Sabará é o 1º Hospital a Abolir o Papel Completamente

Programa pioneiro não inclui somente o prontuário eletrônico, mas todas as áreas da instituição. Ação de informatização faz parte das comemorações dos 50 anos do Sabará, referência na área de pediatria

São Paulo, Fevereiro de 2012 - Referência em pediatria, a Fundação Hospital Infantil Sabará, que completa 50 anos de história em abril, lança neste mês o "Saúde Sem Papel", ação que extingue impressões em todos os departamentos do hospital. O projeto ultrapassa a digitalização do prontuário médico, desde o momento em que o paciente dá entrada até quando recebe alta médica, todo o processo será exclusivamente on-line.

Para viabilizar a ação, o hospital prevê investimento de mais de um milhão de reais nos próximos três anos, sendo que R$ 400 mil serão gastos neste primeiro ano. Nesta fase de implantação as despesas se resumem à aquisição de hardware, reintegração de software, treinamento e gerenciamento de equipe, além de estudo de documentos e otimização do processo de atendimento sem papel.

Neste processo de seleção e treinamento, a instituição conta com a consultoria do Núcleo AYTY, da Associação Viva e Deixe Viver. Criado pelo Viva com o objetivo de compartilhar o conhecimento adquirido ao longo de sua trajetória, em ações relacionadas a Responsabilidade Social, Humanização de Ambientes Corporativos e Gestão de Pessoas, o Núcleo AYTY também contribui para a viabilização de projetos da entidade.

Dividido em duas etapas, o projeto estabelece a digitalização completa na área assistencial e administrativa, o que marca seu pioneirismo. No Brasil apenas alguns hospitais públicos adotaram a prática e ainda não por completo.

Para viabilizar este projeto, o Sabará fez uma parceria com a Green Soluções sem Papel, braço da empresa de software de gestão hospitalar e consultoria MV.

"Até o final de maio, todos os procedimentos de atendimento ao paciente estarão com impressão zero – Pronto-Socorro, Internação, Centro Cirúrgico, UTI e áreas técnicas (banco de sangue, laboratório de análises clínicas e farmácia). Em seguida, a implantação acontece nas áreas administrativas (financeiro, recursos humanos, contabilidade e jurídico)", informa o CEO do Sabará, Celso Ruggiero.

Para os primeiros 12 meses, a expectativa prevê a redução de 70% de impressão. Hoje o consumo médio chega a 600 mil páginas. O objetivo é atingir no máximo 240 mil até dezembro de 2012, o que representa redução no consumo equivalente aos mesmos 40% no gasto com outsourcing. Ao abolir o papel, o Sabará deixará de usar os 1.200 pacotes de A4 que consome por mês.

"E a tendência é a redução maior com o passar do tempo, até chegarmos a 100%. Para isso contamos com a colaboração de todos os nossos parceiros, como as operadoras de saúde", ressalta Milton Alves, diretor de TI & Facilities do Sabará.

Além da economia no bordereau, o projeto implica em vantagens que abrangem desde o dia-a-dia administrativo até benefícios aos pacientes, às empresas parceiras e ao meio ambiente. Veja alguns deles:

- Com a disponibilidade imediata de informações em rede, os procedimentos poderão ser tomados em espaço de tempo mais breve pela equipe médica e de enfermagem, já que não dependerão de papelada física, agilizando o atendimento final;

- Garante maior segurança aos pacientes, já que seus dados estão na rede do hospital e não em papéis;

- Redução de custos com compras de papel, armazenamento em espaço físico de documentação;

- Menos árvores serão cortadas (A cada 10.000 páginas A4 uma árvore é cortada), consumo reduzido de energia elétrica e água;

- Acesso rápido às informações pelas empresas parceiras, economia de tempo e custos com transporte de papelada.

Sobre a Fundação Hospital Infantil Sabará

Tradicionalmente conhecido por sua eficiência e bons resultados, o Hospital Infantil Sabará nasceu no início dos anos 60, quando um grupo de médicos pediatras resolveu criar um serviço diferenciado. A partir daí o complexo hospitalar se firmou como centro de referência na área, sendo o primeiro hospital a inaugurar uma UTI pediátrica em 1974. Desde setembro de 2010, o hospital atende na Avenida Angélica, nº 1.987, no bairro de Higienópolis (SP), em um novo prédio de 17 andares que tem um conceito moderno e inovador. Acesse o site do hospital (Hospital Infantil Sabará).

Sobre o Núcleo AYTY

Criado pela Associação Viva e Deixe Viver este departamento tem por objetivo oferecer ao mercado consultoria e atividades de capacitação nas áreas de Voluntariado, Responsabilidade Social, Humanização de Ambientes Corporativos e Gestão de Pessoas. Toda a renda gerada pelo Núcleo AYTY é revertida para os projetos da Associação Viva e Deixe Viver e para sua missão.

Sobre a Associação Viva e Deixe Viver

Desde 1993, a Associação Viva e Deixe Viver é uma OSCIP – Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, que treina e capacita voluntários para se tornarem contadores de histórias em hospitais para crianças e adolescentes internados em nove mercados do país. Os principais recursos da Associação Viva e Deixe Viver atualmente são a leitura de obras infantis, as brincadeiras, a criatividade e o bom humor de seus voluntários. Para realizar seu objetivo, a Associação recebe como doação pelo menos duas horas semanais de seus voluntários que contam ou fazem histórias. Informações no site: http://www.vivaedeixeviver.org.br