A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Z

Faringites e Amigdalites

Faringites e Amigdalites (tonsilites e faringoamigdalites)

Processos inflamatórios da faringe, hipofaringe, úvula e tonsilas faríngeas (adenoide) e palatinas (tonsilas) são causas frequentes de procura por assistência médica na faixa etária pediátrica. Tem como agentes mais prevalentes:

  • viral (75% a 90%): predominam nos dois primeiros anos de idade;
  • bacteriana (10% a 25%): predominam nos escolares e adolescentes.

Faringites:

  • Agudas: febre, rinorreia, obstrução nasal e roncos que desaparecem com a resolução do processo.
  • Recorrentes: 4 ou mais episódios de faringite aguda em 6 meses.
  • Crônica: rinorreia constante, halitose, secreção em orofaringe e congestão crônica. Comum a associação com otite média secretora.

Amigdalites:

  • Agudas: febre de intensidade variável, dor de garganta, disfagia, adenomegalia cervical com hiperemia de amígdalas e exsudatos. Pode ser acompanhada de queda do estado geral.
  • Recorrentes: 7 episódios em 1 ano; 5 episódios em 2 anos consecutivos.
  • Crônica: dor de garganta crônica, halitose, cálculos tonsilíticos, edema peritonsilítico e adenopatia cervical.

O diagnóstico e o tratamento correto das faringotonsilites, em especial as causadas pelo estreptococo do grupo A, são importantes na prevenção das sequelas não-supurativas.

  • Teste rápido (consiste na reação de um antígeno estreptocócico com anticorpos específicos). Apresenta especificidade de 95% e sensibilidade de 80% a 90%, se comparada à cultura de orofaringe. Resultados falso-negativos podem ocorrer devido à coleta inadequada do material.
  • Cultura de orofaringe (padrão-ouro), mas há demora na obtenção do resultado (de 24h a 48h).

Complicações das amigdalites e faringites

  • Não-supurativas: febre reumática, glomerulonefrite aguda, escarlatina e choque tóxico estreptocócico.
  • Supurativas: abscessos peritonsilíticos, parafaríngeos e retrofaríngeos que necessitem de drenagem da coleção.

Tratamentos para amigdalites e faringites

Clínico

  • Viral: somente suporte com analgésicos.
  • Bacteriana: embora a maioria das infecções seja autolimitada, mesmo na ausência de terapêutica antibiótica, o tratamento visa a erradicação do agente, encurtar o curso da doença, prevenir as sequelas supurativas e não-supurativas e diminuir o número de pessoas transmissoras. Os antibióticos.

Cirúrgico

  • Indicação absoluta nos casos de obstrução respiratória e/ou digestiva e relativa, nos casos recorrentes e nos abscessos.

Formas clínicas especiais
Mononucleose infecciosa

  • Etiologia: vírus de Epstein-Barr tem tropismo por linfócitos B e pelas células epiteliais da faringe e das glândulas salivares.
  • Incidência: maior nos adolescentes e adultos jovens.
  • Quadro clínico: tríade de febre prolongada, angina (pode ser eritematosa, eritematoexsudativa ou pseudomembranosa) e poliadenopatia. Podem ocorrer sinais sistêmicos como hepatomegalia (10%), esplenomegalia (50%) e rash cutâneo na vigência de penicilina.
  • Diagnóstico: quadro clínico, somado ao hemograma com linfocitose atípica, discreto aumento das transaminases e sorologia positiva (Reação de Paul-Bunnel-Davidson).
  • Tratamento: analgésicos e anti-inflamatórios.

