Picadas de Escorpiões



Acidente escorpiônico ou escorpionismo é o quadro de envenenamento provocado pela inoculação de veneno através de ferrão de escorpiões.

De importância médica no Brasil são os representantes do gênero:

Tityus, com várias espécies descritas:

  1. T. serrulatus (escorpião-amarelo);
  2. T. (escorpião-marrom);
  3. T. stigmurus; T. obscurus;
  4. (T. paraensis) (escorpião-preto da amazôinia);
  5. T. metuendus.

São encontrados em praticamente todos os ambientes, porém o crescimento desordenado dos centros urbanos propicia condições cada vez mais favoráveis à instalação e proliferação desses animais junto às habitações, em ambientes peri e intradomiciliares. Encontram esconderijos em terrenos baldios, velhas construções, sob o entulho, pilhas de madeira, tijolos, caixas de luz etc.

A picada por escorpião leva a dor no local, de início imediato e intensidade variável, com boa evolução na maioria dos casos, porém crianças podem apresentar manifestações graves, como náuseas e vômitos, alteração da pressão sanguínea, agitação e falta de ar. Lavar o local da picada com água e sabão; não fazer torniquete ou garrote, não furar, não cortar, não queimar, não espremer, não fazer sucção no local da ferida e nem aplicar folhas, pó de café ou terra sobre ela para não provocar infecção; não dar à vítima pinga, querosene, ou fumo, como é costume em algumas regiões do país; levar a vítima imediatamente ao serviço de saúde mais próximo para que possa receber o tratamento em tempo.

O tratamento e feito por compressas mornas e analgésicos para alívio da dor até chegar a um serviço de saúde para as medidas necessárias e avaliar a necessidade ou não de soro.

A prevenção é o mais importante:

  1. Usar calçados e luvas nas atividades rurais e de jardinagem;
  2. Examinar calçados e roupas pessoais, de cama e banho, antes de usá-las;
  3. Não acumular lixo orgânico, entulhos e materiais de construção;
  4. Vedar frestas e buracos em paredes, assoalhos, forros e rodapés; utilizar telas, vedantes ou sacos de areia em portas, janelas e ralos; manter limpos os locais próximos das residências, jardins, quintais, paióis e celeiros; combater a proliferação de insetos, principalmente baratas e cupins;
  5. Preservar predadores naturais como seriemas, corujas, sapos, lagartixas e galinhas; limpar terrenos baldios pelo menos na faixa de um a dois metros junto ao muro ou cercas.

Escorpião Marrom

Escorpião Amarelo

Fonte: Ministério da Saúde do Brasil ImagensFiocruz




Veja mais textos e informações úteis em nosso Blog sobre a saúde infantil - http://saudeinfantil.blog.br/

TOPO DA PÁGINA