Pais Comprometem Tratamento por Não Diferenciar Asma de Bronquite

Com as temperaturas em queda, as crises de asma e de bronquite costumam acometer principalmente as crianças. Por não saber diferenciar os dois males, tratamento pode ser comprometido

São Paulo, março de 2011 - Asma ou bronquite? Como não sabem diferenciar os dois males, os pais acabam por subestimar as doenças e comprometer o tratamento e a saúde das crianças. De acordo com a pediatra e alergista Fatima Rodrigues Fernandes, do Hospital Infantil Sabará, com componente genético e de fundo alérgico, a asma é uma doença crônica que exige tratamento preventivo e constante. Já a bronquite crônica, mais freqüente em adultos, é uma inflamação causada por substâncias irritantes (cigarro, fumaça), enquanto a bronquite aguda é causada vírus ou bactérias.

“Em suma, enquanto a asma pode ser comparada a um inquilino de longa duração, a bronquite aguda é como uma visita inesperada. Ambas têm tratamento, mas precisam ser diferenciadas para serem devidamente controladas”, esclarece a pediatra e alergista Fatima Rodrigues Fernandes, do Hospital Infantil Sabará.

Considerada uma das doenças mais comuns na infância, a asma é um pesadelo para os pais. Isso acontece, segundo a médica, porque o mal só chama a atenção em momentos de crise. “Assim como um quadro de diabetes, a asma requer tratamento permanente e preventivo para se evitar as crises, que podem ocasionar graves consequências e até levar à morte”, alerta.

Hoje a asma é “controlada” com medicamentos por via inalatória que associam broncolodilatores e antiinflamatórios, além de cuidados com o ambiente para evitar os alérgenos (poeira, bichos de pelúcia, etc). Esses medicamentos, esclarece a especialista do Hospital Infantil Sabará, são seguros. “Eles apresentam menos efeitos colaterais, ao contrário das antigas drogas de uso oral, que podem ocasionar efeitos indesejáveis como hipertensão, diabetes, aumento de peso e até inchaços”, ressalta.

Já as bronquites agudas podem ser tratadas com medicamentos para alívio dos sintomas e antibióticos por um tempo limitado, se forem causadas por bactérias. A bronquite crônica, por sua vez, é mais frequente em adultos fumantes ou expostos a substâncias irritativas. Seu controle depende de mudanças de hábito (distância dos agentes irritantes, como cigarro).

A confusão entre as duas doenças ainda ganha força porque ambas apresentam sintomas semelhantes. A lista inclui falta de ar, piora ao contato com determinados agentes externos, tosse seca, sibilos/chiados e cansaço durante esforços. O que, porém, ajuda a diferenciar é que a asma é mais comum no paciente pediátrico e geralmente tem caráter hereditário. Responsável por cerca de 400 mil internações hospitalares por ano, a asma afeta uma em cada cinco crianças e é hoje o terceiro maior gasto do SUS (Sistema Único de Saúde), um custo de R$ 111 milhões, segundo dados do Ministério da Saúde.

Sobre a Fundação Hospital Infantil Sabará

Tradicionalmente conhecido por sua eficiência e bons resultados, a Fundação Hospital Infantil Sabará nasceu no início dos anos 60, quando um grupo de médicos pediatras resolveu criar um serviço diferenciado. A partir daí o complexo hospitalar se firmou como centro de referência na área, sendo o primeiro hospital a inaugurar uma UTI pediátrica em 1974. Desde setembro de 2010, o hospital atende na Avenida Angélica, nº 1.987, no bairro de Higienópolis (SP), em um novo prédio de 17 andares que tem um conceito moderno e inovador. Acesse o site do Hospital Infantil Sabará.