Vacina Tríplice bacteriana (tétano; difteria e coqueluche ou pertussis)



Existem dois tipos de vacina tríplice, que diferem no componente da coqueluche ou B. pertussis:

1) Vacina Tríplice de Células Inteiras
É fabricada com a bactéria B. pertussis inteira. Tem boa eficácia, mas apresenta efeitos adversos mais freqüentes e mais intensos.

2) Vacina Tríplice Acelular
É produzida com partes da bactéria B. pertussis, mantendo a capacidade de produzir imunidade e diminuindo a freqüência e a intensidade dos efeitos adversos. Pode ser aplicada em associação (Salk, Hib hepatite B.)

Deve ser administrada com 2; 4; 6 meses e com reforços com 15 meses e 5 anos). Os efeitos adversos mais comuns são dor, inchaço e vermelhidão no local da injeção, febre e irritabilidade, mais graves e raros são convulsão, choro persistente por mais de três horas, febre alta.

Tétano
Ocorre quando a bactéria penetra no organismo por meio de ferimentos e cortes, liberando toxinas. Causa enrijecimento muscular, que evolui para dificuldade para abrir a boca e engolir. Morte pode ocorrer em até 10% dos casos.

Coqueluche
Também é conhecida como tosse comprida. Sua transmissão se dá de pessoa para pessoa, por meio de gotículas liberadas por tosse ou espirros de portadores da bactéria.
Seus principais sintomas são acessos de tosse muito intensos, tornando difícil a alimentação e até a respiração. Pode evoluir para pneumonia, convulsões, lesão neurológica e até a morte.

Difteria
Também é chamada de crupe. Sua transmissão se dá de pessoa para pessoa, por via respiratória. A doença leva à formação de uma membrana espessa na parte posterior da garganta, evoluindo para dificuldade respiratória. Toxinas liberadas pela bactéria podem levar a paralisia, insuficiência cardíaca e até a morte.




Veja mais textos e informações úteis em nosso Blog sobre a saúde infantil - http://saudeinfantil.blog.br/

TOPO DA PÁGINA