Brincar no Hospital faz Parte do Tratamento

Hospital Infantil Sabará inaugura serviço que usa recursos lúdicos para falar com as crianças sobre doença e tratamento. Técnica combate estresse e acelera melhora no estado de saúde do paciente

São Paulo, abril de 2011Nossos medos costumam ir por água abaixo quando encaramos os bichos-papões que nos cercam. Partindo desse pressuposto, o Hospital Infantil Sabará inova ao disponibilizar uma equipe especial para atender, acolher e tirar as máscaras dos monstros que o ambiente hospitalar costuma transparecer.

Com brincadeiras, conversas, músicas e até replica dos cenários mais hostis, como o centro cirúrgico, os educadores não só visam proporcionar horas de entretenimento, mas interferir diretamente na saúde e no bem-estar dessas crianças.

Para a psicóloga Germana Savoy, coordenadora do projeto do Sabará, o remédio e o brincar caminham juntos nesta iniciativa. “Se no passado, escondíamos das crianças o que iria acontecer no consultório do pediatra ou no hospital, hoje sabemos que informá-los sobre os fatos, adaptando conceitos e linguagens de acordo com a idade, faz parte do tratamento”, esclarece.

“Não devemos subestimar a inteligência das crianças. Se nem sempre entendemos o que está acontecendo quando estamos enfermos e precisamos de ajuda médica, o que dirão então nossos filhos? O caminho não é ocultar ou mentir, mas tornar o desconhecido menos amedrontador, contando a verdade de forma lúdica”, opina a especialista.

Os educadores estarão disponíveis em todos ambientes do hospital, incluindo o atendimento no Pronto Socorro, ambulatório de procedimentos, centro cirúrgico e internação. “Se a criança estiver disponível, uma equipe nossa estará lá para ajudá-la, seja com proposta de brincadeiras, com contadores de história ou com uma conversa descontraída”, destaca o pediatra José Luiz Setúbal, presidente do hospital.

Antes de uma operação, por exemplo, se quiser, o paciente poderá conhecer mais sobre a intervenção numa sala de brinquedos em miniatura, réplica da sala de cirurgia. Já para explicar o que acontece numa sessão de inalação ou coleta de sangue, para controlar o medo, a criança, se assim desejar, poderá conhecer mais sobre os procedimentos com ajuda de bonecos específicos de apoio.

Além de entreter as crianças, o brincar dentro do hospital traz uma série de benefícios às crianças e aos pais, conforme comprovado em inúmeras pesquisas internacionais. Além de reduzir o estresse e a ansiedade, esse tipo de ação, lembra o pediatra, torna a criança mais colaboradora, fazendo com que os procedimentos e introdução de medicações acontecem de maneira mais fácil. “Sabemos que dessa forma conseguimos reduzir o tempo de internação dos pacientes, acelerar o tempo de cura e até proporcionar amadurecimento, já que não escondemos nada”, destaca o médico.

Por outro lado, ressalta a psicóloga, os pais também ficam mais tranqüilos ao ver seus filhos mais calmos. “No final, acolhemos a família toda do paciente pediátrico. Sem contar que podemos trabalhar ainda o desenvolvimento motor de crianças que estão internadas, evitando o sedentarismo. E estamos preparados para receber os pacientes especiais e com outras deficiências”, afirma a especialista.

Sobre a Fundação Hospital Infantil Sabará

Tradicionalmente conhecido por sua eficiência e bons resultados, o Hospital Infantil Sabará nasceu no início dos anos 60, quando um grupo de médicos pediatras resolveu criar um serviço diferenciado. A partir daí o complexo hospitalar se firmou como centro de referência na área, sendo o primeiro hospital a inaugurar uma UTI pediátrica em 1974. Desde setembro de 2010, o hospital atende na Avenida Angélica, nº 1.987, no bairro de Higienópolis (SP), em um novo prédio de 17 andares que tem um conceito moderno e inovador.