Primeiros Dentes do Bebê não Estão Livres das Cáries.

A partir do sexto mês, o bebê passa a salivar mais, coça a gengiva, fica mais estressado e pode até ter febre devido ao surgimento da primeira dentição. Para evitar a cárie da mamadeira, comum depois do consumo de bebidas açucaradas, higienização é fundamental.

São Paulo, fevereiro de 2011 - A partir dos seis meses, os primeiros dentinhos surgem e marcam nova etapa na vida dos bebês: a fase da mastigação. Ao contrário do senso comum, a saúde dos dentes de leite é essencial para o desenvolvimento da dentição permanente e requer atenção especial dos pais.

Assim como os adultos, os pequenos não estão livres das cáries, alerta a odontopediatra Gisele Naspitz, colaboradora do Hospital Infantil Sabará. A chamada cárie de mamadeira é provocada pela ingestão de líquidos açucarados (leite materno, de vaca, fórmulas e outras bebidas) na mamadeira, sem higienização posterior, principalmente quando ingeridos à noite. “De desenvolvimento rápido, esse tipo de cárie provoca dor, dificuldade na hora da alimentação, podendo ocorrer alterações no crescimento e desenvolvimento da criança”, ressalta.

Na prática, os cuidados com a higiene bucal da criança começam logo após o nascimento. Para remover os resíduos de leite da mucosa bucal, a limpeza é feita com uma fralda de pano ou gaze umedecida em água filtrada ou fervida. Com a erupção dos primeiros molares, lembra a Dra. Gisele, já se deve usar as escovas, também umedecidas apenas em água. “O odontopediatra irá orientar individualmente cada família sobre o momento mais adequado para introdução do creme dental com flúor”, destaca.

Por não serem permanentes, os dentes de leite costumam ser subestimados. De acordo com Naspitz, após a amamentação, a mastigação correta continuará a tarefa de exercitar ossos e músculos.

“A mastigação ajudará no desenvolvimento dos maxilares e propiciarão um melhor alinhamento da dentição. Além disso, músculos firmes são fundamentais à fala”, esclarece.

Nesta fase de transição, os pais devem ofertar alimentos com consistência mais sólida às crianças. Para evitar engasgos, a dica é cortar as carnes e vegetais em pedaços pequenos. No início, é possível que os pratos contenham mais líquido para facilitar a adaptação.

De acordo com a especialista, o uso prolongado da chupeta e da mamadeira afeta o posicionamento de dentes e formação das arcadas, trazendo conseqüências danosas à fala, à mastigação, à deglutição e à respiração.

“O ideal é remover o hábito o mais cedo possível, antes dos 2 anos de idade, idade do término da fase oral. Muitas mães reclamam que seus filhos, já crescidos, não mastigam corretamente e recusam alimentos mais fibrosos. Elas esquecem que o uso da mamadeira por tempo prolongado habituou a criança à dieta mais mole e adocicada”, conclui.

Tradicionalmente conhecido por sua eficiência e bons resultados, o Hospital Infantil Sabará nasceu no início dos anos 60, quando um grupo de médicos pediatras resolveu criar um serviço diferenciado. A partir daí o complexo hospitalar se firmou como centro de referência na área, sendo o primeiro hospital a inaugurar uma UTI pediátrica em 1974. Desde setembro de 2010, o hospital atende na Avenida Angélica, nº 1.987, no bairro de Higienópolis (SP), em um novo prédio de 17 andares que tem um conceito moderno e inovador.