, dolorem, accusantium dicta hic delectus nihil, voluptas doloremque molestiae qui.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Saepe molestias tempora repudiandae nam, sequi. Fugiat sunt quasi facilis, asperiores sint aliquam, dolor impedit ex distinctio praesentium minima, aut explicabo nesciunt. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Optio pariatur nam voluptatibus tenetur dolore. Similique commodi minima quaerat voluptatum molestias, dolorem, accusantium dicta hic delectus nihil, voluptas doloremque molestiae qui.