Alimentação Infantil: Seu Filho é um Comedor Seletivo?

Aproveite as férias para descobrir e mudar os hábitos alimentares das crianças. Problema que começa no cadeirão e afeta 50% dos pequenos pode comprometer crescimento e se transformar em obesidade

São Paulo, junho, 2010 - Alimentar e simultaneamente agradar as crianças não é tarefa simples, ainda mais com tantas opções de guloseimas. Se você costuma ouvir a palavra não com frequencia à mesa, talvez seu filho faça parte do universo dos comedores seletivos, comportamento alimentar que afeta cerca de 50% das crianças.

"Eles costumam rejeitar determinados alimentos, principalmente os mais saudáveis, e pulam as refeições em troca de petiscos calóricos, industrializados e pouco nutritivos. Também poder criar aversão por alimentos que antes gostavam e evitam provar novidades", diz a nutricionista Adriane Alves Marchisete, do Hospital Infantil Sabará.

Como esse tipo de comportamento deve ser combatido, alertam os pediatras, para que a criança não se torne obesa ou posteriormente um adolescente seletivo, nada melhor do que o mês de férias para reeducar os pequenos. "Com tempo livre, os pais podem supervisionar o conteúdo, a diversidade e o horário das refeições. É só assim, com paciência e calma, que a criança ampliará seus horizontes alimentares. Não adianta impor o cardápio à força", aconselha a especialista.

Nos primeiros anos de vida a seletividade é comum. Acostumadas com alimentos líquidos, pastosos e sem tempero, as crianças têm de se adaptar ao novo cardápio. "Depois da fase de amamentação, após os seis meses, é importante que tenham à disposição um cardápio variado, é uma forma de se acostumarem a doce, salgado, azedo, frio e quente, tomando cuidado com os alimentos industrializados (ricos em corantes e conservantes)", ressalta.

Na lista de alimentos rejeitados, as verduras, os legumes, as frutas, os grãos e as carnes são os campeões. "Uma pena porque são esses os alimentos essenciais para fortalecer a imunidade, formar músculos e ossos, contribuir para o desenvolvimento intelectual, entre outros benefícios ao organismo", diz a nutricionista.

Brincar com as cores e formas dos alimentos, alterar o tempero, aroma e cor, além de evitar pratos exagerados são atitudes que costumam dar certo. Algumas crianças sentem repulsa pela consistência de alguns alimentos, às vezes, a mudança no preparo soluciona o problema. "Se eles não gostam de purê, por exemplo, sirva a batata cozida, mais durinha. Se não gostam de bife, opte por carne moída ou almôndegas", recomenda.

Como os pais são espelhos, outra dica importante é dar bom exemplo. "Além de fazer pratos iguais, experimente os alimentos na frente das crianças para ela imitar o comportamento. Não obrigue os pequenos a comer nada. Só vai ganhar a batalha se tiver paciência e calma", finaliza.

Sobre a Fundação Hospital Infantil Sabará

Tradicionalmente conhecido por sua eficiência e bons resultados, o Hospital Infantil Sabará nasceu no início dos anos 60, quando um grupo de médicos pediatras resolveu criar um serviço diferenciado. A partir daí o complexo hospitalar se firmou como centro de referência na área, sendo o primeiro hospital a inaugurar uma UTI pediátrica em 1974. Em julho de 2010, o hospital passa a atender na Avenida Angélica, nº 1.987, no bairro de Higienópolis (SP), em um novo prédio de 17 andares que tem um conceito moderno e inovador. Acesse o site do hospital .