Mamadeira por Tempo Prolongado Aumenta Chances de Obesidade.

Pediatra do Hospital Infantil Sabará alerta pais sobre uso prolongado do utensílio e problemas com a balança

São Paulo, maio de 2011 - Crianças com mais de 2 anos que ainda usam a mamadeira com frequência ou única forma de ingerir líquidos, alerta o pediatra e nutrólogo Rubens Feferbaum, do Hospital Infantil Sabará, correm mais riscos de se tornarem obesas.

O conselho ganha força depois de publicação recente no periódico Pediatrics de pesquisa realizada pela Universidade de Ohio em parceira com a Universidade de Temple, ambas nos Estados Unidos. Após acompanhar 6.750 crianças desde o nascimento até 5,5 anos, os pesquisadores chegaram à conclusão de que aquelas que largaram a mamadeira antes, não tiveram problema com obesidade.

“Além de ser usada como conforto, o que torna seu uso recorrente, a mamadeira faz com que os pequenos consumam maior quantidade de líquidos. Além disso, nem sempre damos atenção ao conteúdo do utensílio, em geral, com sucos, leite e açúcar em quantidade excessiva”, esclarece.

Poucos pais sabem, mas as crianças se adaptam bem ao famoso copinho. Não à toa os bancos de leite recorrem ao objeto desde os primeiros dias de vida. Após o aleitamento, o copo pode ser um artifício interessante. Diferentemente da mamadeira, que pode comprometer o posicionamento dos dentes, ele não interfere na adequação da arcada dentária, porém exige paciência dos pais – já que o líquido sai em menor quantidade.

Tradicionalmente conhecido por sua eficiência e bons resultados, o Hospital Infantil Sabará nasceu no início dos anos 60, quando um grupo de médicos pediatras resolveu criar um serviço diferenciado. A partir daí o complexo hospitalar se firmou como centro de referência na área, sendo o primeiro hospital a inaugurar uma UTI pediátrica em 1974. Desde setembro de 2010, o hospital atende na Avenida Angélica, nº 1.987, no bairro de Higienópolis (SP), em um novo prédio de 17 andares que tem um conceito moderno e inovador.