Energético e álcool: combinação perigosa para o adolescente no Carnaval

Médicos alertam sobre o consumo abusivo de energéticos entre os jovens, principalmente em baladas e em épocas de festas como o Carnaval

São Paulo, 6 de fevereiro de 2013 – Carnaval é época de festas e descontração, mas para que a alegria seja completa, os adolescentes precisam se lembrar de alguns cuidados. Um dos principais perigos para os jovens e crianças é o consumo de energéticos de forma exagerada. A ingestão destes produtos, segundo especialistas, pode causar diversos problemas, que vão dos mais comuns como palpitações, convulsões, desidratação e até mesmo a AVC ou morte súbita mais raramente, além do maior risco de acidentes.

Um estudo recente da Universidade de Miami (EUA), publicado pelo periódico Pediatrics, da Academia Americana de Pediatria, comprovou que as bebidas energéticas não têm nenhum benefício terapêutico e que estes produtos podem causar riscos graves em jovens vulneráveis, ou seja, os que sofriam de convulsões, anormalidade cardíacas, diabetes, transtornos de humor e do comportamento. “Os ingredientes destas bebidas, em conjunto com os trabalhos científicos, colocam os energéticos como um produto a ser evitado pelos jovens não apenas no Carnaval, mas durante todo o ano”, afirma José Luiz Setúbal, pediatra do Hospital Infantil Sabará.

Segundo o especialista, além da cafeína, muitos energéticos contêm altos índices de estimulantes, como a taurina e o guaraná, cujos níveis seguros de consumo para a maioria dos adolescentes ainda não foram estabelecidos. Para se ter uma ideia, o estudo da Universidade de Miami apontou, ainda, que dos 5448 casos de overdose de cafeína registrados nos EUA em 2007, 46% deles aconteceram em jovens com menos de 19 anos de idade. De acordo com o estudo, de 30% a 50% dos adolescentes e jovens consomem regularmente bebidas energéticas.

Presente na maioria dos energéticos, o aminoácido taurina pode levar à sobrecarga dos rins, levando a problemas no metabolismo. Já a cafeína, além de estimular o aumento da pressão arterial e dos batimentos cardíacos, também leva à perda de cálcio, magnésio e potássio, e a uma possível perda de massa óssea no futuro.

Álcool pode potencializar efeitos

O consumo de energéticos com bebidas alcoólicas é um perigo ainda maior aos jovens. Esta mistura, além de potencializar os efeitos do álcool, pode fazer com que o usuário tenha um julgamento errado sobre seu estado de embriaguez, aumentando assim o consumo do álcool. “É importante que os pais orientem seus filhos sobre o que consumirão durante o Carnaval. A combinação disfarça o gosto do álcool e, em muitos casos, pode esconder os sinais de intoxicação, evitando que o jovem perceba que já bebeu demais e podendo levá-lo a correr riscos”, explica Setúbal.

Enquanto a quantidade que deixa uma pessoa eufórica, conta o pediatra, para outro adolescente pode haver um aumento dos batimentos cardíacos e da pressão arterial, causando vários riscos à saúde e até o risco de morte. Ele lembra que, independente do consumo de energéticos, é fundamental que os jovens se hidratem com águas, sucos e isotônicos e mantenham uma alimentação balanceada para aproveitarem o máximo do Carnaval.

Sugestão de fonte: José Luiz Setubal é pediatra do Hospital Infantil Sabará.

TOPO DA PÁGINA