Difteria

  • Etiologia: Corynebacterium diphtheriae
  • Incidência: praticamente erradicada. Acomete crianças do primeiro ao sétimo ano.
  • Quadro clínico: início insidioso, com aparecimento de pseudomembranas branco-acinzentadas sobre as amígdalas, terço superior dos pilares anteriores até a úvula. Nos casos graves, podem ocupar todo o trato aerodigestório alto, impedindo a eliminação de secreções e resultando em obstrução de vias aéreas superiores. Pode estar associado a poliadenopatia cervical, febre moderada, hipotensão, palidez, adinamia, paralisia do véu palatino, diplopia e arritmia cardíaca devido ao tropismo da toxina diftérica pelo miocárdio e sistema nervoso.
  • Diagnóstico: bacterioscópico direto e cultura do exsudato faríngeo.
  • Tratamento: soro antidiftérico e erradicação do foco com penicilina e eritromicina.

Angina de Plaut-Vincent

  • Etiologia: causado pela simbiose entre dois saprófitas normais da cavidade bucal, que adquirem poder patogênico quando associados: Fusobacterium plaut-vincenti e Spirochaeta dentium.
  • Incidência: adultos jovens e adolescentes com péssimos hábitos de higiene bucal e má conservação dentária.
  • Quadro clínico: odinofagia unilateral, ausência de febre e queda do estado geral. Ulceração de tonsilas, recobertas por pseudomembrana e exsudato de odor fétido.
  • Tratamento: penicilina parenteral ou metronidazol e higiene bucal e dentária.

Autor: Dra. Vivian Zanao
Fonte: Baseado no texto da autora no Manual de Urgências e Emergências em Pediatria
Hospital Infantil Sabará – Ed. Sarvier



Experiências de vida sobre Faringites e Amigdalites

Quer compartilhar suas experiências?

Envie sua mensagem abaixo:

Ao clicar em continuar você concorda com os termos de utilização.

Termos de Utilização

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Saepe molestias tempora repudiandae nam, sequi. Fugiat sunt quasi facilis, asperiores sint aliquam, dolor impedit ex distinctio praesentium minima, aut explicabo nesciunt. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Optio pariatur nam voluptatibus tenetur dolore. Similique commodi minima quaerat voluptatum molestias, dolorem, accusantium dicta hic delectus nihil, voluptas doloremque molestiae qui.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Saepe molestias tempora repudiandae nam, sequi. Fugiat sunt quasi facilis, asperiores sint aliquam, dolor impedit ex distinctio praesentium minima, aut explicabo nesciunt. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Optio pariatur nam voluptatibus tenetur dolore. Similique commodi minima quaerat voluptatum molestias, dolorem, accusantium dicta hic delectus nihil, voluptas doloremque molestiae qui.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Saepe molestias tempora repudiandae nam, sequi. Fugiat sunt quasi facilis, asperiores sint aliquam, dolor impedit ex distinctio praesentium minima, aut explicabo nesciunt. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Optio pariatur nam voluptatibus tenetur dolore. Similique commodi minima quaerat voluptatum molestias, dolorem, accusantium dicta hic delectus nihil, voluptas doloremque molestiae qui.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Saepe molestias tempora repudiandae nam, sequi. Fugiat sunt quasi facilis, asperiores sint aliquam, dolor impedit ex distinctio praesentium minima, aut explicabo nesciunt. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Optio pariatur nam voluptatibus tenetur dolore. Similique commodi minima quaerat voluptatum molestias, dolorem, accusantium dicta hic delectus nihil, voluptas doloremque molestiae qui.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Saepe molestias tempora repudiandae nam, sequi. Fugiat sunt quasi facilis, asperiores sint aliquam, dolor impedit ex distinctio praesentium minima, aut explicabo nesciunt. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Optio pariatur nam voluptatibus tenetur dolore. Similique commodi minima quaerat voluptatum molestias, dolorem, accusantium dicta hic delectus nihil, voluptas doloremque molestiae qui.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Saepe molestias tempora repudiandae nam, sequi. Fugiat sunt quasi facilis, asperiores sint aliquam, dolor impedit ex distinctio praesentium minima, aut explicabo nesciunt. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Optio pariatur nam voluptatibus tenetur dolore. Similique commodi minima quaerat voluptatum molestias, dolorem, accusantium dicta hic delectus nihil, voluptas doloremque molestiae qui.