Traqueomalácia e Bronquiomalácia



São anomalias congênitas freqüentes. Decorrem de imaturidade do esqueleto cartilaginoso que, por não ser adequadamente rígido, permite o colabamento da luz da via aérea durante o movimento inspiratório. Quando ocorre comprometimento da porção intratorácica da traquéia, o colapso ocorre também durante a expiração, com estridor expiratório.

O diagnóstico é feito pelo quadro clínico e pela radiografia em posição lateral que demonstra o colapso ântero-posterior da traquéia. A endoscopia sela o diagnóstico. Nas crianças com acometimento da porção torácica, ocorre aumento do diâmetro ântero-posterior do tórax em virtude da dificuldade expiratória.

A traqueomalácia, embora possa ocorrer como entidade isolada, freqüentemente é secundária a fístula tráqueo-esofágica, atresia de esôfago, tumores mediastinais com compressão traqueal e anéis vasculares.

O tratamento é baseado em cuidados respiratórios, principalmente nas crises de infecção respiratória, já que com o crescimento existe natural tendência a regressão espontânea.

Autor:
Dr. Uenis Tannuri
Dra. Ana Cristina Aoun Tannuri
Fonte: Baseado no texto dos autores no livro:
Manual de Urgências e Emergências em Pediatria.
Hospital Infantil Sabará – Ed. Sarvier




Veja mais textos e informações úteis em nosso Blog sobre a saúde infantil - http://saudeinfantil.blog.br/

TOPO DA PÁGINA